Antonmaria Sauli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antonmaria Sauli
Cardeal da Igreja Católica
Deão do Colégio dos Cardeais

Título

Cardeal-bispo de Óstia-Velletri
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 6 de abril de 1620
Predecessor Antonio Maria Galli
Sucessor Francesco Maria Bourbon del Monte Santa Maria
Mandato 1620 - 1623
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 27 de novembro de 1585
Ordenação episcopal 24 de fevereiro de 1586
por Dom Domenico Cardeal Pinelli
Nomeado arcebispo 27 de novembro de 1585
Cardinalato
Criação 18 de dezembro de 1587
por Papa Sisto V
Ordem Cardeal-presbítero (1587-1607)
Cardeal-bispo (1607-1623)
Título Santos Vital, Valéria, Gervásio e Protásio (1588-1591)
Santo Estêvão no Monte Celio (1591-1603)
Santa Maria em Trastevere (1603-1607)
Albano (1607-1611)
Sabina (1611-1615)
Porto-Santa Rufina (1615-1620)
Óstia-Velletri (1620-1623)
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag of Genoa.svg Gênova
1541
Morte Estados Papais Roma
24 de agosto de 1623 (82 anos)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Antonmaria Sauli (ou Antonio Maria Sauli) (1541 - 24 de agosto de 1623) foi um arcebispo de Génova e cardeal italiano, decano do Colégio dos Cardeais nos últimos três anos de vida.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sauli nasceu em Génova. Era membro da família Sauli, que, entre outros, teve três doges de Génova. Seu pai era Ottaviano Sauli e a mão chamava-se Giustiniana.

Estudou na Universidade de Bolonha e na Universidade de Pádua. Cedo trabalhou para a República de Génova e mais tarde para os Estados Pontifícios. Foi núncio apostólico em Portugal em 1579-1580, durante o reinado do Cardeal-rei D. Henrique.

Sauli foi arcebispo-coadjutor de Génova em 1585. No ano seguinte foi arcebispo de Génova, cargo que ocupou até 1591, embora tenha sido elevado a cardeal em 1587.

Em 18 de dezembro de 1587, foi criado cardeal pelo Papa Sisto V, recebendo o barrete cardinalício e o título de cardeal-presbítero de Santos Vital, Valéria, Gervásio e Protásio em 15 de janeiro de 1588.

Em 1620, torna-se Deão do Colégio dos Cardeais e cardeal-bispo de Óstia-Velletri. Foi co-presidente, com o cardeal Ludovico Ludovisi, da Congregatio Propaganda Fide, instituído pelo Papa Gregório XV em 22 de junho de 1622, ocupando o cargo até 12 de novembro.

O conclave de maio de 1605, foi derrotado porque havia um número suficiente de cardeais que estava convencido da necessidade de "um papa que queira punir os cardeais-sobrinhos por roubarem o papado".[1]

Conclaves[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Baumgartner, 2003, p. 141.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Cipriano Pallavicino
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Génova

15861591
Sucedido por
Alessandro Centurione
Precedido por
Costanzo da Sarnano, O.F.M. Conv.
Cardeal
Cardeal-padre de Santos Vital, Valéria, Gervásio e Protásio

15881591
Sucedido por
Antoine-Pierre IX Hassoun
Após a restauração do título
Precedido por
Giacomo Sannesio
Cardeal
Cardeal-padre de Santo Estêvão no Monte Celio

15911603
Sucedido por
Federico Cornaro
Precedido por
Domenico Pinelli
Cardeal
Cardeal-padre de Santa Maria em Trastevere

16031607
Sucedido por
Mariano Pierbenedetti
Precedido por
Girolamo Bernerio, O.P.
Cardeal
Cardeal-bispo de Albano

16071611
Sucedido por
Paolo Emilio Sfondrati
Precedido por
François de Joyeuse
Cardeal
Cardeal-bispo de Sabina

16111615
Sucedido por
Benedetto Giustiniani
Precedido por
Antonio Maria Galli
Cardeal
Cardeal-bispo de Porto e Santa Rufina

16151620
Sucedido por
Giovanni Evangelista Pallotta
Precedido por:
Antonio Maria Galli
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-bispo de Óstia

Sucedido por:
Francesco Maria Bourbon del Monte
Decano do Colégio dos Cardeais
16201623