Aparecida Panisset

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde setembro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Maria Aparecida Panisset (Rio de Janeiro, 12 de novembro de 1947) é uma educadora e política brasileira.

Aos 12 anos ingressou na Igreja Nova Vida, da Cinelândia. Ainda adolescente, mudou-se com a família para o município de São Gonçalo. É professora de História.

Já integrou os quadros do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Partido Progressista (PP) e Democratas (DEM). Dentre os cargos políticos que exerceu estão os de vereadora de São Gonçalo em duas legislaturas (entre 1996 e 2001) e deputada estadual (2002-2004).

Foi prefeita de São Gonçalo nos anos de 2005-2012, filiada ao PDT.[1][2]

Tem um irmão também político, Márcio Panisset, cuja candidatura para a prefeitura de Itaboraí foi indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, em 2012.

Em 2012, ao término de seu mandato, não conseguiu eleger seu sucessor e sofreu acusações de utilização da máquina pública para a campanha eleitoral.

Referências

  1. Antero Gomes (8 de Outubro de 2011). «Aparecida Panisset: a prefeita que adora uma guerra santa». Extra. Consultado em 4 de Setembro de 2012 
  2. Herculano Barreto Filho e Clarissa Monteagudo (5 de Outubro de 2011). «Aparecida Panisset, sobre a casa da umbanda: 'Nada mais pode ser feito'». Extra. Consultado em 4 de Setembro de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.