Aquaria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Aquaria
Informação geral
Origem Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
País Brasil
Gênero(s) power metal
metal sinfônico
folk metal
Período em atividade 1999-2010

2017-atualmente

Gravadora(s) Marquee Avalon (Asia), Scarecrown Records (Mexico), Hellion (Brasil), IronD (Rússia)
Integrantes Fernando Giovannetti
Alberto Kury
Vitor Veiga
Thomás Martin
Luciano de Souza
Ex-integrantes Roberto Scripilliti
Bruno Agra
Leandro Gomes
Gustavo Di Padua
Bernardo Pellon
Igor Veiga
Leandro Caçoilo
Luis Aizcorbe
Bill Hudson
Rick Mour

Aquaria é uma banda de power metal sinfônico originária do Rio de Janeiro, no Brasil[1]

História[editar | editar código-fonte]

A banda foi criada por Alberto Kury, Bruno Agra e Roberto Scripillitti, em 1999, sob o nome Uirapuru. O Uirapuru contava também com Leandro Gomes, nas guitarras, e Bernardo Pellon, no baixo. Com este nome, lançou dois álbuns demos: Here Comes The Life, em 2001, cantado pelo vocalista convidado Ilton Nogueira (integrante da banda Allegro). Em 2002, lançaram Flames Of Trinity, tendo Alberto Kury nos vocais e teclados. Após esse período, a banda se reformula e Vitor Veiga, vocalista do grupo Endless, assume os vocais do Uirapuru. Vitor, Alberto e Bruno haviam se tornado grandes amigos e essa parceria ocorreu naturalmente. Cerca de um ano depois, o baixista Bernardo Pellon deixa a banda por motivos pessoais. Quem assume o lugar no baixo é o irmão de Vitor, Igor Veiga. Em 2005, o Uirapuru muda seu nome para Aquaria e é apresentado o primeiro álbum da banda, intitulado Luxaeterna, já com Vitor nos vocais. O álbum é lançado no Brasil, Ásia, América do Norte e Rússia. Luxaertena obtém uma excelente recepção da crítica musical no mundo todo e é aclamado como um dos melhores álbuns de power metal sinfônico. Alguns meses depois, por discordâncias internas, Leandro Gomes e Vitor Veiga deixam o Aquaria, que refaz sua formação com outros integrantes. Mas, cerca de dois anos depois, Vitor Veiga volta à banda, junto com Gustavo Di Padua e Roberto Scripillitti (que retorna à casa) nas guitarras e é a vez de Shambala, álbum conceitual que retrata a invasão portuguesa ao Brasil e da paixão de um navegante português pela personagem Iara, representada na capa do CD por uma ilustração feita pelo designer brasileiro Antonio Cesar.[2][3]

Em 2008, o baterista Bruno Agra é convidado para o projeto de Timo Tolkki, intitulado Revolution Renaissance, junto com o vocalista brasileiro Gus Monsanto (Adagio). Como Bruno estava morando em Londres, o Aquaria mantém os trabalhos, mesmo à distância, chegando a realizar um show no Teatro Odisséia, Rio de Janeiro, com o baterista do Endless, Sergio Sanchez. Contudo, acaba por entrar em uma espécie de hiato, devido à distância e consequente pouca comunicação. A banda encerra as atividades, em 2010, por consentimento de todos e porque haviam discordâncias de visões dos rumos a serem seguidos nos arranjos e sonoridade dos próximos trabalhos.

Em 2017, o Aquaria decidiu retomar as atividades com os membros da formação original: Alberto Kury, Vitor Veiga, Fernando Giovannetti e Roberto Scripilitti. Agora, também contando com um novo membro: Luciano de Souza, na Guitarra. Sendo assim, com esta formação, lançaram o single Xmasong, em 20 de Dezembro de 2017, com um tema natalino de presente para os fãs. A banda não informou quem gravou as linhas de bateria do single.[4]

Em 2018, o Aquaria anunciou seu novo baterista, Thomas Martin.

Membros[editar | editar código-fonte]

Atual Formação[editar | editar código-fonte]

Ex integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Roberto Scriplitti - Guitarra - saiu por motivais pessoais em 2018.
  • Bernardo Pellon - Baixo - saiu por motivos pessoais em 2002, quando a banda ainda se chamava Uirapuru.
  • Bruno Agra - Bateria - foi chamado em 2008 para o projeto de Timo Tolkki intitulado Revolution Renaissance, logo depois montou a banda We Are Harlot. Atualmente vive nos EUA.
  • Gustavo di Padua - Guitarra - saiu da banda por motivos pessoais em 2009;
  • Ilton Nogueira - Vocais - Participou do período pré-Aquaria quando a banda ainda se chamava Uirapuru como vocalista convidado;
  • Leandro Gomes - Guitarra - Leandro saiu da banda pouco tempo depois do lançamento do álbum Luxaeterna e faleceu em 2011;
  • Igor Veiga - Baixo - irmão de Vitor Veiga que gravou os baixos do álbum Luxaeterna e saiu depois do lançamento;
  • Leandro Caçoilo - Vocais - participou da banda no hiato entre os álbuns Luxaeterna e Shambala;
  • Rick Mour - Guitarra - participou da banda no hiato entre os álbuns Luxaeterna e Shambala;
  • Bill Hudson - Guitarra - assumiu brevemente as guitarras junto com Leandro Gomes após o lançamento do Luxaeterna;
  • Luis G. Aizcorbe - Guitarra - Luis hoje em dia faz parte de 3 projetos. É líder e vocalista da banda Corbe. Guitarrista da banda Reloadead e guitarrista da banda Atomic.

Participações Eventuais[editar | editar código-fonte]

  • Sergio Sanches - Bateria - na época baterista do Endless, participou substituindo o baterista Bruno Agra em um show no Rio de Janeiro no Teatro Odisséia.

Discografia[editar | editar código-fonte]

como Aquaria[editar | editar código-fonte]

  • Luxaeterna (2005) Álbum
  • Shambala (2007) Álbum
  • "Xmasong" (2017) Single Natalino[5]

como Uirapuru[editar | editar código-fonte]

  • Here Comes the Life (2001) Demo
  • Flames of Trinity (2002) Demo

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.