Armando Cotarelo Valledor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Armando Cotarelo Valledor (Vegadeo, 22 de Dezembro de 1879 - Madrid, 8 de Dezembro de 1950) foi um escritor galego.

Estudou Filosofia e Letras em Madrid e foi nomeado Catedrático de Língua e Literatura espanholas em Santiago em 1904. Foi membro da Real Academia Galega, à qual representou na Real Academia Espanhola em 1929 junto a Ramón Cabanillas.

Foi membro fundador e primeiro presidente do Seminário de Estudos Galegos (1923-1925) e a pessoa que deu nome ao seminário[1]. Em 1925 trasladou-se a Madrid e deixou a presidência do Seminário.

Foi-lhe dedicado o Dia das Letras Galegas de 1984.

Obra[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Trebón (1922).
  • Sinxebra (1923).
  • O lubicán (1924). Estreada no Teatro Principal de Santiago, fazendo os papéis principais Fermín Bouza Brey e Olimpia Valencia.
  • Hostia (1926).
  • Beiramar (1931).
  • Mourenza (1931).
  • Ultreya, libreto de ópera (1935).
  • Érase una vez un rey... (em castelhano, inédita até 1992)

Narrativa[editar | editar código-fonte]

  • Palladys Tyrones (1919) (parte II da trilogia Memorias de un escolar de antaño 1808-1809)
  • La enseña radía (1921) (parte I da trilogia Memorias de un escolar de antaño 1808-1809)
  • El Pazo (1923).
  • Contos de Nadal colleitos do pobo (1927).

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Cancioneiro da agulla enxergado con doas do pobo (1931).

Referências

  1. TOBÍO, Lois: As décadas de TL, Ediciós do Castro, 1994, p. 124

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Armando Cotarelo Valledor