Antenor Mourão Bogéa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o diplomata e compositor brasileiro, filho deste, veja Antenor Bogéa.
Antenor Bogéa
Replace this image male.png
Antenor Bogéa
Prefeito de Grajaú
Período 19301931
Deputado federal do Maranhão
Período 19461955
Dados pessoais
Nascimento 8 de outubro de 1909
Grajaú, MA
Morte 4 de setembro de 1997 (87 anos)
Brasília, DF
Alma mater Universidade Federal do Maranhão
Cônjuge Francisca Bogéa
Partido UDN (1945–1954)
PDC (1954–1965)
Profissão advogado

Antenor Américo Mourão Bogéa, ou apenas Antenor Bogéa, (Grajaú, 8 de outubro de 1909Brasília, 4 de setembro de 1997) é um advogado, professor e político brasileiro que foi deputado federal pelo Maranhão.[1][2]

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Filho de Abraão Fernandes Bogéa e Francelina Mourão Bogéa. Advogado diplomado em 1932 pela Faculdade de Direito de São Luís, foi auxiliar de gabinete da Junta Governativa Maranhense que chegou ao poder após a Revolução de 1930 e logo a seguir interrompeu sua graduação ao ser nomeado prefeito de Grajaú pelo interventor José Luso Torres em novembro do referido ano e exerceu a cargo até abril de 1931 quando regressou aos bancos universitários. Em 1933 assumiu o cargo de promotor de justiça em Grajaú.[1][nota 1]

Em 1940 foi transferido para São Luís. Na capital maranhense ficou ao dispor da Procuradoria-Geral do Estado, dirigiu a divisão de imprensa do Departamento Estadual de Imprensa e Obras Gráficas, foi delegado auxiliar da Polícia Civil e chefe interino de polícia do estado no primeiro trimestre de 1943, além de secretário particular do interventor Paulo Ramos e diretor do Serviço de Defesa Civil do estado. Catedrático da Faculdade de Direito de São Luís em 1944, exerceu a função de fiscal do estado para os serviços de infraestrutura (água, esgotos, luz, tração) e prensa de algodão e foi chefe de gabinete da interventoria.[1]

Eleito deputado federal pela UDN em 1945 e 1950, ajudou a escrever a Constituição de 1946.[3] Relegado à suplência nas duas eleições seguintes, voltou à Faculdade de Direito de São Luís. Em 1959 foi eleito presidente da seccional maranhense da Ordem dos Advogados do Brasil, posição à qual seria reconduzido mais de uma vez ao longo dos anos.[4] Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão e da Academia Maranhense de Letras, foi candidato a senador pelo PDC em 1962 e a vice-governador na chapa de Costa Rodrigues em 1965, mas foi derrotado nos dois casos, sendo que em 1965 José Sarney foi eleito governador. Abandonando a vida política integrou o conselho diretor da Faculdade de Direito de São Luís.[nota 2][nota 3]

Aposentado como procurador do Estado, tornou-se membro da Associação Internacional de Direito Penal em 1969. Nomeado para uma cadeira no corpo diretor da Universidade Federal do Maranhão em 1972 pelo presidente Emílio Garrastazu Médici, aposentou-se na referida instituição e foi membro do Conselho Estadual de Cultura no governo Osvaldo Nunes Freire.[nota 4][5]

Pai do diplomata e compositor Antenor Bogéa e primo do político Raimundo Bogéa.

Notas

  1. A Junta Governativa Maranhense de 1930 era composta por José Maria dos Reis Perdigão, José Ribamar Campos e Celso Reis de Freitas.
  2. Seu ingresso no PDC aconteceu em 1954 na primeira de suas frustradas tentativas de renovar o mandato como deputado federal.
  3. Aos que possam estranhar tal fato, Antenor Bogéa foi candidato a senador e a deputado federal em 1962 graças ao artifício legal da "candidatura múltipla" a qual foi extinta pelo Regime Militar de 1964.
  4. A Universidade Federal do Maranhão foi criada em 1966 como sucessora das instituições que a antecederam como a Faculdade de Direito de São Luís.

Referências