Antônio Pais de Barros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o governador de Mato Grosso, veja Antônio Pais de Barros (político).
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Antônio Pais de Barros
Nascimento 4 de março de 1791
São Paulo, (SP)
Morte 11 de outubro de 1876 (85 anos)
São Paulo, (SP)
Nacionalidade Brasil
Ocupação fazendeiro, cafeicultor, político
Armas do barão de Piracicaba, as mesmas da família Barros.

Antônio Pais de Barros, primeiro barão de Piracicaba, (São Paulo, 4 de março de 1791 — São Paulo, 11 de outubro de 1876) foi um fazendeiro e nobre brasileiro.

Filho do minerador Antônio de Barros Penteado, da família Pais de Barros, e de Maria de Paula Machado, da família Jorge Velho. Na década de 1810, introduziu a cultura do café no Estado de São Paulo, e tornou-se político influente, sendo eleito deputado para as Cortes gerais de Lisboa em 1821. Em 1819 se casou com Gertrudes Eufrosina Aires de Aguiar, irmã do brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, e no mesmo ano seu irmão Bento, futuro barão de Itu, se casava com Leonarda, irmã de Gertrudes.

O barão teve seis filhos: Maria Rafaela Pais de Barros (1827-1895), Rafael Tobias de Barros, segundo barão de Piracicaba (1830-1898), Gabriela Pais de Barros, Antônia Pais de Barros, a marquesa de Itu (1838-1917), senador Antônio Pais de Barros (1840-1909) e o major Diogo Antônio de Barros (1844-1888), de quem foi sócio na primeira fábrica de tecidos de São Paulo.

Recebeu o título de barão de Piracicaba em 2 de dezembro de 1854.

Ele e sua família estão sepultados no Cemitério da Consolação.

Ver também[editar | editar código-fonte]