Antônio Tomás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antônio Tomás
Nascimento 14 de setembro de 1868
Acaraú
Morte 16 de julho de 1941 (72 anos)
Fortaleza
Cidadania Brasil
Ocupação escritor, poeta, sacerdote
Prêmios Academia Cearense de Letras, Príncipe dos Poetas Cearenses
Religião Igreja Católica

Padre Antônio Tomás (Acaraú, 14 de setembro de 1868Fortaleza, 16 de julho de 1941) foi um pároco, poeta e escritor, o primeiro Príncipe dos Poetas Cearenses.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na cidade de Acaraú, Ceará, a 14 de setembro de 1868. Filho do professor Gil Tomás Lourenço e dona Francisca Laurinda da Frota. Cursou latim e francês em Sobral, e concluiu seus estudos no Seminário de Fortaleza,[3] onde foi ordenado sacerdote, em 1891.

Esteve longos anos a serviço da Igreja Católica, em paróquias do interior cearense, notadamente como vigário de sua terra natal, levando vida modesta e apagada, dedicado a sua missão, escrevendo versos e cuidando de sua paróquia. Exerceu o paroquiato durante trinta anos, tendo sido vigário de Trairi e de Acaraú, de 1892 a 1924, quando por motivo de saúde, deixou o exercício do múnus paroquial, a que dedicara todas as reservas da sua atividade apostólica.[4]

Iniciou-se na publicação de seus sonetos, no ano de 1901, quando o Almanaque do Ceará, daquele ano, publicou o soneto Post-Laborem. Escreveu dezenas de sonetos que eram levados à imprensa pelos amigos, já que na sua humildade e timidez procurava fugir à publicidade. Recebeu, entretanto, ainda em vida, consagração popular, sendo eleito, Príncipe dos Poetas Cearenses, num pleito realizado pela revista Ceará Ilustrado, em 1925. Está classificado entre os maiores sonetistas brasileiros, gênero a que mais se dedicou, escrevendo também composições de feição e ritmos variados, caracterizando-se por sua independência em relação a qualquer movimento ou escola literária.[5][6]

Foi membro da Academia Cearense de Letras e, em 1919, eleito sócio do Instituto do Ceará. Faleceu em Fortaleza, a 16 de julho de 1941, sendo sepultado no dia seguinte, na Igreja Matriz da Cidade de Santana do Acaraú, Ceará.[7][8][9]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Uma escola em Acaraú foi nomeada em homenagem ao padre.[10]
  • Uma importante avenida de Fortaleza têm o nome do religioso.[11]
  • Reconhecidamente um dos maiores sonetistas de seu tempo, parte de sua obra foi reunida em livro.[12]

Referências

  1. Poesia, Jornal da. «Jornal de Poesia - Padre Antônio Tomás». www.jornaldepoesia.jor.br. Consultado em 3 de setembro de 2018 
  2. «Casa do Padre Antonio Tomás – Acaraú». Coisa de Cearense. 13 de janeiro de 2017 
  3. Jornal de Poesia - Padre Antônio Thomaz [1]
  4. Variedades. [S.l.]: EDIPUCRS. ISBN 9788574307787 
  5. «(Padre Antonio Tomás - Ceará - 1868-1941)». Pensador 
  6. «Sonetos de Padre Antônio Tomaz - Caderno 3 - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 3 de setembro de 2018 
  7. Almanaque poético de uma cidade do interior [2] Arquivado em 3 de março de 2016, no Wayback Machine.
  8. Cascudo, Luís da Câmara (4 de setembro de 2015). Jangada: Uma pesquisa etnográfica. [S.l.]: Global Editora. ISBN 9788526017283 
  9. Aquino, Renato (2007). Gramatica Objetiva Da Lingua Portuguesa. [S.l.]: CAMPUS - RJ. ISBN 9788535223415 
  10. escolas. «Escola - CEJA Padre Antonio Tomas - Acaraú - CE». Escol.as. Consultado em 3 de setembro de 2018 
  11. «Avenida Padre Antônio Tomás - até 2534/2535, Aldeota - Fortaleza CE - CEP 60140-160». www.consultarcep.com.br. Consultado em 3 de setembro de 2018 
  12. «PADRE ANTONIO TOMAZ – Príncipe dos Poetas Cearenses». Página 20.net. 17 de abril de 2016 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FREITAS, Vicente. Almanaque poético de uma cidade do interior. Fortaleza: Edição do Autor, 2004.
  • RAMOS, Dinorá Tomaz. Padre Antônio Tomas - Príncipe dos Poetas Cearenses. Fortaleza: Paulina Editora, 1950.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.