António Reis (professor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de António Reis, veja António Reis.
António Reis
Nascimento 9 de maio de 1948 (70 anos)
Lisboa, Portugal
Prémios Ordem da Liberdade
Género literário História, 25 de abril de 1974

António Fernando Marques Ribeiro Reis GOL (Lisboa, 9 de maio de 1948) é um professor universitário, político e franco-mação português, que foi docente na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa até 2009. Ocupou o cargo de Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano - Maçonaria Portuguesa entre 2005 e 2011.[1]

Biografia social e política[editar | editar código-fonte]

Dirigente do movimento estudantil, tornou-se militante activo da Oposição Democrática ao regime salazarista pelo que foi perseguido pelas suas actividades.

Foi co-fundador do Partido Socialista e redactor da Revista Seara Nova de 1969 a 1974. Mais tarde, foi Director-Adjunto da Revista de Reflexão e Crítica Finisterra.

Como oficial miliciano, participou na preparação e execução da operação militar que pôs termo à Ditadura em 25 de Abril de 1974, tendo integrado o destacamento da Escola Prática de Administração Militar que ocupou os estúdios da RTP, onde regressou em 1985 como Director-Adjunto de Programas Culturais, cargo que exerceu durante dois anos.

Antes disso, foi membro do Conselho de Imprensa, entre 1980 e 1982, e posteriormente à sua passagem pela RTP foi membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social, entre 1991 e 1994.

Integra actualmente o comité de especialistas escolhido pelo Parlamento Europeu para orientar a criação da futura Casa da História Europeia.[2]

Biografia académica[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Filosofia pela Universidade de Friburgo (Suíça).

Doutorado em História, especialidade História Cultural e das Mentalidades Contemporâneas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com uma dissertação intitulada Raúl Proença – Biografia de um Intelectual Político Republicano.[3]

Professor Auxiliar da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, aposentado desde Setembro de 2009.

Responsável pelo Seminário de História Cultural e das Mentalidades do Mestrado de História Contemporânea (secção século XX).[3]

Presidente do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, de 1993 a 1995.[3]

Vice-Presidente do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

A 25 de abril de 2004, por ocasião das Comemorações do 30.° Aniversário da Revolução dos Cravos, foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade.[4]

Funções políticas[editar | editar código-fonte]

Após o 25 de Abril de 1974, desempenhou vários cargos políticos:

  • Deputado à Assembleia Constituinte;
  • Deputado na Assembleia da República (1976-1983 nas I, II, e III legislaturas) e de 1995-2002 (VII e VIII legislaturas), nas quais foi Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, Presidente da Comissão Parlamentar de Ética e Presidente da Delegação portuguesa à Assembleia da OSCE;
  • Fez parte do II Governo Constitucional (1978) como Secretário de Estado da Cultura, liderado por Mário Soares.

Funções maçónicas[editar | editar código-fonte]

Obra Públicada[5][editar | editar código-fonte]

  • O Marxismo e a Revolução Portuguesa, Edições Portugal Socialista, Lisboa, 1979;
  • Portugal Contemporâneo (1820-1992), Seis volumes, Publicações Alfa, Lisboa, 1990-1993 (Direcção e Co-autoria);
  • Portugal: Vinte Anos de Democracia, Círculo de Leitores, Lisboa, 1994 (Coordenação e Co-autoria);
  • Mediateca do Século XX, Lexicultural, Lisboa, 1998 (direcção e co-autoria da versão portuguesa);[3][8]
  • Portugal: Ano 2000, Círculo de Leitores, Lisboa, 2000 (Coordenação e Co-autoria);
  • Raúl Proença - Biografia de um Intelectual Político Republicano, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, Lisboa, 2003;
  • As Grandes Correntes Políticas e Culturais do Século XX, Lisboa, Colibri/Instituto de História Contemporânea, 2003, (Coordenação).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
António Duarte Arnaut
Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano
2005 – 2011
Sucedido por
Fernando Manuel Lima Valadas Fernandes