Armando Renganeschi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Armando Renganeschi
Armando Renganeschi - Bonsucesso FC (5 Jul 1940).jpg
Informações pessoais
Nome completo Armando Federico Renganeschi
Data de nasc. 10 de maio de 1913
Local de nasc. Buenos Aires,  Argentina
Nacionalidade argentino
Falecido em 12 de outubro de 1983 (70 anos)
Local da morte Campinas -  São Paulo,  Brasil
Informações profissionais
Posição Jogador e Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1927-1932
1933-1937
1938
1938
1939
1940-1941
1941-1944
1944-1949
1949
Central Norte (Tucumán)
Independiente (Buenos Aires)
Estudiantes de La Plata (La Plata)
Almagro (Buenos Aires)
Talleres (Remedios Escalada)
Bonsucesso (Rio de Janeiro)
Fluminense (Rio de Janeiro)
São Paulo (São Paulo)
Jabaquara (Santos)









Times/Equipas que treinou
1949-1950
1950
1950-1951
1951-1952
1952
1953
1953
1954-1955
1955
1956
1956-1957
1957-1958
1958
1958-1959
1959
1960
1960
1961
1961
1962-1963
1963
1963-1964
1965
1965
1965-1967
1967
1967-1968
1968
1968
1969-1969
1969
1969-1971
1971
1972
1973
1973-1974
1974-1975
1975
1976
1976
1976
1976-1977
1977-1978
1978
1978
1979
1979
1979
1979-1980
1980-1981
1981
1982
1983
Jabaquara (Santos)
São Paulo - Amadores (São Paulo)
XV de Novembro (Piracicaba)
XV de Novembro (Jau)
Portuguesa de Desportos (São Paulo)
Linense (Lins)
XV de Novembro (Jau)
Ferroviária (Araraquara)
Linense (Lins)
Comercial (Ribeirão Preto)
Noroeste (Bauru)
Jabaquara (Santos)
XV de Novembro (Piracicaba)
São Paulo (São Paulo)
Noroeste (Bauru)
XV de Novembro (Jau)
Guarani (Campinas)
Palmeiras (São Paulo)
Portuguesa Santista (Santos)
Prudentina (Presidente Prudente)
Independiente (Buenos Aires)
Guarani (Campinas)
Ferroviária (Araraquara)
XV de Novembro (Jau)
Flamengo (Rio de Janeiro)
Botafogo (Ribeirão Preto)
XV de Novembro (Piracicaba)
Portuguesa Santista (Santos)
Paulista (Jundiaí)
Portuguesa Santista (Santos)
Sport (Recife)
Guarani (Campinas)
Comercial (Ribeirão Preto)
Atlético Goianiense (Goiânia)
Noroeste (Bauru
Comercial (Ribeirão Preto)
Coritiba (Curitiba)
Pinheiros (Curitiba)
Juventus (São Paulo
Colorado (Curitiba)
Ponte Preta (Campinas)
Colorado (Curitiba)
Londrina (Londrina)
Corínthians (São Paulo)
Grêmio Maringá (Maringá)
Uberlândia (Uberlândia)
São Bento (Sorocaba)
Bahia (Salvador)
* não atuou
Cascavel (Cascavel)
Matsubara (Cambará)
* não atuou
Matsubara (Cambará)
Última atualização: sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Armando Federico Renganeschi, ou Armando Renganeschi, ou Renganeschi, ou somente Renga (Capitán Sarmiento, 10 de maio de 1913 - Campinas, 12 de outubro de 1983) foi um futebolista nascido na Argentina, e que, durante a maior parte de sua carreira, atuou no Brasil, como jogador e técnico de futebol.

Era filho de Alfredo Renganeschi e Cornélia Renganeschi.

Aos 11 meses de idade mudou-se para o Paraguai, retornando à Argentina quando tinha 11 anos de idade.[1]

Depois de sua morte, decorrente de parada cardiorrespiratória, aos 70 anos de idade, foi sepultado no Cemitério Parque das Aleias, em Campinas.

