Arco da Rua Augusta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arco do Triunfo da Rua Augusta
Arco do Triunfo
Nomes alternativos Arco do Triunfo do Terreiro do Paço
Tipo Arco
Inauguração 1875
Proprietário atual Ministério da Justiça
Local Santa Maria Maior, Lisboa,  Portugal

O Arco da Rua Augusta é um arco triunfal situado na parte norte da Praça do Comércio, sobre a Rua Augusta, em Lisboa, Portugal.

Rua Augusta vista da Praça do Comércio cerca de 1820, vendo-se já as colunatas compósitas do arco triunfal colocadas em 1815.
Arco da Rua Augusta em construção, 1854.
A construção do coroamento do Arco da Rua Augusta, c. 1855
Arco da Rua Augusta ornamentado por ocasião do casamento de Dom Luís I, 1862

A sua construção foi programada em 1759, no quadro da reconstrução pombalina após a destruição da baixa lisboeta pelo terramoto de 1755, com desenho de Eugénio dos Santos. Até 1843 o arco subia apenas à altura da sua cimalha, num jogo de colunatas compósitas colocadas em 1815, ficando a aguardar o coroamento.[1] Foi então aberto concurso para a finalização da obra, ganho pelo arquitecto Veríssimo José da Costa.[2] A obra do arco triunfal, que já estava fechado em 1862 por ocasião do casamento de D. Luís I, como se observa em fotografias da época, apenas foi concluída em 1873.[3]

Na parte superior do arco, é possível observar esculturas de Célestin Anatole Calmels, enquanto num plano inferior se encontram esculturas de Vítor Bastos. As esculturas de Calmels representam a Glória, coroando o Génio e o Valor. As esculturas de Vítor Bastos representam Nuno Álvares Pereira, Viriato, Vasco da Gama e o Marquês de Pombal. Na lateral esquerda, o rio Tejo, e na direita o rio Douro, da autoria também do escultor Vítor Bastos[4] . Os rios Tejo e Douro delimitam a região onde alegadamente viviam os Lusitanos[5]

O texto inscrito no topo do arco remete para a grandiosidade do Império Português e a descoberta de novos povos e culturas. VIRTVTIBVS MAIORVM VT SIT OMNIBVS DOCVMENTO.PPD “Às Virtudes dos Maiores, para que sirva a todos de ensinamento. Dedicado a expensas públicas”.

A partir de 9 de agosto de 2013 é possível, usando um elevador e dois lances de escadas íngremes, chegar ao miradouro no topo do Arco, por 2,5 euros[6] . Durante o primeiro ano em que esteve aberto, foi visitado por 130 mil pessoas.[7]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arco da Rua Augusta

Referências

  1. «Sítio da Câmara Municipal de Lisboa: equipamento». Consultado em 2015-11-30. 
  2. Ilustração Portuguesa, nº 30, 8 de Fevereiro de 1886, p. 8
  3. Maria João Janeiro (2006). Lisboa: histórias e memórias Livros Horizonte [S.l.] p. 247. 
  4. http://www.cm-lisboa.pt/equipamentos/equipamento/info/arco-da-rua-augusta
  5. in: pag.23, O nascimento de Portugal,Vol. I, José Hermano Saraiva, ISBN 978-989-8559-35-7
  6. «Elevador ajuda a chegar ao topo do Arco da Rua Augusta». 
  7. «130 mil pessoas já viram Lisboa do topo do Arco da Rua Augusta».