António de Brum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António de Brum
Nascimento Funchal
Cidadania Portugal

Antoon De Bruyn (FunchalFaial, depois de 19 de Julho, 1585), chamado de António de Brum, 'o Velho', foi um nobre português e um dos primeiros povoadores da ilha Terceira.

Esta família é de origem flamenga, descendentes de Willem De Bruyn ou Guilherme de Brum, como em Portugal ficou sendo conhecido, o qual nasceu em Maastricht, nessa época parte do Ducado de Brabant, ou em Zeeuws-Vlaanderen que então pertencia a Brugse Vrije no Condado de Flandres[1], e que passou no último quartel do século XV à ilha da Madeira, onde casou e teve geração.

Esta ramificou-se pouco depois em varias ilhas do arquipélago dos Açores, e designadamente para a ilha do Faial onde deu origem aos Brum da Silveira, Terra Brum, Brum do Canto, Cunha Brum.

Na ilha Terceira também os Brum se aparentaram com as suas principais famílias, e designadamente com as dos Bettencourt (Béthencourt), Canto (de Chandos), Carvalhal, Menezes, Noronha, Pereira e Paim (Payne-Montagu).

Willem De Bruyn, casou na ilha da Madeira com D. Violante Vaz Ferreira Pimentel, filha de 'Fernão' Pedro Rodrigues Pimentel e Isabel Ferreira Drummond, neta do fidalgo português Gonçalo Ayres Ferreira e do nobre escocês, John Drummond of Stobhall, um sobrinho da rainha Annabella da Escócia.[1] Willem e Violante foram os pais de:

  1. Antoon De Bruyn, chamado de António de Brum, 'o Velho', nasceu na ilha da Madeira, e casou na ilha do Faial com Barbara van Aetrycke, chamada de Barbara da Silveira/ van der Haegen, filha do nobre flamengo Josse van Aertrycke e neta materna de Willem De Kersemakere. Antoon e Barbara fizeram testamento de mão comum, em 19 de Julho de 1585, na cidade de Ponta Delgada;
  2. Cosme Ferreira De Bruyn ( — c.1592);
  3. Catarina De Bruyn, casou com João van Aertrycke, dito João da Silveira/ van der Haegen, irmão de sua cunhada Barbara.
  4. Caspar De Bruyn; destino ignorado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Nobiliário da ilha Terceira, volume I, de Eduardo de Campos de Castro de Azevedo Soares, edit. Livraria Fernando Machado & Comp. 1944.


  1. a b Claeys, André L. Fr. (2011). Vlamingen op de Azoren sinds de 15de eeuw, Volume II. (PDF). Bruges, Bélgica: [s.n.] pp. 312–313