Antidepressivo tricíclico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Estrutura química da Amitriptilina, um antidepressivo tricíclico

Os Antidepressivos tricíclicos são uma classe de fármacos usados no tratamento sintomático da depressão e outras síndromes depressivas. Eles têm esse nome devido a presença de três anéis de átomos.[1]

Farmacologia:[editar | editar código-fonte]

Os antidepressivos tricíclicos são quimicamente relacionados com a fenotiazinas.

Eles bloqueiam os transportadores membranares dos neurónios pré-sinapticos que recolhem monoaminas neurotransmissoras do exterior (ou seja, da sinapse) e portanto maximizam a duração da sua ação nos neurónios pós-sinápticos, ao permitir que atuem na biofase durante mais tempo. A maioria dos tricíclicos bloqueia os transportadores de noradrenalina e serotonina.[2]

Usos clínicos:[editar | editar código-fonte]

Os tricíclicos são usados no tratamento da depressão crônica ou profunda, e das fases depressivas na doença bipolar. Também usados no tratamento de dor neuropática (dor por disfunção nos neurônios das vias da dor) que não responde a opióides. Uma vez que os tricíclicos possuem efeito antiálgico, permitem que doses menores de Analgésico sejam empregadas. A analgesia possivelmente é oriunda de mudanças na concentração central de monoaminas, particularmente a serotonina, além do efeito direto ou indireto dos antidepressivos nos sistemas opióides endógenos.

O mecanismo de ação envolvido na Incontinência urinária possivelmente relaciona-se à atividade anticolinérgica, resultando no aumento da capacidade vesical, com estimulação direta beta-adrenérgica e atividade agonista alfa-adrenérgica, resultando em aumento do tônus esfincteriano e também por bloqueio central da recaptação.

Na Úlcera péptica, os tricíclicos reduzem a dor e contribuem na cicatrização completa uma vez que bloqueiam os receptores H2 da histamina nas células parietais e pelo efeito anticolinérgico.[3]

Efeitos colaterais:[editar | editar código-fonte]

  • disfunção sexual
  • tremor

Superdose:[editar | editar código-fonte]

Em overdose provocam:

Interações:[editar | editar código-fonte]

O seu metabolismo é aumentado, por vezes de forma perigosa, pela toma de aspirina, fenilbutazona e Esteróides.

Aumentam fortemente os efeitos do Álcool, raramente resultando em morte por parada respiratória.[8]

Exemplos de antidepressores tricíclicos:[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Antidepressor

Referências:[editar | editar código-fonte]

  1. «antidepressant». Encyclopedia Britannica 
  2. «List of Tricyclic antidepressants - Drugs.com». www.drugs.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  3. «tricyclic antidepressants». TheFreeDictionary.com 
  4. «tricyclic antidepressants». TheFreeDictionary.com 
  5. «Overdose Lawyer Drug Overdose Lawsuit Tricyclic Antidepressant». overdoselaw.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  6. «Overdose Lawyer Drug Overdose Lawsuit Tricyclic Antidepressant». overdoselaw.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  7. «Antidepressivos». consultoriodamente.com. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  8. Moreno, Ricardo Alberto; Doris Hupfeld (1 de maio de 1999). «Psicofarmacologia de antidepressivos». Revista Brasileira de Psiquiatria. 21: 24–40. doi:10.1590/S1516-44461999000500006. ISSN 1516-4446