Apodi (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Apodí
Apodí
Apodi atuando pelo Kuban Krasnodar em 2016
Informações pessoais
Nome completo Luiz Diallisson de Souza Alves
Data de nasc. 13 de dezembro de 1986 (30 anos)
Local de nasc. Apodi, (RN), Brasil
Nacionalidade brasileira
Altura 1,72 m
Ambidestro
Apelido Apodi
Informações profissionais
Período em atividade 2006presente (11 anos)
Clube atual Chapecoense
Número 22
Posição Lateral-direito
Clubes de juventude
2003
2004
2005
São Gonçalo-RN
Internacional
Real Salvador
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
20062007
20082012
2008
2008
2009
2010
2010
2011
2012
2013
20132014
2014
2014
20152016
2016
2016
2017
Vitória
Cruzeiro
Santos (emp.)
São Caetano (emp.)
Vitória (emp.)
Bahia (emp.)
Guarani (emp.)
Tokyo Verdy (emp.)
Ceará (emp.)
Ceará
Querétaro
Delfines (emp.)
Bastia
Chapecoense
Kuban Krasnodar
Sport (emp.)
Chapecoense
0148 0000(3)
0009 0000(1)
0012 0000(1)
0009 0000(0)
0054 0000(6)
0016 0000(0)
0020 0000(0)
0012 0000(0)
0050 0000(2)
0000 0000(0)
0030 0000(1)
0014 0000(2)
0000 0000(0)
0053 0000(4)
0015 0000(1)
0015 0000(0)
0026 0000(0)
Seleção nacional3
2007 Brasil Sub-23 0001 0000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 11 de junho de 2017.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 9 de dezembro de 2007.

Luiz Diallisson de Souza Alves, mais conhecido como Apodi (Apodi, 13 de dezembro de 1986), é um futebolista brasileiro que atua como lateral-direito. Seu apelido no futebol, Apodi, se refere ao nome de sua cidade natal, no Rio Grande do Norte. Atualmente joga na Chapecoense.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Vitória[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira no Real Salvador, mas iniciou-se profissionalmente no Vitória, em 2005. Chamou a atenção de clubes de todo o Brasil devido às suas atuações pelo rubro-negro baiano na Série B de 2007, ano em que o clube conseguiu ser promovido à Série A do ano seguinte. Ao final da temporada, foi eleito o melhor lateral-direito da competição.

Com suas arrancadas características em alta velocidade e sua vulnerabilidade a faltas, Apodi se tornou ídolo da torcida do Leão ao provocar inúmeras expulsões e pênaltis a favor do time rubro-negro.

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

No início de 2008, foi contratado pelo Cruzeiro. Porém, não vinha agradando nas oportunidades que teve no time titular e logo foi emprestado ao Santos, em troca do também lateral Carlinhos.

São Caetano[editar | editar código-fonte]

Com a saída do técnico Cuca, também perdeu seu espaço no Santos e foi novamente emprestado, dessa vez ao São Caetano.

Retorno ao Vitória[editar | editar código-fonte]

No final da temporada de 2008, acertou novo empréstimo, dessa vez ao Vitória, clube que o revelou, até o final de 2009. No time baiano, foi um dos destaques da conquista de mais um título baiano e uma importante arma ofensiva no Brasileirão, onde o rubro-negro chegou a pintar no grupo dos classificados para a Libertadores por doze rodadas.

Ainda na temporada de 2009, Apodi começou a ter frequentes apresentações abaixo do normal e, de uma hora para a outra, viu suas principais características serem neutralizadas pelos adversários, fazendo com que fosse sacado diversas vezes do time titular.

Em outubro, após a morte de seu pai, foi liberado para acompanhar o velório do mesmo. Embora o evento tenha durado apenas alguns dias, Apodi permaneceu longe da Toca por mais de uma semana, o que fez com que torcida e diretoria desconfiassem de um possível "corpo mole" do jogador.[1]

Na sua volta, acabou sendo muito vaiado pela torcida na derrota do Leão para o Avaí por 1 a 0 em pleno Barradão, e, para a loucura de quem estava assistindo-o, levantou os braços como se pedisse mais vaias.[2] Esse episódio foi o ápice da má fase que passava no time de Salvador e, dias depois, alegou que não mais jogaria pelo Rubro-Negro na temporada.

