António da Silva Porto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a antiga designação da cidade angolana do Kuito, veja Silva Porto (Angola).
Disambig grey.svg Nota: Se procura o explorador de África, veja António Francisco da Silva Porto.
Silva Porto
Auto-retrato
Nome completo António Carvalho da Silva
Pseudônimo(s) Silva Porto
Nascimento 11 de novembro de 1850
Porto
Morte 1 de junho de 1893 (42 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Pintor e professor
Busto de Silva Porto (bronze, por Salvador Barata Feyo)

António Carvalho da Silva (Porto, 11 de Novembro de 1850 - Lisboa, 1 de junho de 1893 (42 anos)) foi um pintor português que mais tarde adoptaria para apelido o nome da sua cidade natal, ficando conhecido por Silva Porto.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de António da Silva Carvalho Porto, latoeiro e cinzelador e de Margarida Carvalho da Silva Porto, bordadeira premiada pela Associação Industrial do Porto, e irmão de Adelina Branca Carvalho da Silva Porto. Em 1865, matriculou-se na Academia Portuense de Belas Artes, instituição onde frequentou vários cursos, sempre com excelente aproveitamento (obteve dezoito valores a Escultura e Pintura Histórica e vinte a Arquitetura) e foi discípulo dos pintores João Correia e Thadeo d' Almeida Furtado. Em 1869, participou na X Exposição Trienal da Academia Portuense de Belas Artes.

Estagiou em Paris (1876-1877) e em Itália (1879). Em 1879 regressou a Portugal. Aureolado de prestígio, foi convidado para ensinar na Academia de Lisboa como mestre de Paisagem. Em 1880 realiza uma exposição de quadros paisagísticos inundados de luz, tendo D. Fernando adquirido o quadro Charneca de Belas. Fez parte do chamado Grupo do Leão, juntamente com António Ramalho, João Vaz, José Malhoa, Cesário Verde, Columbano e Rafael Bordalo Pinheiro. Entre outros galardões, recebeu a medalha de ouro da Exposição Industrial Portuguesa de 1884 e a primeira medalha do Grémio Artístico.

A sua pintura, cheia de luz e cor, é sobretudo inspirada na própria Natureza. É tido como um dos fundadores do naturalismo em Portugal. Encontra-se largamente representado no Museu do Chiado, em Lisboa, e no Museu Nacional de Soares dos Reis no Porto.

Existe uma rua em sua honra, com o seu nome, na freguesia de Paranhos, Porto e o Parque Silva Porto na freguesia de Benfica, Lisboa.

Faleceu de tiflite na Travesa da Estrela, número 10, R/C, freguesia da Encarnação. Era casado com Adelaide Torres Pereira da Silva Porto, tendo deixado três filhos menores.

Obras[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Porto, António Carvalho da Silva (1850-1893)». Museu Nacional de Soares dos Reis. Consultado em 4 de setembro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre António da Silva Porto