Arandu Arakuaa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Arandu Arakuaa
Arandu Arakuaa

Arandu Arakuaa
Informação geral
Origem Brasília
País  Brasil
Gênero(s) Folk metal, Akwen-garde Metal, Yamandoom Metal
Período em atividade 2008 - atualmente

Arandu Arakuaa é uma banda brasileira de folk metal precursora do Akwen-garde Metal e do Yamandoom Metal, subgêneros musicais originários do Folk Metal. A banda foi criada em abril de 2008 em Brasília.[1] O grupo vale-se do experimentalismo do Avant-garde metal mesclado com música folclórica brasileira e indígena para moldar seu peculiar Folk Metal. As letras são inspiradas em lendas e ritos indígenas, buscando desta maneira contribuir para divulgação e valorização das manifestações culturais dos povos indígenas do Brasil.[2] O guitarrista/vocalista e fundador do grupo, Zhândio Huku, afirma ter nascido e morado até os 24 anos próximo dos territórios dos Xerentes e Krahô no estado de Tocantins, onde teve contato com a música indígena e com músicas regionais brasileiras (baião, catira, cantiga de roda, vaquejada, entre outros).[2] Quanto ao heavy metal, ele cita Metallica e Black Sabbath como exemplos de influências.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A banda Arandu Arakuaa (que em tupi-guarani significa: “saber dos ciclos dos céus” ou “sabedoria do cosmos”), teve início em abril de 2008 quando Zândhio Huku começou a compor músicas com letras em Tupi Antigo.

A musicalidade da banda adquire tonalidade poética e cultural com letras nos idiomas indígenas Tupi, Xerente e Xavante, inspiradas nas lendas, ritos e lutas dos Povos Indígenas do Brasil. Desta maneira, buscando contribuir para a divulgação e valorização de suas manifestações culturais, subestimadas durante os séculos.

O uso da viola caipira realça ainda mais a brasilidade na sonoridade do Arandu Arakuaa. Zândhio usa uma Guitarra Viola, instrumento idealizado pelo próprio músico.

Em agosto de 2011, a banda fez o seu primeiro show e, desde então, divulga o seu trabalho com um repertório 100% autoral. Conta com um EP "Arandu Arakuaa – 2012” e dois álbuns “Kó Yby Oré – 2013” e “Wdê Nnãkrda – 2015”; quatro vídeos clips e dois lyrics vídeo. Já tendo se apresentado em festivais como Agosto de Rock (TO); Femme Festival (GO); Ferrock (DF); Porão do Rock (DF), THORHAMMERFEST(SP) e no evento Fórum Mundial de Direitos Humanos. O terceiro álbum de estúdio, Mrã Waze, foi lançado em julho de 2018, com clipes registrados na Cachoeira Salto do Itiquira, em Formosa, Goiás.

Foi citada como exemplo de resistência em ecologia, em tese de doutorado em educação da UNICAMP, participou de uma cena para uma série sobre o lendário Zé do Caixão, interpretado pelo ator Matheus Nachtergaele e transmitida pelo canal de Tv Space, além de matérias em mídias de grande circulação como BBC Brasil, Uol, G1, Terra, O Globo, Correio do Povo, dentre outros.

Subgêneros[editar | editar código-fonte]

Originário do Folk Metal com a fusão de Avant-garde Metal e música folclórica brasileira e indígena, o Akwen-garde Metal caracteriza-se por composições executadas em língua Xavante e Xerente. A denominação do subgênero é um amálgama de Akwén com Avant-garde Metal. O Yamandoom Metal é a fusão de Doom Metal com música folclórica brasileira e indígena e caracteriza-se por composições executadas em língua indígena ou Tupi-guarani. A mescla de Yamandú com Doom Metal deu origem à denominação do subgênero e ambos os estilos visam resgatar os valores da cultura indígena nacional.

Discografia[editar | editar código-fonte]

EP[editar | editar código-fonte]

  • 2012 - Arandu Arakuaa

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Vídeografia[editar | editar código-fonte]

  • 2013 - "Gûyrá"
  • 2013 - "Îakaré 'Y-pe"
  • 2014 - "Aruanãs"
  • 2015 - "Hêwaka Waktû"
  • 2016 - "Ĩpredu"
  • 2018 - "Huku Hêmba"
  • 2018 - "Îasy"

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Zândhio Huku – vocais, guitarra, viola caipira, instrumentos indígenas
  • Lís Carvalho - vocais, pífano
  • Guilherme Cezario - guitarra
  • Saulo Lucena – baixo, vocais
  • João Mancha - bateria, percussão

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Nájila Cristina – vocais, maracá
  • Adriano Ferreira – bateria, percussão

Membros de turnê[editar | editar código-fonte]

  • Karine Aguiar – vocais (2017)
  • Ygor Saunier - bateria, percussão (2017)
  • Pablo Vilela - guitarra (2017)
  • Juan Bessa - guitarra (2014)
  • Allison Wladmir - guitarra (2013)

Referências

  1. «Folk Metal - Arandu Arakuaa». Consultado em 27 de janeiro de 2014 
  2. a b c Dehó, Maurício (14 de Outubro de 2014). «Banda de Brasília faz metal em tupi para chamar atenção à causa indígena». UOL Música. Grupo Folha. Consultado em 14 de Outubro de 2014