Era casado com Anna Bosco Renganeschi, posteriormente falecida em 18 da janeiro de 2012, e sepultada no mesmo Cemitério Parque das Aleias, em Campinas.

Tinha 3 filhas: Ana Regina, Mirta e Sandra.[2][3]

Há uma rua na cidade de Campinas denominada "Rua Armando Federico Renganeschi".[4]

CARREIRA COMO JOGADOR[editar | editar código-fonte]

Central Norte[5]

Iniciou a carreira no Club Atlético Central Norte, de Tucumán, da 5ª Divisão do campeonato argentino, em 1927, com 14 anos de idade, onde permaneceu até 1932.[6]

Independiente

Posteriormente foi para o Independiente, de Avellaneda, Província de Buenos Aires, onde permaneceu entre 1933 e 1937.[7][8][9]

Participou das campanhas que levaram o Independiente a ser vice campeão argentino em 1934 e 1935.[10]

Estudiantes de La Plata

No início de 1938 foi cedido por empréstimo à equipe dos Estudiantes, da cidade de La Plata, Província de Buenos Aires, onde disputou algumas partidas no início do campeonato argentino da 1ª divisão daquele ano.

Almagro

Ainda em 1938, foi cedido, também por empréstimo, à equipe do Almagro, da cidade de Buenos Aires, onde disputou o restante do campeonato argentino da 1ª divisão de 1938, permanecendo até o final da temporada.

O Estudiantes terminou em 5º lugar no campeonato, enquanto o Almagro, onde Renganeschi atuou ao final da temporada, acabou rebaixado para a 2ª divisão.[11][12]

Renganeschi não fez parte do plantel do Independiente no ano de 1939.[13]

Club Atlético Talleres (Remedios de Escalada)

Nesse ano, disputou o campeonato da 2ª divisão do campeonato argentino pelo Club Atlético Talleres, da cidade de Remedios Escalada de San Martín, Província de Buenos Aires, conforme se observa na partida realizada em 25/11/1939, onde o Talleres venceu a equipe do Acassuso por 9 x 3, com Renganeschi jogando na defesa.

Foi a seguinte a ficha da partida publicada no jornal El Mundo, de 25/11/1939:

“Talleres, 6; Sp. Acassuso, 3

Jugando em su cancha, Talleres venció a Sportivo Acassuso por 6 a 3. Em todo el match el ganhador exhibio mejor juego, lo que le significo merecida victoria.

TALLERES: CANIZZO / MATOLA y RENGANESCHI / PITARI – MAZZOLA y QUARESIMA / MAGNONI – CASARRICO – FERNANDEZ – UNZUE y DIAZ

SPORTIVO ACASSUSO: MIGNONE / CASIMIRO y FIVIÑO / RODRIGUEZ – CARBONE y LESERRE / FERRARA – LUCIA – BIRD – GALARZA y DE LA VILLA.

Goles: 12’ PT Casarrico (T) – 19’ PT Casarrico (T) – 24’ PT Fernández (T) – 25’ PT Bird (SA) – 36’ PT Lucía (SA) – 44’ PT Bird (SA) – 9’ ST Casarrico (T) – 39’ ST Fernández (T).”[14]

Como o Independiente havia cedido o jogador por empréstimo, em 1938, e fez o mesmo em 1940, ao Bonsucesso, do Rio de Janeiro, temos que o passe do mesmo, em 1939, ainda pertencia ao Independiente, que o cedeu por empréstimo ao Talleres para a disputa do campeonato argentino da 2ª divisão de 1939.

