Antônio Maria Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Antônio Maria Coelho, primeiro e único barão do Amambaí[1], (Cuiabá, 8 de setembro de 1827Corumbá, 29 de agosto de 1894) foi um militar e político brasileiro, chegando à patente de marechal.

Adquiriu grande prestígio no Império após sua destacada atuação durante a Guerra do Paraguai, no histórico episódio de 13 de junho de 1867, conhecido como a Retomada de Corumbá, renome que lhe garantiu o cargo de primeiro governador do Mato Grosso após a proclamação da República. É dele a autoria da atual bandeira de Mato Grosso.

Foi um dos signatários do Manifesto dos 13 generais contra Floriano Peixoto.

Títulos nobiliárquicos[editar | editar código-fonte]

Barão do Amambaí

Título conferido por decreto imperial em 28 de agosto de 1889. Faz referência ao rio sul-mato-grossense na região de Amambai, onde o nobre atuou durante a Guerra do Paraguai. Em tupi significa rio das samambaias.

Observações[editar | editar código-fonte]

  • Em algumas obras o nome do título consta como barão do Amambaí.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Ernesto Augusto da Cunha Matos
Presidente do Estado de Mato Grosso
18891891
Sucedido por
Frederico Sólon de Sampaio Ribeiro


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.