Apeadeiro de Casével

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Casével
Inauguração 20 de Dezembro de 1870
Linha(s) Linha do Alentejo
(PK 200,483)
Coordenadas 37° 46′ 46,32″ N, 8° 10′ 49,03″ O
Concelho Castro Verde
Serviços Ferroviários Abatida ao serviço
Horários em tempo real

O Apeadeiro de Casével, inicialmente denominado de Cazevel e depois como Casevel, é uma interface encerrada da Linha do Alentejo, que servia a vila de Casével, no Distrito de Beja, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Horários de 1872, onde esta interface aparece com a denominação primitiva, Cazevel, sendo nessa altura a estação terminal do Caminho de Ferro do Sul.
Ver artigo principal: História da Linha do Alentejo

Esta interface abriu em 20 de Dezembro de 1870, como estação terminal provisória do Caminho de Ferro do Sul, tendo o troço seguinte, até Amoreiras-Odemira, entrado ao serviço em 3 de Junho de 1888.[1][2]

Até à chegada do caminho de ferro a Faro, em 1 de Julho de 1889,[1] esta interface era principalmente utilizada pelos viajantes algarvios nas deslocações de e para Lisboa, sendo o percurso até Mértola feito por estrada, e depois utilizando o Rio Guadiana até à foz, em Vila Real de Santo António.[3]

Segundo um relatório apresentado em 21 de Janeiro de 1901 sobre as ligações rodoviárias às estações e apeadeiros nas linhas a Sul do Rio Tejo, já tinham sido estudados dois ramais de acesso à estação de Casevel, um com 13.538 m partindo da da Estrada Real 17 em Castro Verde, e outro de 8033 m, que saía da Estrada Real 75 em Messejana.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b TORRES, Carlos Manitto (1 de Fevereiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1683). p. 75-78. Consultado em 4 de Fevereiro de 2014 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  2. NONO, Carlos (1 de Junho de 1950). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 63 (1499). p. 149-150. Consultado em 7 de Junho de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  3. MARQUES, 1999:385
  4. «Parte Official» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (368). 16 de Abril de 1903. p. 119-130. Consultado em 7 de Junho de 2017 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MARQUES, Maria da Graça Maia; et al. (1999). O Algarve da Antiguidade aos Nossos Dias: Elementos para a sua História. Lisboa: Edições Colibri. 750 páginas. ISBN 972-772-064-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.