No período em que jogou na argentina, disputou, apenas em jogos da primeira divisão, 52 partidas (29 vitórias, 8 empates e 15 derrotas):[15]

    • 1933 – Independiente – 1ª divisão – 2 jogos
    • 1934 – Independiente – 1ª divisão – 27 jogos
    • 1935 – Independiente – 1ª divisão – 8 jogos
    • 1936 – Independiente – 1ª divisão – nenhuma partida
    • 1937 – Independiente – 1ª divisão – nenhuma partida
    • 1938 – Estudiantes – 1ª divisão – 5 jogos
    • 1938 – Almagro – 1ª divisão – 10 jogos

Bonsucesso

Cedido pelo Independiente, por empréstimo, ao Bonsucesso, da cidade do Rio de Janeiro, Chegou ao Brasil em 20/05/1940, então com 27 anos de idade.[16]

Em 23/06/1940 estreia no Bonsucesso, em partida válida pela 10ª rodada do 1º turno do Campeonato Carioca de 1940. A partida foi no Estádio da Gávea, no Rio de Janeiro, e o Vasco da Gama venceu o Bonsucesso por 3 x 2.[17]

Em 31/12/1940 seu contrato terminou e o empréstimo para o Bonsucesso foi prorrogado por mais 1 ano.[18][19]

Fluminense

Em 22/03/1941 o Fluminense, do Rio de Janeiro, adquiriu o passe de Renganeschi. Isso gerou certa confusão, já que o contrato de empréstimo com o Bonsucesso havia sido prorrogado. Constatou-se, porém, que tal prorrogação havia sido apenas verbal, sem assinatura de contrato. Como o Fluminense pagou o valor pretendido pelo Independiente, este cedeu o passe de Renganeschi ao Fluminense.[20][21]

Em 20/04/1941 ocorreu a estreia pelo Fluminense, num amistoso no Estádio das Laranjeiras, na cidade do Rio de Janeiro, num empate de 1 x 1 entre Fluminense e Flamengo.[22]

Em 27/04/1941, uma semana depois da estreia, conquistava o Torneio Início do Campeonato Carioca de 1941, com o Fluminense.[23]

Em 23/11/1941 sagrou-se campeão carioca com o Fluminense, na última partida do Campeonato Carioca de de 1941, realizada no estádio do Flamengo, na Gávea, que terminou empatada em 2 x 2. O empate deu o título ao Fluminense.[24]

Esse jogo ficou conhecido como o Fla-Flu da lagoa, porque, como o empate daria o título ao Fluminense, os jogadores desse time, inclusive Renganeschi, em todas as oportunidades que tinham a bola, a chutavam para dentro da Lagoa Rodrigo de Freitas, localizada ao lado do estádio da Gávea.[25]

O São Cristóvão e o Flamengo pleitearam os pontos das partidas que disputaram com o Fluminense, onde Renganeschi jogou, sob alegação de que este havia sido condenado na Justiça Comum, por permanência irregular no país, e não poderia estar jogando.[26][27]

A retirada dos pontos daria o título ao Flamengo.

Renganeschi havia sido condenado, em primeira instância, a 6 meses de prisão e posterior expulsão do país, por ter ingressado como turista e permanecido definitivamente.[28] Tal condenação, inclusive, já havia sido mantida em segunda instância.[29]

Mas o julgamento ainda não havia transitado em julgado, e a situação do jogador, perante a Federação, era regular. Assim, mantiveram-se os resultados das partidas e o título do Fluminense.[30]

Posteriormente a situação do jogador foi regularizada.

Em 28/03/1943 foi novamente campeão do Torneio Início do Campeonato Carioca, de 1943, com o Fluminense.[31]

Em 31/05/1944 o contrato se encerrou, e o atleta, então com quase 31 anos, e não conseguindo acordo com o Fluminense, deixou o clube.[32]

São Paulo

Em 05/07/1944 foi contratado pelo São Paulo Futebol Clube, da cidade de São Paulo. Também estavam tentando contratá-lo as equipes do Botafogo, do Rio de Janeiro, e do Club Deportivo Marte, da 1ª Divisão do México.[33]

Além de aspectos burocráticos quanto à nacionalidade e transferência do passe, fraturou o tornozelo em um treino, o que atrasaria sua estreia.[34]

