Antônio Lopes (treinador de futebol)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Lopes
Informações pessoais
Nome completo Antônio Lopes dos Santos
Data de nasc. 12 de junho de 1941 (76 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Apelido Delegado
Informações profissionais
Equipa atual Botafogo (Gerente de futebol)
Posição Ex-Treinador / Gerente de futebol
(ex-Futebolista)
Clubes de juventude
Rio de Janeiro Olaria
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1958–1961
1962
Brasil Olaria
Brasil Bonsucesso
Times/Equipas que treinou
1980
1981
1981–1983
1983–1985
1985–1986
1986–1987
1987
1988
1988
1988–1989
1989–1990
1990
1991
1992
1993
1993
1994
1994
1995
1995–1996
1996
1996–2000
2000
2000
2002–2003
2004–2005
2005
2005–2006
2006
2006
2007
2008
2009–2010
2010
2010–2011
2011
2011
2013–2014
2014-
Brasil Olaria
Brasil America
Brasil Vasco da Gama
Flag of Kuwait.svg Kuwait
Brasil Vasco da Gama
Brasil Fluminense
Brasil Flamengo
Flag of Côte d'Ivoire.svg Costa do Marfim
Brasil Sport
=Emirados Árabes Unidos Al Wasl FC
Brasil Portuguesa
Portugal Belenenses
Brasil Vasco da Gama
Brasil Internacional
Brasil Santos
Brasil Portuguesa
Brasil Internacional
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Cruzeiro
Paraguai Cerro Porteño
Brasil Paraná
Brasil Vasco da Gama
Brasil Grêmio
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Vasco da Gama
Brasil Coritiba
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Corinthians
Brasil Goiás
Brasil Fluminense
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Vasco da Gama
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Avaí
Brasil Vitória
Brasil América Mineiro
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Atlético Paranaense (gerente de futebol)
Brasil Botafogo (gerente de futebol)

Antônio Lopes dos Santos, mais conhecido apenas como Antônio Lopes (Rio de Janeiro, 12 de junho de 1941) é um treinador, ex-futebolista e também gerente de futebol brasileiro. Atualmente, é gerente de futebol do Botafogo[1].

Jogador[editar | editar código-fonte]

Como jogador, Lopes teve uma carreira curta interrompida pelos estudos. Atuou por apenas dois clubes entre os anos de 1958 e 1962. Nos últimos anos como jogador ele inscreveu-se no curso de Educação Física e como não estava sendo aproveitado no clube em que atuava decidiu encerrar a carreira de jogador e dedicar-se apenas aos estudos.

A carreira na lei[editar | editar código-fonte]

O curso terminou em 1964, mas antes disso Antônio tentou a carreira de detetive. Não por gosto, mas por necessidade de um emprego antes de se firmar no futebol, Antônio acabou por seguir o caminho da lei por mais tempo do que esperava. Meses antes de terminar o curso ele concorreu a uma vaga para detetive e foi nomeado tal. Paralelamente ao trabalho de detetive ele fez o curso de treinador de futebol na UFRJ. Mas como não se contentava com o trabalho de detetive Antônio decidiu fazer o curso de direito para chegar ao posto de delegado. Iniciou o curso e em 1970, obteve o diploma de direito pela Cândido Mendes, subindo imediatamente para o posto de detetive inspetor. Ainda em 1970, Antônio teve a oportunidade de concorrer à vaga de comissário e em 1971 foi nomeado comissário na Praça Tiradentes.

Em 1974 enquanto comissário Antônio recebeu a visita do seu antigo amigo do curso de Educação Física, Hélio Vigio, que na ocasião trabalhava como preparador-físico do Vasco da Gama. Hélio Vigio pediu ao seu amigo Antônio, agora comissário da polícia, para resolver um problema com o carro do goleiro Edgardo Andrada que havia sido apreendido pela polícia. Neste encontro, Hélio Vigio mencionou que o Vasco tinha uma vaga de preparador-físico para trabalhar com Mário Travaglini, perguntando a Antônio se estaria interessado. O convite foi aceito no mesmo momento.

