Apocalipse do varejo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Loja da Sears fechada em 2016.

O apocalipse do varejo é o fenômeno do fechamento de um grande número de lojas de varejo especialmente nos Estados Unidos na década de 2010.[1] Mais de doze mil estabelecimentos físicos fecharam devido a fatores como expansão excessiva dos shoppings, aumento de aluguéis, falências de aquisições alavancadas e mudanças de hábitos do consumidor.

O principal fator citado é a ascenção do comércio eletrônico, outros fatores também estão agregados como a mudança de hábito dos consumidores norte-americanos devido a vários fatores, incluindo economia de experiência contra bens materiais e residências, a moda casual em códigos de vestimenta relaxado. Também são considerados fatores a queda de renda da clásse média, o aumento dos gastos com educação, planos de saúde e habitação, além do aumento das dívidas das próprias redes de lojas.[2]

Grandes redes de lojas fecharam centenas de estabelecimentos, dentre essas redes se destacam J. C. Penney, Macy’s, Sears e Kmart, algumas redes chegaram a falência como Toys "R" Us e The Bon-Ton.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências