António Maria de Bettencourt Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Maria de Bettencourt Rodrigues
Nascimento 5 de março de 1854
Morte 1933 (79 anos)
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Paris
Ocupação médico, escritor

António Maria de Bettencourt[1] Rodrigues GCC (São Nicolau, Cabo Verde, 5 de março de 1854Cascais, Estoril, Monte Estoril, 1933) foi um médico, diplomata e político português.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho mais novo de José Júlio Rodrigues (Goa, Goa Norte, Bardez, Salvador do Mundo, 6 de maio de 1812 - Luanda), Goês católico, bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Delegado do Procurador Régio no Funchal, juiz do Tribunal da Relação de Luanda, e de sua mulher (Funchal, Sé, 13 de agosto de 1842) Teresa Cristina de Sá e Bettencourt (Funchal, Sé - ?).[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Médico alienista, doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Paris, Ministro Plenipotenciário em Paris em 1913 e de 1917 a 1918, Senador pelo Círculo Eleitoral da Estremadura em 1918, Ministro dos Negócios Estrangeiros dos Governos Óscar Carmona e José Vicente de Freitas de 1926 a 1928, durante a Ditadura Militar, e Presidente da Delegação Portuguesa à Sociedade das Nações[4][5]

A 5 de Outubro de 1927 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[6]

Deixou publicada uma importante obra científica.[5][7]

Referências e Notas

  1. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, p. 157 faz-se eco duma lenda que nasceu, vá lá saber-se porquê, de que estes irmãos se chamavam de Bettencourt porque eram conhecidos em Coimbra por os "bitoncares", talvez porque o pai era natural de Britona. Então para acabar com esse epíteto que lhes desagradava tê-lo-iam transformado em de Bettencourt! Esta lenda só foi possível por ignorar o seu autor que a mãe dos dois irmãos Rodrigues se chamava de Bettencourt, pelo que o nome que usaram era perfeitamente legítimo.
  2. Fernando de Meneses Vaz, "Famílias da Madeira e Porto Santo", Vol. 1, p. 138, tít. de Araújos, § 4.º, n.º 9
  3. "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, pp. 428 e 431
  4. A. H. de Oliveira Marques (coord.), "Parlamentares e Ministros da 1.ª República (1910-1926)", p. 377
  5. a b "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, p. 431
  6. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Maria de Bettencourt Rodrigues". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 19 de março de 2016 
  7. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, pp. 151 a 157
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.