Arborização de Campina Grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é a lista das 15 plantas mais utilizadas na arborização da cidade de Campina Grande, no estado da Paraíba, no Brasil. Das 132 espécies de árvores encontradas, 51,2% são originadas de outros países. Das 28 423 árvores da cidade, 32,8% são de espécies nativas. Os dados são de 2004.

Nome Científico Nome Popular Quantidade
Senna siamea Cássia-amarela 4 909
Prosopis juliflora DC Algaroba 3 980
Cliptoria fairchildiana Howard Sombreiro 2 973
Terminalia catappa Linn Castanhola 2 386
Pithecolobium dulcis Mata-fome 1 564
Pachira aquatica Aubl Cacau-bravo 1 253
Tabebuia sp Ipê-amarelo 1 111
Delonix regia Raff Flamboyant 989
Licania tomentosa (Benth) Fritsch. Oitizeiro 915
Ficus benjamina L Figueira-benjamim 753
Syzigium jambolana DC. Jambo 645
Roystonea oleracea Cook Palmeira-imperial 573
Schinus Terebinthifolius Raddi Aroeira-da-praia 547
Spathodea campanulata Espatódia 501
Adenanthera pavonina Linn. Cássia-brasil 412

Espécies nativas[editar | editar código-fonte]

As espécies nativas do Brasil usadas na arborização urbana da cidade são:

Abricó-de-macaco, angico, algodão-do-pará, araticum, aroeira-da-praia, barriguda, bordão-de-velho (Samanea tubulosa), bougavillea (Bougainvillea choise), braúna, cacau-bravo, cajueiro, cajarana, camará, camunzé (Pithecolobium polycephalum), candelabro (Cassia alata), carnaúba (Copernicia cerifera), castanha-de-macaco, catingueira, cedro, chapéu-de-napoleão, coco-catolé, coronha, coqueiro-da-bahia, craibeira (Tabebuia caraiba), embaúba (Cecropia palmata), espinho-de-judeu (Machaerium aculeatum), farinha-seca, goiabeira, imbuzeiro (ou umbuzeiro), imburana (Bursera leptophloeos), ingazeiro, ipê-amarelo (também conhecido como ipê-pardo), ipê-amarelo (também conhecido como ipê-amarelo-cascudo), ipê-branco, ipê-roxo, jabuticaba, jacarandá-de-espinho (Machaerium aculeatum), jacarandá-mimoso, jatobá, jucá (Caesalpinia ferrea), juazeiro, jurema-branca (Pithecolobium dumosum), jurema-preta (Mimosa acutistipula), macaíba, madeira-nova, maniçoba (Manihot glaziovii), mulungu, oitizeiro, oiticica, pau-brasil, pau-d'alho do campo, pau-formiga (Triplaris surinamensis), paineira-rosa, pequi, pitangueira (Stenocalyx michelli), pitombeira, quixabeira (Bumelia sartorum), sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia), sabonete, sibipiruna, sombreiro (Clitoria fairchildiana), tamboril (Enterolobium contortisiliquum), Tipuana tipu, trapiá e turco (Parkinsonia aculeata).[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • DANTAS, Ivan Coelho, SOUZA, Cinthia Maria Carlos. Arborização urbana na cidade de Campina Grande - PB: Inventário e suas espécies. Revista de Biologia e Ciência da Terra, Vol. 4, No. 2, 2004. ISSN 1519-5228.

Referências

  1. Ivan Coelho Dantas; Cinthia Maria Carlos de Souza. «Arborização urbana na cidade de Campina Grande - PB: Inventário e suas espécies» (PDF). Consultado em 2 de Dezembro de 2013