A estreia finalmente ocorreu em 18/02/1945, em um amistoso no estádio Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo, onde o São Paulo venceu o Fluminense, do Rio de Janeiro, por 3 a 2.[35]

  • Conquistou 3 títulos estaduais pelo São Paulo:[36]
    • Em 1945 (Jogo do título em 16/09/1945, no Pacaembu, São Paulo 3 x 2 Ypiranga)
    • Em 1946, de forma invicta (Jogo do título em 10/11/1946, no Pacaembu, São Paulo 1 x 0 Palmeiras)
    • Em 1948 (Jogo do título em 18/12/1948, no Pacaembu, São Paulo 4 x 2 Nacional)

Nos dois primeiros títulos foi titular da zaga e, em 1948, atuou em algumas partidas e permaneceu parte dos jogos na reserva.[37]

No último jogo da conquista de 1946, contra o Palmeiras, o gol do título foi marcado por Renganeschi. Contundido, com suspeita de fratura em uma das costelas, e por não serem permitidas substituições naquela época, ficou em campo, fazendo número, na ponta esquerda. Acabou aproveitando uma bola que bateu na trave e sobrou para ele, fazendo o gol da vitória e do título aos 37 minutos do segundo tempo, observando-se que o empate daria o título ao rival Corínthians, que dependia de um empate ou vitória do Palmeiras nessa partida para ser campeão.[38][39]

Durante o ano de 1948, já com 35 anos de idade, acabou perdendo a titularidade para o jovem Mauro Ramos de Oliveira. Mauro seria campeão nas Copas do Mundo de Futebol de 1958 (Suécia) e 1962 (Chile), pela seleção brasileira, as duas primeiras Copas do Mundo conquistadas pelo Brasil.[40]

Em 31/12/1948 o contrato com o São Paulo encerrou-se e o jogador deixou o clube.[41]

Como jogador do São Paulo disputou 103 partidas, com 60 vitórias, 23 empates e 20 derrotas. Marcou 1 único gol, justamente o da decisão do campeonato paulista de 1946.[42]

Jabaquara

Em 15/04/1949, com quase 36 anos de idade, foi contratado pelo Jabaquara,[43] da cidade de Santos, que não precisou comprar o passe do jogador junto ao São Paulo, visto que este clube, em reconhecimento aos bons serviços prestados pelo jogador, concedeu a ele o passe livre.[44]

Em 24/04/1949 estreia pelo Jabaquara. Foi em um amistoso realizado no Estádio Ulrico Mursa, na Avenida Pinheiro Machado, em Santos, entre o Jabaquara e a Portuguesa de Desportos, de São Paulo. O resultado foi um empate de 3 x 3. Renganeschi se contundiu seriamente, necessitando, inclusive, de hospitalização.[45]

Em 21/10/1949, após sucessivas contusões, com grandes períodos de afastamento, encerrou a carreira como jogador de futebol, estando, então, com 36 anos de idade.[46]


CARREIRA COMO TÉCNICO[editar | editar código-fonte]

Jabaquara

Em 21/10/1949, encerrada a carreira como jogador, no Jabaquara, imediatamente iniciou nova carreira, agora de treinador, nesse mesmo clube.

Em 23/10/1949 realizou a primeira partida, na qualidade de técnico, sucedendo o antigo treinador Manoel Rabelo. Foi a partida do Campeonato Paulista de 1949, realizada em 23/10/1949, onde o Jabaquara foi derrotado pela Portuguesa Santista, da cidade de Santos, estado de São Paulo, por 4 x 1, no Estádio Ulrico Mursa, em Santos, de propriedade da Portuguesa.[47][48]

Mas uma boa campanha na sequência, com 03 vitórias e 02 empates, em 05 partidas, fez com que o Jabaquara evitasse o rebaixamento, cujo risco existia até então.[49]

São Paulo Futebol Clube - Equipes amadoras

Após a primeira derrota, como técnico, contra a Portuguesa Santista, manteve uma invencibilidade de 11 partidas e, em 01/04/1950 rescindiu amigavelmente o contrato com o Jabaquara, transferindo-se para o São Paulo, da cidade de São Paulo, estado de São Paulo, onde passou a ser o técnico dos juvenis daquele clube.[50]

