António Menano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
António Menano
Informação geral
Nascimento 5 de maio de 1895
Local de nascimento Fornos de Algodres
Portugal
País Portugal Portugal
Morte 11 de setembro de 1969 (74 anos)
Local de morte Lisboa
Portugal
Gênero(s) fado
Ocupação(ões) Fadista

António Paulo Menano (Fornos de Algodres, 5 de maio de 1895Lisboa, 11 de setembro de 1969) foi um intérprete da Canção de Coimbra e compositor, talvez o mais popular depois de Augusto Hilário.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

António Paulo Menano nasceu em Fornos de Algodres em 5 de maio de 1895, filho de António da Costa Menano e de Januária Augusta Paulo. Cresceu no seio de uma família de 12 irmãos, destacando-se desde muito cedo pela sua voz de tenor.[2] Foi irmão de Francisco Menano, também compositor e cultor da guitarra de Coimbra.

Matriculou-se em 1915 no curso de Medicina da Universidade de Coimbra, tendo despontado aí a sua paixão pelo canto. Em março desse mesmo ano, sobressai com uma interpretação num sarau em Aveiro, organizado pela Associação Académica de Coimbra, e que contou com a participação da Tuna e do Orfeon. Menano viria a ser conhecido em todo o país, através dos numerosos discos que gravou.

Após a conclusão do curso, António Menano fixou-se na sua terra natal, em Fornos de Algodres, exercendo a profissão de médico numa clínica, sem, no entanto, se desligar do meio artístico e académico. Em 1933, abandonou a carreira artística e partiu voluntariamente para Inhaminga, em Moçambique, para exercer medicina, regressando definitivamente a Portugal em 1961.

Viria a falecer a 11 de setembro de 1969, na sua residência na rua José Falcão, em Lisboa.[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Aquela moça da aldeia
  • Solitário

Dados genealógicos[editar | editar código-fonte]

Era filho de António Silva Menano e de D. Januária Augusta Paulo[4].

Casado, na capela da Quinta da Fonte do Anjo, nos Olivais (Lisboa), a 23 de Novembro de 1922, com Maria Henriqueta da Câmara Viterbo (7 de Julho de 1903 - ) filha do arquitecto Dr. Fiel da Fonseca Viterbo e de Maria José Ana de Jesus Gonçalves Zarco da Câmara, por sua vez filha do 9.º conde da Ribeira Grande[5].

Tiveram os filhos seguintes:

  • Maria da Graça de Viterbo Menano casada a 18 de Fevereiro de 1946 com seu parente D. Luís Fernando Rita de Almeida Santos Castelo-Branco. Com geração[6].
  • António Nuno de Santa Maria Viterbo Menano, nascido na referida Quinta da Fonte, em 16 de Novembro de 1927, casado e com geração.
  • Francisco Paulo, nascido 16 de Novembro de 1927[7].

Referências

  1. «António Menano». Infopédia. Consultado em 15 de junho de 2015 
  2. «Personalidades: António Menano». Museu do Fado. Consultado em 15 de junho de 2015 
  3. «Ilustres da Nossa Terra: António Menano». Câmara Municipal de Fornos de Algodres. Consultado em 15 de junho de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  4. "Pero de Covilhã e a sua descendência", por José de Lima, Tipografia Porto Médico, Porto, 1954, pág. 75
  5. "Pero de Covilhã e a sua descendência", por José de Lima, Tipografia Porto Médico, Porto, 1954, pág. 47
  6. "Pero de Covilhã e a sua descendência", por José de Lima, Tipografia Porto Médico, Porto, 1954, pág. 123 e 124
  7. "Pero de Covilhã e a sua descendência", por José de Lima, Tipografia Porto Médico, Porto, 1954, pág. 75

Ligações externas[editar | editar código-fonte]