Antônio Gomes Aguirre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antônio Gomes Aguirre
5.° Governador do Espírito Santo
Período 11 de março de 1891
até 7 de junho de 1891
Antecessor Henrique Coutinho
Sucessor Alfeu Adolfo Monjardim de Andrade e Almeida
Deputado Federal do Espírito Santo
Período 1918 até 1920
Dados pessoais
Nascimento 23 de agosto de 1859
São Mateus, Província do Espírito Santo, Império do Brasil
Morte 10 de junho de 1928 (68 anos)
Vitória, Espírito Santo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Rita Gomes Sodré Aguirre
Pai: José Antônio Aguirre
Cônjuge Florência Gonçalves

Antônio Gomes Aguirre (São Mateus, 23 de agosto de 1859Vitória, 10 de junho de 1928) foi um político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Antônio Aguirre e de Rita Gomes Sodré Aguirre. Passou a infância em São Mateus, mas quando tinha 14 anos sua mãe faleceu, e foi então viver em Vitória com a avó paterna, Rosa Antunes Aguirre, viúva do espanhol José A. Aguirre. Iniciou seus estudos secundários no Ateneu Provincial de Vitória e concluiu-os no Rio de Janeiro, então capital do Império. Matriculou-se na Escola Politécnica, mas logo se transferiu para a Faculdade de Medicina, também no Rio de Janeiro, onde se formou em 1884. Voltou a Vitória, porém em 1886 mudou-se para Cachoeiro de Itapemirim, onde passou a exercer a clínica médica e casou-se com Florência Gonçalves, filha do médico Florêncio Gonçalves.

Abolicionista e republicano, tornou-se um dos mais destacados militantes da campanha republicana. Foi um dos fundadores do primeiro clube republicano do Espírito Santo, no ano de 1887, em Cachoeiro de Itapemirim, e um dos redatores do jornal O Cachoeirano, ligado àquele movimento. Em 1888, no Primeiro Congresso Republicano realizado no Espírito Santo, foi eleito para a comissão incumbida de coordenar a ação dos clubes da província, da qual também fazia parte Afonso Cláudio.

Foi governador do Espírito Santo, de 11 de março a 7 de junho de 1891 e Deputado federal, de 1918 até 1920.

Membro influente e ativo da sociedade capixaba, presente nas mais diversas áreas, foi sócio fundador e presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, tornou-se patrono de uma cadeira na Academia Espírito-Santense de Letras, foi membro da Loja Maçônica União e Progresso e presidente do Clube de Regatas Saldanha da Gama.

Casou-se com Florência Gonçalves e teve uma filha. Faleceu em Vitória em 10 de junho de 1928.[1]

Referências

Precedido por
Henrique Coutinho
Governador do Espírito Santo
1891
Sucedido por
Alfeu Adolfo Monjardim de Andrade e Almeida