Apeadeiro de Âncora-Praia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o apeadeiro na Linha do Minho. Se procura a antiga estação na mesma linha, veja Estação Ferroviária de Âncora.
Âncora - Praia IPcomboio2.jpg
IPestacao.jpg
Linha(s) Linha do Minho (PK 96,456)
Coordenadas 41° 48′ 47″ N, 8° 51′ 45,04″ O
Concelho Caminha
Serviços Ferroviários Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgR
Horários em tempo real
Serviços Serviço de táxis
Acesso para pessoas de mobilidade reduzida


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon HST grey.svgMoledo do Minho (Sentido Valença)
BSicon HST grey.svgÂncora - Praia
BSicon HST grey.svgAfife (Sentido Porto)
BSicon CONTf grey.svg

O Apeadeiro de Âncora-Praia, originalmente conhecido como Gontinhães, é uma infraestrutura da Linha do Minho, que serve a localidade de Âncora, no Concelho de Caminha, em Portugal.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Esta interface é servida por comboios Regionais da transportadora Comboios de Portugal.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Horario de 1913, onde esta gare aparece com a categoria de paragem, e o nome de Gontinhães.

Este apeadeiro encontra-se no troço entre Darque e Caminha da Linha do Minho, que entrou ao serviço em 1 de Julho de 1878.[2]

Em Junho de 1913, esta interface denominava-se de Gontinhães, e possuía a categoria de paragem.[3]

Em 11 de Outubro de 1955, o Ministério das Comunicações autorizou a expropriação de duas parcelas de terreno junto à via férrea, para a ampliação do apeadeiro de Âncora-Praia.[4] Em 16 de Dezembro desse ano, a Gazeta dos Caminhos de Ferro noticiou que já se tinha iniciado a construção do novo apeadeiro de Âncora-Praia, prevendo-se que a gare teria cerca de 150 m de comprimento.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Comboios Regionais: Linha do Minho» (PDF). Comboios de Portugal. 24 de Junho de 2017. Consultado em 17 de Agosto de 2018 
  2. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 26 de Maio de 2015 
  3. «Minho - Tramways». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). Outubro de 1913. p. 104. Consultado em 29 de Novembro de 2013 
  4. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 68 (1629). 1 de Novembro de 1955. p. 445-448. Consultado em 17 de Agosto de 2018 
  5. «Linhas Portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 68 (1632). 16 de Dezembro de 1955. p. 497. Consultado em 17 de Agosto de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.