Aristarco de Samos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aristarco de Samos
Nascimento 310 a.C.[1]
Morte 230 a.C. (80 anos)[1]
Nacionalidade grego
Ocupação

Aristarco de Samos (em grego: Αρίσταρχος ο Σάμιος; 310 a.C.230 a.C.) foi um astrônomo e matemático grego, sendo o primeiro cientista[2] a propor que a Terra gira em torno do Sol (sistema heliocêntrico) e que a Terra possui movimento de rotação.[1][3] Por tal afirmação, foi acusado de impiedade por Cleanto, o Estoico.[3] Apenas uma obra sua é conhecida: Sobre os tamanhos e distâncias entre o Sol e a Lua. Hoje, o seu nome também é atribuído a uma cratera lunar.

Obra[editar | editar código-fonte]

Em sua obra, Sobre os tamanhos e distâncias entre o Sol e a Lua. Neste tratado, Aristarco realizou cálculos geométricos das dimensões e distâncias do Sol e da Lua, também subestimando o tamanho do Sol como sendo de apenas trinta vezes o da Lua.[1] As suas conclusões sobre a organização do Sistema Solar, mesmo sendo simples, são admiradas ainda hoje pela sua coerência. Aristarco concluiu que o Sol estaria 20 vezes mais distante da Terra do que da Lua e, embora o valor correto seja de cerca de 400 vezes, o seu procedimento estava correto.

Aristarco também procurou calcular o diâmetro da Lua em relação ao da Terra, baseando-se na sombra projetada pelo nosso planeta durante um eclipse lunar, concluindo que a Lua tinha um diâmetro três vezes menor que o da Terra, sendo o valor correto de 3,7 vezes. Também calculou, com mais precisão do que a dos antigos sábios, a duração de um ano solar. Embora obtivesse muitos erros em seus resultados, a origem desses erros estava nos instrumentos utilizados, e não em sua metodologia conceitual. Para ele, seria mais natural supor que um astro menor, a Terra, girasse em torno de um maior, o Sol, que era uma opinião diferente da dos seus antecessores.[1][4]

Todavia, a afirmação heliocêntrica não aparece neste trabalho. Na verdade, ela é conhecida através de uma referência feita por Arquimedes no seu Arenário. A teoria heliocêntrica só ganharia reconhecimento e validade mais de mil anos depois, com Copérnico.[1][4]

Plutarco menciona a evolução da medida do tamanho da Lua: segundo os egípcios, a Lua seria 1/72 menor que a Terra; segundo Anaxágoras, ela teria o tamanho do Peloponeso; mas segundo Aristarco, seu tamanho seria entre 19/60 e 43/108 do tamanho da Terra[5] (usando o diâmetro conhecido da Terra, este intervalo corresponde a 4039 - 5079 km, um pouco maior que o valor real de 3475 km). Outra medida de Aristarco é de 18 a 20 vezes a razão entre a distância Terra - Sol para a distância Terra - Lua[6] (a razão correta é cerca de 400).

Referências

  1. a b c d e f S.O. Kepler, Maria de Fátima Oliveira Saraiva. «Astronomia e Astrofísica» (PDF). IF - UFRGS. Consultado em 31 de agosto de 2018. 
  2. Alarsa F, Faria RP, Pimenta AP, Marino LAA, Oliveira RS, Cardoso WT. Fundamentos de Astronomia. Campinas: Editora Papirus, 1982.
  3. a b Plutarco, Morália, Sobre a face que aparece no círculo da Lua, 6
  4. a b http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/Biographies/Aristarchus.html
  5. Plutarco, Morália, Sobre a face que aparece no círculo da Lua, 19
  6. Plutarco, Morália, Sobre a face que aparece no círculo da Lua, 10

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.