XV de Novembro de Piracicaba

Em 19/10/1950 o São Paulo cedeu, por empréstimo, o técnico Renganeschi, dos juvenis, ao XV de Novembro, da cidade de Piracicaba, estado de São Paulo, até o final do campeonato paulista daquele ano.[51]

Em 22/10/1950 estreia no XV de Novembro de Piracicaba, em partida da 9ª rodada do 1º turno do Campeonato Paulista de 1950, realizada no estádio Ulrico Mursa, em Santos, onde o XV de Novembro perdeu para a Portuguesa Santista por 3 x 1.[52]

XV de Novembro de Jaú

Após o final do campeonato paulista de 1950 (última partida em 28/01/1951), transferiu-se para o XV de Novembro, da cidade de Jau, estado de São Paulo, em março de 1951.[53]

Em 01/04/1951 estreia no XV de Novembro de Jau, em partida amistosa realizada no estádio Artur Simões, em Jau, onde o XV de Novembro de Jau venceu o Juventus, da cidade de São Paulo, por 5 x 2.[54]

Enquanto dirigia o XV de Novembro de Jau, prestou serviços como técnico, também, ao clube amador A. A. Itapuí, dessa cidade de Itapuí, estado de São Paulo, que disputava o campeonato regional amador. Comparecia 2 vezes por semana ao referido clube para orientar os defensores da equipe.[55]

Em 27/01/1952 sagrou-se campeão do Campeonato Paulista de 1951 da Segunda Divisão , tendo a final sido realizada no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, onde o XV de Novembro de Jau venceu a Linense, da cidade de Lins, estado de São Paulo, por 4 x 2.[56]

Como o acesso à 1ª divisão não era direto, o XV de Novembro de Jau teve que disputar uma série de 3 partidas com o último colocado da 1ª divisão (Jabaquara, da cidade Santos, em São Paulo), para definir quem ficaria com a vaga na 1ª divisão:

  • 1º jogo - 03/02/1952 - estádio Artur Simões, em Jau - XV de Novembro 5 x 0 Jabaquara
  • 2º jogo - 10/02/1952 - estádio Ulrico Mursa, em Santos – Jabaquara 2 x 0 XV de Novembro
  • 3º jogo - 16/02/1952 – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas – XV de Novembro 1 x 0 Jabaquara

Com a vitória na série, o XV de Novembro de Jau conquistou a vaga e disputou o Campeonato Paulista de 1952, na 1ª divisão, pela primeira vez na sua história.[57]

Seguiu no XV de Novembro de Jaú até setembro de 1952.

Portuguesa de Desportos

Em 25/09/1952 foi contratado pela Portuguesa de Desportos, da cidade de São Paulo, estado de São Paulo.[58]

Em 28/09/1952 estreia pela Portuguesa, em jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1952, realizado no Estádio da Rua Javari, na cidade de São Paulo, tendo a Portuguesa vencido o Comercial, da cidade de São Paulo, por 3 x 1.[59]

Em 20/12/1952, após derrotas para o XV de Novembro de Jau e Comercial, deixou a Portuguesa.[60]

Linense

No início de 1953 foi contratado pela Linense, da cidade de Lins, estado de São Paulo.