Preparador-físico[editar | editar código-fonte]

Em 1974, após dez anos servindo a lei, Antônio voltou ao mundo do futebol, agora como preparador-físico do Vasco. Permaneceu no clube até 1979, quando foi convidado pela antiga CBD para ser o preparador-físico da Seleção Brasileira de Futebol no Pan-Americano onde acabou por se sagrar campeão do torneio. Quando regressou ao Vasco, a situação do clube no campeonato não era boa, e o então presidente do clube, Agathyrno da Silva Gomes, decidiu demitir todos da comissão técnica, inclusive Antônio, apesar de não ter participado na campanha. Posteriormente, Antônio Lopes veio a saber que o motivo de ter sido demitido foi por ser amigo de Arthur Sendas, dirigente da oposição.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Começo no Rio[editar | editar código-fonte]

Após ter sido demitido do Vasco em 1979, Antônio voltou à delegacia para o seu cargo de comissário. Mas não demorou muito para receber um novo convite do futebol. No fim do ano de 1979, o vice-presidente do Olaria, Carlos Imperial, aconselhado por Ademar Braga, convidou-o para ser treinador principal do clube. Desde então, Antônio Lopes não voltou à carreira de comissário e nunca mais deixou o futebol. Curiosamente, o seu primeiro grande clube como treinador foi o mesmo clube que o demitiu quando ainda era preparador-físico: o Vasco. Em 1981, após se destacar com times modestos, Antônio Lopes recebeu um telefonema do novo presidente do Vasco, Antônio Soares Calçada, para voltar ao clube no cargo de treinador. A partir deste momento, sua carreira subiu e não parou mais.

De grandes clubes a Seleções[editar | editar código-fonte]

Entre 1983 e 1996, Lopes acumulou passagens por grandes clubes do futebol brasileiro, como Flamengo, Fluminense , Atlético Paranaense, Sport, Portuguesa, Internacional, Santos, Cruzeiro e Paraná, além de ter treinado seleções nacionais como Kuwait e Costa do Marfim. Comandou também os seguintes clubes do exterior: Al Wasl FC, dos Emirados Árabes Unidos, Al-Hilal, da Arábia Saudita, e Cerro Porteño, do Paraguai. Na seleção brasileira, como auxiliar-técnico de Felipão, foi pentacampeão em 2002.

Auge no Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Em 1997, teve início o auge de sua carreira. Comandando o Vasco, venceu o Campeonato Brasileiro num time de craques e futuras promessas. Com o título brasileiro, credenciou-se a disputar a Copa Libertadores da América no ano seguinte, e acabou sendo campeão, num título inédito também para o Vasco da Gama, sendo também campeão estadual naquele mesmo ano. Em dezembro de 1998, disputou a final do Mundial Interclubes contra o campeão europeu Real Madrid, mas a equipe acabou derrotada por 2 a 1. No início de 1999, mais um triunfo: o campeonato do Torneio Rio São Paulo diante da equipe do Santos. Em 2003, foi campeão carioca. No segundo jogo da final do Estadual de 2003, tomou uma atitude incorreta ao atirar a bola em Alex Oliveira, do Fluminense, que estava caído, em jogo parado, o que gerou tumulto. Lopes foi expulso, mas isso não prejudicou sua equipe. Depois de vices consecutivos, o Vasco finalmente conseguiu ser campeão estadual, vencendo o Fluminense por 2 a 1, assim como no primeiro jogo da decisão.

Pós-sucesso[editar | editar código-fonte]

Depois de ser reconhecido internacionalmente pelo seu trabalho e pelos títulos que conquistou na sua quarta passagem no Vasco, passou novamente a vagar pelos mais diversos clubes do Brasil. Passagens pelo Grêmio, Atlético Paranaense, Coritiba, Corinthians, Goiás e Fluminense, além de outra passagem pelo Vasco entre 2002 e 2003.

Em junho de 2007, após um ano de inatividade, Antônio Lopes foi convidado a treinar novamente o Atlético-PR para a disputa do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-Americana. Porém, a campanha de Antônio Lopes em seu retorno ao Atlético não foi das melhores, e ele acabou demitido na 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, com um aproveitamento de 33,33%.

