Antonio Brito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o Deputado Federal pela Bahia. Para o artigo sobre o ex-Governador do Rio Grande do Sul, veja Antônio Britto.
Antonio Brito
Deputado Federal Antonio Brito
Deputado federal da Bahia Bahia
Período 1 de fevereiro de 2011
até a atualidade (3 mandatos consecutivos)
Secretário do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão de Salvador
Período 2009 a 2010
Prefeito João Henrique
Dados pessoais
Nascimento 17 de janeiro de 1969 (50 anos)
Salvador, BA
Alma mater Faculdade de Salvador
Cônjuge Leila Iossef de Brito
Partido PTB (1999-2016)
PSD (2016- atualmente)
Profissão Administrador de empresas
linkWP:PPO#Política

Antonio Luiz Paranhos Ribeiro Leite de Brito, ou simplesmente Antonio Brito (Salvador, 17 de janeiro de 1969) é um administrador de empresas e político brasileiro, ex-presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e, atualmente, Deputado Federal pelo Estado da Bahia, eleito pelo PSD.

É filho do ex-prefeito, consagrado jurista e atual vereador de Salvador, Edvaldo Brito.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Antonio Brito graduou-se em Administração de Empresas pela Faculdade de Salvador em 1990, com especialização lato sensu em Auditoria Econômica e Financeira pela Universidade Gama Filho em 1993. Desde a década de 90, integrou os conselhos gestores de diversas instituições governamentais e também a diretoria de diversos órgãos representativos das Santas Casas e hospitais filantrópicos: Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social de Salvador (1996-2000); Presidente do Sindicato das Santas Casas e Entidades Filantrópicas da Bahia (1999-2002); Presidente do Conselho Nacional de Assistência Social (2001-2003); Membro do Conselho Universitário da Universidade Federal da Bahia (2003-2005); Membro do Conselho de Gestão das Organizações Sociais da Bahia (2004-2006); Presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas da Bahia (2004-2010); Membro do Conselho Estadual de Saúde da Bahia (2005-2008); Presidente da Confederação Nacional das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (2005-2011); Membro do Conselho Municipal de Saúde de Salvador (2006-2008); Membro do Conselho Nacional de Saúde (2008); Presidente da Confederação Internacional das Misericórdias (2012-2015). Entre 2009 e 2010 assumiu a Secretaria do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão da Prefeitura de Salvador. Em 2010 elegeu-se Deputado Federal pelo PTB, alcançando a reeleição em 2014.[1] Em Março de 2016, Antonio Brito e seu pai, ex-prefeito e atual vereador de Salvador Edvaldo Brito, anunciaram que estavam ingressando no PSD.[2]. Como deputado federal, foi eleito por duas vezes presidente da Comissão de Seguridade Social e Família (2015 e 2019), segunda maior Comissão da Câmara em número de deputados.

Atividades Parlamentares (legislatura 2019/23)[editar | editar código-fonte]

Obs: Estão listadas apenas as atividades onde o parlamentar foi titular (atualizado em 18 de junho de 2019):

  • Comissão de Seguridade Social e Família: 3 de março de 2015 - 2 de fevereiro de 2016 (Presidente);
  • Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional: 3 de março de 2015 - 9 de abril de 2015;
  • Comissão de Seguridade Social e Família: 13 de março de 2019 - (Presidente), ainda no mandato;
  • Frente Parlamentar das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas: (Presidente), ainda no mandato;
  • Frente Parlamentar de Luta Contra a Tuberculose: (Presidente), ainda no mandato;
  • Grupo Parlamentar Brasil-Portugal: (Presidente), ainda no mandato;

Denúncia da Odebrecht[editar | editar código-fonte]

Matéria publicada no G1 indica que o deputado teria, em 2010, recebido R$100.000,00 da Odebrecht para sua campanha, no sistema de pagamento informatizado da construtora ele teria o codinome de "Misericórdia".[3] No entanto, após abertura de inquérito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e mais de um ano de investigação, o Ministério Público concluiu pelo arquivamento da denúncia, em virtude da inexistência de prova material do recebimento de recursos não contabilizados pela empresa na campanha eleitoral de 2010. [4] [5] [6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Antonio Brito no portal da Câmara
  2. Edvaldo e Antônio Brito trocam PTB por PSD
  3. G1Redação (12 de maio de 2017). «Delação da Odebrecht». G1. Consultado em 25 de junho de 2019 
  4. Correio (14 de outubro de 2018). «Não responde a nenhum processo». Correio 
  5. PoliticaLivre (01 de outubro de 2018). «Justiça Eleitoral arquiva inquérito contra Antonio Brito». PoliticaLivre  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. BahiaNoticias (01 de outubro de 2018). «Justiça Eleitoral arquiva inquérito contra Antonio Brito». BahiaNoticias  Verifique data em: |data= (ajuda)