Em 01/03/1953 estreia na Linense, em partida do Torneio dos Campeões do Interior (Divisão de Acesso) de 1952, que era a 2a. divisão do futebol paulista, realizada no estádio Dr. Oscar de Andrade Nogueira, na cidade de São João da Boa Vista, estado de São Paulo, quando a Linense perdeu para a Sanjoanense por 3 x 1.[61]

Em 31/05/1953 foi campeão da 2a. divisão do Campeonato Paulista da segunda divisão de 1952, pela Linense, em partida final realizada no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, tendo a Linense vencido a Ferroviária, da cidade de Araraquara, por 3 x 0.[62]

Nesse ano não havia mais necessidade de disputa com o último colocado da 1ª divisão, e, com esse resultado, a Linense já estava garantida no Campeonato Paulista de 1953.[63]

XV de Novembro de Jaú - segunda passagem pelo clube

Após o término da competição, transferiu-se para o XV de Novembro, da cidade de Jau, em São Paulo, em junho de 1953.[64]

Em 14/06/1953, na estreia de sua segunda passagem pelo XV de Novembro de Jau, disputou amistoso no estádio Artur Simões, em Jau, onde o XV de Novembro venceu por 1 x 0 a Associação Desportiva Araraquara (ADA), da cidade de Araraquara, estado de São Paulo.[65]

Ferroviária

Em fevereiro de 1954 transfere-se para a Ferroviária, da cidade de Araraquara, estado de São Paulo.

Em 14/02/1954 estreia na Ferroviária, em partida da 5ª rodada do 2º turno do Campeonato Paulista da segunda divisão de 1953, realizada no estádio municipal de Araraquara, onde a Ferroviária empatou em 1 x 1 com a Associação Desportiva Araraquara (ADA), da mesma cidade.[66]

Conseguiu classificação para o Torneio dos Finalistas, disputado pelos 2 melhores times de cada grupo, e terminou o campeonato com o vice-campeonato, atrás do Noroeste, da cidade de Bauru, que subiu para a 1ª divisão.[67]

Em 05/06/1955 terminou o campeonato e o seu contrato com a Ferroviária e ele deixou o clube após dirigi-lo por 68 partidas, o maior número de partidas que um técnico já havia dirigido o time da Ferroviária até então.[68][69]

Linense - segunda passagem pelo clube

Em seguida transferiu-se para a Linense, da cidade de Lins, estado de São Paulo, para dirigir esse clube pela segunda vez.

Em 10/07/1955 estreia na Linense, em amistoso realizado na cidade de Ipaussu, em São Paulo, no estádio Arnaldo Borba de Moraes, onde a Linense venceu o Clube Atlético Ipauçuense, daquela cidade, por 2 x 0.[70]

Em 24/07/1955, a Linense foi vice-campeã do Torneio Início Paulista, do Campeonato Paulista 1955, realizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, perdendo apenas a final para o Corínthians, da cidade de São Paulo, por 4 x 0.[71]

Comercial

Em janeiro de 1956 assinou contrato com o Comercial, da cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo.

Em 22/01/1956 estreia pelo Comercial, em partida válida pela 2ª rodada do 1º turno do Torneio dos Finalistas do Campeonato Paulista da segunda divisão de 1955, realizada no Estádio da Fonte Luminosa, na cidade de Araraquara, onde o Comercial perdeu para a Ferroviária por 2 x 1.[72]

Em 15/05/1956 assina novo contrato com o Comercial,[73] por 1 ano, mas em 07/09/1956 tal contrato foi rescindido.[74]

Noroeste

Transferiu-se em seguida para o Noroeste, da cidade de Bauru, no estado de São Paulo.

Em 09/09/1956 estreia pelo Noroeste na partida do Campeonato Paulista de 1956, realizada nessa data e no Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru, quando o Noroeste venceu o Jabaquara, da cidade de Santos, por 4 x 1.[75]

Apesar de conquistar 2 vitórias e 1 empate em 3 jogos, não conseguiu classificação para a série azul, onde disputariam o título paulista os 10 melhores times da primeira fase.

Disputou a série branca, ou torneio de rebaixamento, onde os 08 piores classificados da primeira fase disputariam um torneio para decidir quem seria rebaixado.

