Apeadeiro de Virtudes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Virtudes IPcomboio2.jpg
IPestacao.jpg
Inauguração 31 de Julho de 1857
Linha(s) Linha do Norte (PK 50,934)
Coordenadas 39° 05′ 10,62″ N, 8° 49′ 43,38″ O
Concelho Azambuja
Serviços Ferroviários Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgR
Horários em tempo real
Serviços Elevadores
Parque de estacionamento Acesso para pessoas para mobilidade reduzida


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon HST grey.svgReguengo (Sentido Porto)
BSicon HST grey.svgVirtudes
BSicon BHF grey.svgAzambuja (Sentido Lisboa)
BSicon CONTf grey.svg

O Apeadeiro de Virtudes é uma interface da Linha do Norte, que serve a localidade de Virtudes, na Freguesia de Aveiras de Baixo do Concelho da Azambuja, no Distrito de Lisboa, em Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História da Linha do Norte

No relatório de 7 de Dezembro de 1852 do engenheiro Thomaz Rumball, que foi encarregado pela Companhia Central e Peninsular dos Caminhos de Ferro em Portugal de estudar o lanço entre Lisboa e Santarém, uma das localidades por onde o caminho de ferro devia passar era Virtudes.[1]

Um portaria de 30 de Julho de 1857 ordenou que fosse inaugurado o troço entre o Carregado e Virtudes, cerimónia que teve lugar no dia seguinte, embora os serviços regulares só se tenham iniciado em 1 de Agosto.[2] Nessa altura, este troço era considerado como parte do Caminho de Ferro do Leste.[3] Inicialmente, existiam quatro comboios diários em cada sentido, e em 15 de Setembro começaram os serviços de mercadorias, apenas em grande velocidade.[2] Estes foram os primeiros comboios deste tipo naquela linha.[4] Originalmente, a gare de Virtudes consistia apenas edifício provisório para abrigar os passageiros.[2] Num relatório do engenheiro João Crisóstomo de Abreu e Sousa, foi criticado o facto do terminal provisório da linha ter sido feito em Virtudes, um lugar isolado e de difíceis acessos, que eram feitos pelo Canal da Azambuja, a uma distância de 800 m, e pela estrada do Cartaxo para Azambuja, que passava a cerca de 2 Km.[2]

Em 28 de Abril de 1858, entrou ao serviço a secção seguinte, até Ponte de Santana.[3] Tinha originalmente a categoria de estação, embora o seu movimento fosse muito reduzido, devido ao facto de Virtudes ser uma pequena localidade.[5] Com efeito, em 1936 já há muito tempo que o apeadeiro não era servido por comboios.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. ABRAGÃO, Frederico de Quadros (16 de Março de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1638). p. 131-138. Consultado em 19 de Fevereiro de 2016 
  2. a b c d ABRAGÃO, Frederico de Quadros (16 de Março de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1645). p. 265-269. Consultado em 17 de Março de 2016 
  3. a b TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 17 de Fevereiro de 2014 
  4. ABRAGÃO, Frederico de Quadros (16 de Outubro de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). p. 472-509. Consultado em 5 de Julho de 2017 
  5. a b SABEL (16 de Fevereiro de 1936). «Ecos & Comentários» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1156). p. 117. Consultado em 19 de Agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.