Antonio Saturnino de Mendonça Junior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antonio Saturnino de Mendonça Junior
Nascimento 8 de março de 1908
Morte 23 de outubro de 1985 (77 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação escritor, político

Antonio Saturnino de Mendonça Junior, ou A. S. de Mendonça Jr. como assinava seus livros, (Matriz de Camaragibe, 8 de março de 1908 - Rio de Janeiro, 23 de outubro de 1985) foi um escritor e político brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu no Engenho Maranhão, em Matriz de Camaragibe,[1] filho de Antonio Saturnino de Mendonça e Estefânia Braga de Mendonça.[2] Estudou primeiras letras no Colégio 15 de Março do professor Agnelo Barbosa, cursando depois Direito nas universidades federais do Recife e de Niterói. Foi promotor público em Rio Novo e Carangola, no estado de Minas Gerais, antes de retornar a Alagoas e dedicar-se à atividade política, ao jornalismo e à literatura.[3]

Casado com Cloripes Matos Mendonça, foi pai do também deputado federal Antonio Saturnino de Mendonça Neto.[4]

Participou da fundação do Partido Social Democrático (PSD) em Alagoas, de que foi representante na Câmara dos Deputados, entre 1950 e 1958, apoiando os governos de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, e notabilizou-se na literatura por sua lírica amorosa e por poemas e crônicas dedicados à paisagem e à humanidade da terra natal: lagoas, praias, rios, figuras populares, engenhos de fogo morto do Vale do Camaragibe.

Maria Heloisa Melo de Moraes publicou o livro "Itinerário geográfico-poético de Mendonça Jr." que aborda o obra do autor.[5] Na década de 20, ajudou a difundir o Modernismo em Alagoas, organizando a Festa da Arte Nova, e está presente, entre outras antologias, na "Coletânea de poetas alagoanos" de Romeu de Avelar.[6]

Presidiu a Academia Alagoana de Letras, eleito em 1958 e reeleito nos três anos seguintes, até 1961, quando foi sucedido por Jaime de Altavila.[7] Também em seu estado natal, foi professor da Faculdade de Direito, membro do Instituto Histórico e presidente da Caixa Econômica Federal.[8]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O que eu queria dizer ao seu ouvido (Maceió, 1946)[9] - com soneto musicado por Hekel Tavares, que mereceu gravações de Hebe Camargo e Jorge Fernandes, no Rio de Janeiro, e, em Lisboa, integra o CD "Xodó : canções brasileiras para não esquecer".[10]
  • Jornal da província (Maceió, 1948)
  • Jornal de Alagoas (Maceió, 1949)
  • Discursos parlamentares (Maceió, 1959)
  • Planície (Maceió, 1961)
  • Dinheiro e mulher bonita (Maceió, 1964)[11]
  • Poemas fora da moda (Rio de Janeiro, 1971)[12]
  • Marcha Nupcial (Rio de Janeiro, 1977)
  • O anel de brilhante e outras histórias (Brasília,1979)[13][14]
  • Tempo de falar (Maceió, 1983)[15]
  • O último senhor de engenho ( Maceió, 1987, edição póstuma da editora da Universidade Federal de Alagoas)[16]
  • De rerus pluribus (Maceió, 1995, edição póstuma da editora da Universidade Federal de Alagoas, reunindo crônicas publicadas no Gazeta de Alagoas e escritas também por Carlos Moliterno, Teotônio Vilela e Théo Brandão, sob a assinatura coletiva de Juvenal)

Referências

  1. a b Douglas Apratto Tenório (jan/jun 2011). «Os Caminhos do Açúcar em Alagoas: do banguê à usina, do escravo ao bóia-fria» (PDF). Incelências, Núcleo de Programas de Pesquisa / Centro Universitário CESMAC. - Maceió, pág. 24, nota 24. Consultado em março de 2012  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)[ligação inativa]
  2. Aparício Fernandes (1976). Anuário de poetas do Brasil: Volume 1. [S.l.: s.n.] 
  3. Romeu de Avelar (1959). Coletânea de poetas alagoanos. [S.l.: s.n.] 286 páginas 
  4. Institucional. «Conheça os Deputados: Mendonça Neto». Sítio oficial da Câmara dos Deputados. Consultado em 1 de março de 2012 
  5. http://www.edufal.com.br/2008/index.php?pagina=detalhes&id_prod=11480&id_categ=3[ligação inativa]
  6. Coletânea de poetas alagoanos - Romeu de Avelar - Editora Rua da Quintana, 1959
  7. «Cópia arquivada» (PDF). Consultado em 2 de março de 2012. Arquivado do original (PDF) em 27 de março de 2014 
  8. http://www.aeaal.com/simposio/video/discurso_francisco.doc[ligação inativa]
  9. http://www.estantevirtual.com.br/seboopcaobh/A-S-de-Mendonca-Junior-O-Que-Eu-Queria-Dizer-ao-Seu-Ouvido-21449865[ligação inativa]
  10. http://fonoteca.cm-lisboa.pt/cgi-bin/info3.pl?24637&CD&0
  11. http://www.estantevirtual.com.br/cidadedasletras/A-S-de-Mendonca-Junior-Dinheiro-e-Mulher-Bonita-Cronicas-35171815
  12. http://www.estantevirtual.com.br/academiadosaber2/A-S-de-Mendonca-Junior-Poemas-Fora-da-Moda-41207752
  13. http://www.estantevirtual.com.br/rosariumlivrariavirtual/A-S-de-Mendonca-Junior-O-Anel-de-Brilhantes-e-Outras-Estorias-25640193
  14. http://books.google.pt/books/about/O_Anel_de_brilhante_e_outras_estorias.html?id=6FW9ZwEACAAJ&redir_esc=y
  15. http://www.estantevirtual.com.br/armazemdolivrousado/A-S-de-Mendonca-Junior-Tempo-de-Falar-Discursos-e-Conferencias-31473644
  16. http://www.estantevirtual.com.br/rumonovo/A-S-de-Mendonca-Junior-O-ultimo-Senhor-de-Engenho-55998447[ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]