Argos Panoptes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Argos Panoptes

Argos Panoptes (em grego: Ἄργος Πανόπτης, "Argos que a tudo vê" [1]), na mitologia grega, era um gigante cujo corpo era coberto por olhos ou que tinha cem olhos[2], foi nomeado pela deusa Hera (Juno) para vigiar Io que havia sido transformada em uma novilha por seu marido, o deus Zeus (Júpiter). Enquanto dormia, metade dos olhos se fechava e descansava enquanto a outra metade vigiava. Para acalmar o gigante, Hermes tocou uma melodia tão linda em sua lira que todos os olhos do gigante se fecharam.[3] Uma vez que Argus Panoptes estava dormindo, Hermes cortou sua cabeça para impedi-lo de reviver e informar Hera (Juno) sobre o que ocorreu; isso permitiu que Zeus (Júpiter) tivesse seu encontro. Hera (Juno), para homenagear a morte de seu guardião favorito, colocou os olhos de Argus Panoptes na cauda de seu pássaro favorito, o pavão.[4][1][5]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Argus, Io e Hermes[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Argos Panoptes

Referências

  1. a b Theresa Bane (4 de maio de 2016). Encyclopedia of Giants and Humanoids in Myth, Legend and Folklore. [S.l.]: McFarland. p. 24. ISBN 978-1-4766-6351-7 
  2. Jacqueline de Weever (8 de abril de 2014). Chaucer Name Dictionary: A Guide to Astrological, Biblical, Historical, Literary, and Mythological Names in the Works of Geoffrey Chaucer. [S.l.]: Routledge. p. 34. ISBN 978-1-135-61446-1 
  3. John Green; Drew Silver (1 de janeiro de 2001). Greek Gods and Goddesses. [S.l.]: Courier Corporation. p. 7. ISBN 978-0-486-41862-9 
  4. Julia Kristeva (20 de dezembro de 2011). The Severed Head: Capital Visions. [S.l.]: Columbia University Press. p. 75. ISBN 978-0-231-53038-5 
  5. Silvio Carlos dos Santos (1 de janeiro de 2015). Superdotação. [S.l.]: Editora Appris. p. 144. ISBN 978-85-8192-767-1