António Madeira Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
António Madeira Santos
Nascimento 22 de agosto de 1925
Vila Nova de Cacela, Portugal
Morte 22 de agosto de 2014 (89 anos)
Tavira, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor

António Madeira Santos (Vila Nova de Cacela, 22 de Agosto de 1925 - Tavira, 22 de Agosto de 2014) foi um poeta e ficcionista português.
Nasceu em Vila Nova de Cacela em 22 de Agosto de 1925 e faleceu em Tavira a 22 de Agosto de 2014. Personagem excêntrica, a sua obra de ficção, apresenta influências do surrealismo. Tem publicadas as ficções: A Cidade dos Coxos e a Mulher de Sal e, em poemas: O Pretérito de Ser e Motivo Vida. Deixou ainda vasta obra não publicada. A condição humana e a vida interior dos personagens que cria, alguns dos quais nunca chegam a sair da sua imaginação, leva a que durante algum tempo se dedique à parapsicologia como forma de construção desses fantasmas nihil privativum. Em a Cidade dos Coxos, uma comunidade exótica de personagens psicóticas persegue um objectivo residual indivisível e inalcançável, a construção de um buraco sem fundo. Em a Mulher de Sal procura distinguir uma abertura nova na sua linguagem, mantendo no entanto uma forte componente simbólica e psicossocial inscrita nas suas próprias preocupações.

Na Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas poderá encontrar mais sobre este autor http://www.dglb.pt/sites/DGLB/Portugues/autores/Paginas/PesquisaAutores1.aspx?AutorId=8416

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Poeira luminosa (1935)
  • O Pretérito de Ser (1963)
  • Motivo Vida ( 1965 )
  • A Cidade dos Coxos (1972)
  • A Mulher de Sal (1974)
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.