Arriboflavinose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ariboflavinose)
Ir para: navegação, pesquisa
Ariboflavinosis
Riboflavina, mais conhecida como vitamina B2.
Classificação e recursos externos
CID-10 E53
CID-9 266.0
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Arriboflavinose ou Deficiência de vitamina B2 é uma condição na qual não há reservas suficientes de riboflavina no corpo necessárias para as atividades metabólicas normais. A recomendação diária para adultos é de 1,1 a 1,3 mg, enquanto para as grávidas e lactantes é recomendado 1,6 mg/dia. Vitamina B2 pode ser encontrada em ovos, laticínios, grãos integrais e verduras verde-escura.[1]

Causas[editar | editar código-fonte]

Dentre as possíveis causas estão[1]:

  • Dieta pobre em alimentos com B2;
  • Doenças gastrointestinais que prejudiquem a absorção de B2;
  • Alcoolismo;
  • Doenças hepáticas crônicas;
  • Alguns antirretrovirais;
  • Abuso de diuréticos.

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Alguns de seus possíveis sintomas incluem[2]:

  • Lesões na boca e lábios (queilite angular);
  • Língua muito vermelha ou roxa (glossite);
  • Inflamação da mucosa da boca (estomatite);
  • Dor de garganta (faringite);
  • Olhos vermelhos ou com coceira (vascularização corneal)[3];
  • Fraqueza e cansaço;
  • Sensação de frio e dor nas extremidades;
  • Descamação e coceira na pele.

Em casos severos o paciente pode ter anemia (falta de glóbulos vermelhos) e/ou dermatite seborreica (inflamação cutânea caracterizada por pele grossa esbranquiçada ou amarelada). Frequentemente está associada a outras deficiências nutricionais, como pelagra e deficiência de proteínas.[1]

Em grávidas quadruplica o risco de pre-eclampsia, transtorno caracterizado por pressão alta e perda de proteínas na urina que pode levar a convulsões perigosas para a mãe e para o feto.[4]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Suplementos de riboflavina (B2) por via oral ou intravenosa e melhora na dieta. Alimentos ricos em B2 (por 100g) incluem[5][6]:

  • Levedo de cerveja (4,3mg);
  • Fígado de boi (4,2mg);
  • Ervas e especiarias, sendo o melhor o Chili (2,2mg)
  • Farelo de aveia (1,2mg)
  • Amêndoas (1mg);
  • Farelo de trigo (0,6mg)
  • Alguns queijos, sendo o melhor o Roquefort (0,5mg);
  • Alguns peixes, sendo o melhor a Cavala (0,5mg);
  • Tomate seco (0,5mg)
  • Gergelim (0,5mg)
  • Cereais fortificados (3 a 7mg);
  • Ovo cozido (0,5mg)

Um adulto saudável deve consumir 1 a 1,5mg dessa vitamina por dia.

Referências