Antonio Carlos Robert Moraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Antonio Carlos Robert Moraes (Poços de Caldas, 7 de junho de 1954 - 16 de julho de 2015) foi um geógrafo brasileiro.


Bacharel em geografia (1977) e ciências sociais (1979) pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), onde realizou mestrado (1983), doutorado (1991) e livre-docência (2000). Obteve seu doutorado em Geografia Humana na Universidade de São Paulo[1] , onde posteriormente seria professor titular do Departamento de Geografia e coordenador do Laboratório de Geografia Política. Foi professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (1978-1982) e ministrou cursos em várias universidades do país e do exterior, entre elas a Universidade de Buenos Aires (Argentina), a Unam (México), a Universidade Nacional da Colômbia e a Universidade de Cádiz (Espanha). Estagiou no Instituto Nacional de Investigação Científica de Portugal (1986) e participou de vários convênios bilaterais (o último com o Credal e o Iheal, na França). Presidia a banca de geografia do concurso de ingresso na carreira de diplomata do Instituto Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores. Foi agraciado com a Ordem do Rio Branco.

Elaborou para o governo brasileiro a metodologia de vários programas de política ambiental e de ordenamento territorial, notadamente interessando-se pelas áreas costeiras (entre outros o Gerco, o Projeto Orla Marítima e a Agenda Ambiental Portuária). Foi consultor do Programa de Gestão da Zona Costeira de Moçambique. Participou da elaboração do Programa Global de Ação para o Controle de Poluição Marinha do CDS-ONU.

Publicou vários livros na área da geografia histórica e política.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Antonio Carlos Robert Moraes (currículo)