Antônio Patiño

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Antônio Patiño
Nascimento 14 de outubro de 1929
Santos, SP
Morte 1 de setembro de 2014 (84 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação ator e dublador
Período de atividade 1959 - 1998

Antônio Patiño (Santos, 14 de outubro de 1929Rio de Janeiro, 1 de setembro de 2014) foi um ator e dublador brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira como ator em 1959 no filme Um Caso de Polícia, depois fez A Grande Feira em 1961, 22-2000 Cidade Aberta em 1965, Cuidado, Espião Brasileiro Em Ação, Paraíba, Vida e Morte de Um Bandido e 007 1/2 no Carnaval em 1966, Os Viciados, Jovens Para Frente e A Noite do Meu Bem em 1968, A Um Pulo da Morte em 1969, Memórias de Um Gigolô em 1970, André, a Cara e a Coragem e Rua Descalça em 1971, Independência ou Morte em 1972, Deixa, Amorzinho... Deixa e Intimidade em 1975.

Um fato curioso é que boa parte dos filmes aonde Antônio atuou foram feitos pela Herbert Richers, empresa na qual trabalhava com dublagem desde o início dos anos de 1960.

Começou a atuar em novelas na TV Tupi em 1969 em Um Gosto Amargo de Festa.No mesmo ano foi para a Rede Globo aonde fez a novela A Última Valsa, depois fez Selva de Pedra em 1972, O Semideus em 1973, Corrida do Ouro em 1974, Bravo! em 1975, Estúpido Cupido em 1976, Dona Xepa e Sinhazinha Flô em 1977, Maria, Maria, Gina e Pecado Rasgado em 1978, Marina em 1980, O Amor É Nosso em 1981 e Sétimo Sentido em 1982.

Além de novelas também participou dos Teleteatros da TV Tupi nos anos de 1960.

Em programas humorísticos dublou Bruce Kane interpretado por Chico Anysio em Bruce Kane em 1982

Antônio se afastou da dublagem por volta de 1995, depois do falecimento de sua esposa. Chegou a retornar a profissão, mas meses depois da morte da esposa, o filho morre em um acidente de carro, e Antônio fica muito abalado e se afasta de vez da profissão e Jomeri Pazzoli começou a dublar os personagens que foram dublados por Patiño.

Antônio teve uma história de mais de 30 anos na dublagem, marcando a voz de diversos personagens em filmes, séries e desenhos, sempre com um profissionalismo e uma maestria única.

Morte[editar | editar código-fonte]

Depois de vários anos com diversos problemas de saúde, e fazendo hemodiálise há anos, Antônio Patiño morreu em 1 de setembro de 2014, aos 84 anos.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Personagens dublados em séries e filmes[editar | editar código-fonte]

Personagens dublados em desenhos animados[editar | editar código-fonte]

Como ator[editar | editar código-fonte]

Televisão 
Cinema

Referências

  1. «Falece o dublador Antônio Patiño». 5 de setembro de 2014. Consultado em 16 de junho de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.