Aquiles Porto-Alegre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aquiles Porto-Alegre
Nome nativo Achilles José Gomes Porto Alegre
Nascimento 29 de março de 1848
Rio Grande
Morte 21 de março de 1926 (77 anos)
Porto Alegre
Nacionalidade brasileiro
Cidadania Brasil
Ocupação jornalismo

Aquiles José Gomes Porto-Alegre[1] (Rio Grande, 29 de março de 1848Porto Alegre, 21 de março de 1926) foi um escritor, jornalista, funcionário público e educador brasileiro.

Em Porto Alegre estudou no Colégio Gomes e na Escola Militar. Irmão de Apeles Porto-Alegre e Apolinário Porto-Alegre, fundou com eles a Sociedade Partenon Literário e, com o irmão Apolinário, fundou o Colégio Porto Alegre.

Exerceu diversas funções públicas: foi capitão, telegrafista, funcionário do Tesouro, inspetor escolar e professor.

Foi um dos precursores da crônica moderna na literatura gaúcha, publicando diversas obras sobre a cidade de Porto Alegre entre os anos de 1915 e 1925.

Jornalista, fundou e dirigiu o Jornal do Commercio (1884 a 1888), onde assinou diversas crônicas com o pseudônimo Carnioli, e de onde seu genro, Caldas Júnior, saiu para fundar o Correio do Povo. Também dirigiu o jornal A Notícia, 1896.

Em 25 de março de 1883 o Jornal do Commercio declarou não mais aceitar anúncios sobre fuga e negociação de escravos, sendo o primeiro jornal porto-alegrense defensor da libertação dos escravos.[2]

Foi sócio fundador do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul e da Academia Rio-Grandense de Letras.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Homens ilustres do Rio Grande do Sul, 1916
  • Vultos e fatos do Rio Grande do Sul, 1919
  • Através do passado (crônica e história), 1920
  • Flores entre ruínas, 1920
  • Noutros tempos (crônicas), 1922
  • Noites de luar, 1923
  • Palavras ao vento, 1925
  • História Popular de Porto Alegre, 1940 (póstuma)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pela grafia arcaica, Achylles Joze Gomes Porto-alegre.
  2. Sousa Docca, Emílio Fernandes de, História do Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: Edição da Organização Simões, 1954. Página 389.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]