Vasco pela sexta vez[editar | editar código-fonte]

Em 2008, ele regressou ao comando do Vasco da Gama pela sexta vez em sua carreira.[2][3] Porém, com a troca da diretoria e após uma derrota para o Coritiba, que marcou também o seu jogo de número 600 no comando do Vasco da Gama,[4] acabou demitido do cargo.[5] No total foram 306 vitórias, 146 empates e 148 derrotas.;[4] durante sua gestão, o Vasco mantinha-se numa região intermediária da tabela; após sua saída, o time despencou para a zona do rebaixamento e acabou rebaixado para a segunda divisão.

Atlético-PR cinco vezes[editar | editar código-fonte]

Em 1 de agosto de 2009, Antônio Lopes foi anunciado como novo treinador do Atlético-PR, após o antigo técnico, Waldemar Lemos, pedir demissão.[6][7] Seu auxiliar-técnico era seu filho, Júnior Lopes.[7]

Mesmo após salvar o Atlético do rebaixamento no Brasileirão de 2009, no dia 9 de março de 2010, durante a disputa do Campeonato Paranaense Antônio Lopes foi demitido do comando do clube.[8][9]

No Avaí[editar | editar código-fonte]

No ano de 2010, Antônio Lopes parte para um novo desafio em um dos estados brasileiros aonde nunca havia atuado anteriormente, Santa Catarina. Após o treinador Péricles Chamusca deixar o comando do Avaí por questões financeiras para atuar no Qatar,[10] Lopes é chamado para ocupar o cargo.[11][12]

Na estreia no comando do Avaí, Antônio Lopes anulou o time do São Paulo em pleno Estádio do Morumbi e o time catarinense venceu o Tricolor Paulista por 2 a 1 num jogo válido pelo Campeonato Brasileiro ocorrido no dia 14 de julho de 2010.[13]

Mas em 20 de setembro do mesmo ano, após uma queda vertiginosa do rendimento no Campeonato Brasileiro, Lopes foi demitido do cargo de treinador.[14][15]

Vitória[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de outubro, assinou com o Vitória.[16] Apesar do rebaixamento do clube baiano, o seu contrato foi renovado até dezembro de 2011.[17]

Entretanto, após a derrota por 2-1 para o Bahia de Feira na final do Campeonato Baiano de 2011, em 15 de maio, dentro do Barradão, resultando na perda do pentacampeonato baiano, foi demitido com um retrospecto de 14 vitórias em 22 jogos pelo clube, somando 63,6% de aproveitamento.[18]

América-MG[editar | editar código-fonte]

Em 12 de julho de 2011, Antônio Lopes foi confirmado como o novo treinador do América Mineiro,[19] porém no dia 1 de agosto pediu demissão depois de apenas 4 partidas, alegando motivos pessoais.

Volta ao Furacão[editar | editar código-fonte]

Na madrugada do dia 2 de Setembro de 2011, Antônio Lopes foi anunciado como o novo treinador do Atlético-PR em substituição a Renato Gaúcho, demitido no dia anterior. O Furacão lutou até a última rodada, mas acabou rebaixado para a Série B, o que culminou na demissão do treinador. Essa foi a quinta passagem de Lopes pelo clube paranaense.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Atlético-PR 100 36 31 33
Corinthians 46 31 1 14
Goiás 11 3 2 6
Santos 23 13 5 5
Fluminense 50 22 16 12
Flamengo 40 24 9 7
Vasco da Gama 600 306 146 148
Avaí 18 5 5 8
Vitória 34 16 10 8
América-MG 4 0 2 2

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Olaria

Como preparador físico[editar | editar código-fonte]

Vasco da Gama
Seleção brasileira

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Corinthians

Vasco da Gama
Sport
Internacional
Paraná
Coritiba

Como coordenador-técnico[editar | editar código-fonte]