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de fevereiro de 2010, Apodi acertou com o arquirrival do Vitória, o Bahia, por empréstimo, com contrato até o final do ano.[3] Curiosamente, no fim de 2005, quando ainda era do Real Salvador, passou por um período de testes no próprio Bahia, onde mostrou ter grande potencial, porém, para ser contratado, pedia-se um pagamento de R$ 300 mil ao clube soteropolitano, dinheiro que o tricolor baiano não possuía na época, porém o Vitória sim.

Porém, em junho, depois de não corresponder às expectativas criadas e o mesmo estando insatisfeito, acertou a rescisão com o clube.

Guarani[editar | editar código-fonte]

Ainda em junho, foi apresentado como reforço do Guarani e permaneceu no clube até o final da temporada, participando do rebaixamento do time.

Tokyo Verdy[editar | editar código-fonte]

Em 2011, foi negociado, por empréstimo, para o Tokyo Verdy, do Japão, onde pouco autou.

Ceará[editar | editar código-fonte]

Em 2012, Apodi acertou com o Ceará, clube em que tinha interesse pelo jogador desde 2010. Apodi marcou seu primeiro gol pelo Ceará contra o Tiradentes em que o Ceará venceu por 3 a 1. Também neste jogo, Apodi sofreu o pênalti que foi convertido por Mota.

Retorno ao Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

No fim de 2012, o contrato de empréstimo de Apodi se encerrou e ele voltou ao Cruzeiro.

Retorno ao Ceará[editar | editar código-fonte]

Porém, no dia 13 de dezembro, sem uma renovação com o Cruzeiro, retornou ao Ceará, agora com contrato em definitivo até o fim de 2013.[4]

Querétaro[editar | editar código-fonte]

No contrato anteriormente assinado com o Ceará, havia uma cláusula que obrigava a liberação do jogador no caso de uma proposta do exterior, e foi o que aconteceu: e o Querétaro, do México, demonstrou interesse e fechou contrato com Apodi, que jogará pelo clube mexicano no ano de 2013.[5]

Delfines[editar | editar código-fonte]

Passou pelo mexicano Delfines por empréstimo.

Chapecoense[editar | editar código-fonte]

Apodi foi negociado com a Chapecoense para a temporada 2015, onde voltou a se destacar pela velocidade e apoio ofensivo. Foi um jogador muito importante versátil conquistando a torcida com jogadas e gols bonitos. Marcou o gol na virada incrível da Chape contra o Grêmio na Arena do Grêmio por 2-3. Uma de suas melhores partidas foi contra o Atlético Mineiro na Arena Condá, fazendo um golaço, deu um drible espetacular no marcador Atleticano e depois fez o gol que garantiu a vitória do verdão por 2-1.

Kuban Krasnodar[editar | editar código-fonte]

Mesmo tendo renovado o contrato com a Chapecoense, o clube russo Kuban Krasnodar anunciou a contratação do lateral por dois anos.[6]Além de Apodi, Felipe Santana e Xandão são outros brasileiros que integram a equipe dos Cossacos, atual quinto colocado da Russian Premier League.

Sport[editar | editar código-fonte]

Chegou ao Sport no dia 18 de julho de 2016 para assinar com o Leão da Ilha e disputar posição com Samuel Xavier..[7]

Retorno à Chapecoense[editar | editar código-fonte]

Depois de um ano, ele reapareceu como ídolo da Chapecoense entre os jogadores para a temporada 2017.[8]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 11 de junho de 2017.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos jogos e gols do futebolista pela Seleção Brasileira, desde as categorias de base. Abaixo da tabela, clique em expandir para ver a lista detalhada dos jogos de acordo com a categoria selecionada.

Sub-23 (Olímpico)

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2007 1 0 0 0
Total 1 0 0 0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vitória
Cruzeiro
Ceará
Chapecoense

Marcas pessoais[editar | editar código-fonte]

Vitória
Ceará

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]