Armahda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Armahda
A banda ao vivo em 2015. Da esquerda para a direita: Alexandre Dantas, Paulo Chopps, João Pires, Maurício Guimarães e Renato Domingos.
Informação geral
Origem São Paulo, São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Heavy metal, thrash metal, power metal
Período em atividade 2011-atualmente
Integrantes Maurício Guimarães
Alexandre Dantas
Renato Domingos
Paulo Chopps
João Pires

Armahda é uma banda de heavy metal brasileira formada em 2011. O grupo é conhecido por tratar de temas da História do Brasil em suas letras.[1] Juntamente às bandas Aclla, Arandu Arakuaa, Cangaço, Hate Embrace, MorrigaM, Tamuya Thrash Tribe e Voodoopriest, integram o movimento Levante do Metal Nativo, que reúne bandas brasileiras que misturam heavy metal com elementos musicais típicos do país e/ou escrevem letras sobre o local.[2] O grupo cita Blind Guardian, Sabaton, Black Sabbath, bandas clássicas dos anos 1970 e bandas de power metal alemão como influências.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A banda foi idealizada pelo vocalista Maurício Guimarães e pelo guitarrista Renato Domingos, que se conheciam desde o começo dos anos 2000. Para escrever suas letras, o grupo faz uma pesquisa bibliográfica para garantir a veracidade das informações, incluindo documentos da Biblioteca Nacional, Biblioteca do Exército[3] e livros de Laurentino Gomes. Por outro lado, dizem-se preocupados em não politizar demais as letras para não serem taxados de "monarquistas" nem serem admirados por nacionalistas radicais.[1] Os outros três membros eram inicialmente apenas músicos de apoio.[3]

Lançaram seu primeiro álbum, autointitulado, em dezembro de 2013, contendo faixas sobre Maria I de Portugal, a Guerra Guaranítica, as bandeiras de Fernão Dias[3] e as lendas Matinta Perera e Iara. Todas as faixas são cantadas em inglês, exceto "Paiol em Chamas", sobre explosões de armazéns do depósito central de armamento do Exército Brasileiro em 1958, episódio que teve o envolvimento de um militar de quem Maurício é neto. A faixa título do disco também contém parte das letras em português e fala sobre a Revolta da Armada, que dá nome ao quinteto. Nesta canção, o dublador Sílvio Navas, famoso por seu trabalho no personagem Mumm-Ra do ThunderCats, emprestou sua voz para fazer as partes do marechal Floriano Peixoto.[1]

Em 2014, abriram um show da banda sueca Sabaton, cujas letras também versam sobre temas históricos.[1] Ainda naquele ano, declararam em entrevista que pretendiam abordar temas como Zumbi dos Palmares e Padre José de Anchieta num futuro segundo álbum, além de revisitar a Guerra de Canudos, já abordada em Armahda. Também pretendiam fazer mais músicas em português e com mais elementos brasileiros.[3]

Em 2015, a banda lançou um novo single, "The Last Farewell", cuja letra fala dos últimos dias de reinado de Dom Pedro II antes da Proclamação da República do Brasil.[4] Para escrever a letra, a banda pesquisou material cedido pela família imperial brasileira.[5][6]

Em outubro de 2016 fizeram seu primeiro show no Rio de Janeiro, mais uma vez abrindo para o Sabaton, no Circo Voador.[7]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Músicos de apoio
  • Edson Xavier - baixo em "Canudos"
  • Rafael Zeferino - bateria em Armahda

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles
  • "The Last Farewell" (2015)
Álbuns de estúdio
  • Armahda (2013)

Referências

  1. a b c d Soraggi, Bruno B. (7 de setembro de 2014). «Banda paulistana faz heavy metal baseado na história do Brasil». Revista São Paulo. Grupo Folha. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  2. «Levante do Metal Nativo: primeira edição em show do projeto neste sábado». Rock Brigade. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  3. a b c d e «Heavy Nation - nº 139». Heavy Nation. Grupo Folha. 1 de março de 2014. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  4. «Papo Heavy Metal #16 – Armahda Papo Heavy Metal #16 – Armahda». Midiorama. 27 de janeiro de 2016. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  5. «Notas roqueiras: Vespas Mandarinas, Armahda, Machinage...». Combate Rock. UOL. 17 de dezembro de 2015. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  6. «Armahda Post Tribute "Last Farewell" To Brazil's Last Emperor». Brave Words & Bloody Knuckles. 18 de dezembro de 2015. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  7. «Armahda Tocará Com Sabaton No Rio De Janeiro». Rock Bizz. 10 de outubro de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]