Seleção brasileira

Referências

  1. «Antônio Lopes é anunciado como novo gerente de futebol do Botafogo». GloboEsporte.com. 27 de dezembro de 2014. Consultado em 28 de dezembro de 2014 
  2. LAVINAS, Thiago (31 de março de 2008). «Antônio Lopes está de volta ao Vasco». GloboEsporte.com. Consultado em 8 de Abril de 2008 
  3. «António Lopes regressa pela sexta vez ao Vasco». Ojogo.pt. Consultado em 8 de abril de 2008 
  4. a b IANNACCA, Márcio (5 de agosto de 2008). «Antônio Lopes completa 600 jogos no comando do Vasco». GloboEsporte.com. Consultado em 10 de Agosto de 2008 
  5. «Após derrota, Antônio Lopes não é mais o técnico do Vasco». Estadão.com. Consultado em 7 de agosto de 2008 
  6. «Atlético-PR acerta com Antônio Lopes». GloboEsporte.com. 1 de agosto de 2009 
  7. a b «Delegado Antonio Lopes é o novo Técnico». Atleticoparanaense.com. 1 de agosto de 2009 
  8. «Atlético-PR demite Antônio Lopes». GloboEsporte.com. Consultado em 9 de março de 2010 
  9. Esportes Terra. «Antônio Lopes não é mais técnico do Atlético-PR». Esportes.terra.com.br. Consultado em 9 de março de 2010 
  10. «Futebol SC - Péricles Chamusca vai para o futebol árabe». UOL.com 
  11. «Antônio Lopes é o novo técnico do Avaí». Gaz.com.br 
  12. «ClicRBS - Antônio Lopes é o novo treinador do Avaí». Clicrbs.com.br 
  13. PRADO, Marcelo (14 de julho de 2010). «Na estreia de Lopes, Avaí anula o São Paulo e vence dentro do Morumbi». GloboEsporte.com. Consultado em 15 de julho de 2010 
  14. «Avaí FC - Antonio Lopes não é mais o técnico do Avaí». Avai.com.br 
  15. «ClicRBS - Antônio Lopes não é mais treinador do Avaí». Clicrbs.com.br 
  16. «Antônio Lopes acerta com o Vitória». Lancenet.com.br. 7 de outubro de 2010. Consultado em 7 de outubro de 2010 
  17. «Antônio Lopes fica mais um ano no Vitória». Terra.com. 8 de dezembro de 2010. Consultado em 25 de janeiro de 2011 
  18. «Antônio Lopes não é mais técnico do Vitória». GloboEsporte.com. 16 de maio de 2011. Consultado em 17 de maio de 2011 
  19. «Antônio Lopes é confirmado como o novo técnico do América-MG». GloboEsporte.com. Consultado em 12 de julho de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Zagallo
Edu Coimbra
Zagallo
Alcir Portella
Evaristo de Macedo
Alfredo Sampaio
Rio de Janeiro Técnico do Vasco da Gama
1981–1983
1985–1986
1991
1996–2000
2002–2003
2008
Sucedido por
Zanata
Cláudio Garcia
Nelsinho Rosa
Abel Braga
Mauro Galvão
Tita
Precedido por
Carlinhos
Rio de Janeiro Técnico do Flamengo
1987
Sucedido por
Carlinhos
Precedido por
Jair Pereira
Minas Gerais Técnico do Cruzeiro
1995
Sucedido por
Levir Culpi
Precedido por
Arthur Neto
Edinho
Vadão
Waldemar Lemos
Renato Gaúcho
Paraná Técnico do Atlético-PR
2000
2005
2007
2009–2010
2011
Sucedido por
Paulo César Carpeggiani
Evaristo de Macedo
Ney Franco
Leandro Niehues
Juan Ramón Carrasco
Precedido por
Paulo Bonamigo
Paraná Técnico do Coritiba
2003–2004
Sucedido por
Cuca
Precedido por
Péricles Chamusca
Santa Catarina Técnico do Avaí
2010
Sucedido por
Vágner Benazzi
Precedido por
Ricardo Silva (interino)
Bahia Técnico do Vitória
2010–2011
Sucedido por
Ricardo Silva (interino)
Precedido por
Mauro Fernandes
Minas Gerais Técnico do América-MG
2011
Sucedido por
Givanildo Oliveira