Ficou em primeiro lugar desse torneio, evitando com folga o rebaixamento.[76]

Em 16/10/1957, não conseguindo classificação para a série azul do Campeonato Paulista de 1958, deixou o Noroeste.[77]

Jabaquara - segunda passagem pelo clube

Em 08/11/1957 foi contratado pelo Jabaquara, de Santos.[78]

Em 10/11/1957 estreia pelo Jabaquara na partida do Campeonato Paulista de 1957, realizada nessa data e no Estádio da Vila Belmiro, na cidade de Santos, quando o Jabaquara venceu a Ponte Preta, da cidade de Campinas, em São Paulo, por 4 x 1.[79]

Em 07/02/1958, e após concluído o Campeonato Paulista de 1957, deixou o Jabaquara, e foi contratado pelo XV de Novembro, da cidade de Piracicaba.[80]

XV de Novembro de Piracicaba - segunda passagem pelo clube

Tendo sido contratado em 07/02/1958, estreou pelo XV de Novembro de Piracicaba no amistoso realizado nessa data e no estádio Municipal, da cidade de São Carlos, no estado de São Paulo, quando o XV de Novembro empatou em 2 x 2 com o time Expresso São Carlos, daquele município paulista.[81]

São Paulo

Em 31/07/1958 assumiu a direção técnica do São Paulo Futebol Clube.[82]

Em 31/07/1958 estreia no São Paulo, em jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1958, realizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, com o São Paulo vencendo o Ypiranga por 3 x 0.[83]

Em 26/04/1959 solicitou rescisão do contrato com o São Paulo, mas permaneceu dirigindo o time até o último jogo no Torneio Rio-São Paulo de 1959, que aconteceu no dia 16/05/1959, no Pacaembu, em São Paulo, quando o São Paulo venceu o Flamengo, do Rio de Janeiro, por 4 x 2.[84][85]

Como técnico do São Paulo disputou 56 partidas, com 33 vitórias, 14 empates e 9 derrotas.[86]

Esporte Clube Noroeste - segunda passagem pelo clube

Em 03/06/1959 foi contratado pelo Noroeste, da cidade de Bauru, estado de São Paulo.[87]

Em 07/06/1959 estreia pelo Noroeste, em partida válida pela 3ª rodada do Campeonato Paulista de 1959, realizada no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, quando o Noroeste perdeu para a Ponte Preta, daquela cidade, por 2 x 1.[88]

XV de Novembro de Jaú - terceira passagem pelo clube

Em 07/01/1960 foi contratado pelo XV de Novembro, da cidade de Jau, em São Paulo, num contrato de 1 mês ou enquanto durasse o “Torneio da Morte”, como era conhecido o torneio que definiria as equipes que seriam rebaixadas para a 2ª divisão do campeonato paulista.[89]

Em 10/01/1960 estreia pelo XV de Novembro de Jau, no “Torneio da Morte”, ou Torneio de Desclassificação, do Campeonato Paulista de 1959, em partida realizada no estádio Artur Simões, na cidade de Jau, quando o XV de Novembro perdeu para a Portuguesa Santista, da cidade de Santos, por 1 x 0.[90]

O XV de Novembro de Jau acabou rebaixado para a 2ª divisão do Campeonato Paulista de 1960.[91]

Guarani Futebol Clube

No início de março de 1960 assina contrato com o Guarani, da cidade de Campinas, estado de São Paulo.[92]

Em 13/03/1960 estreia pelo Guarani, em amistoso na cidade de Bauru, no Estádio Alfredo de Castilho, quando o Guarani empatou com o Noroeste, daquela cidade, por 1 x 1.[93]

Em 05/01/1961 deixou o Guarani.[94]

Palmeiras

Em 15/01/1961 assumiu a direção técnica do Palmeiras, da cidade de São Paulo, estado de São Paulo.[95]

Em 28/01/1961 estreia no Palmeiras, em amistoso na cidade de Goiânia, estado de Goiás, quando o Palmeiras venceu o Vila Nova, daquela cidade, por 1 x 0, em partida realizada no estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira.[96]

Foi vice campeão da Taça Libertadores da América de 1961, com o Palmeiras, perdendo a final para a equipe do Peñarol, do Uruguai. No primeiro jogo da final, em 04/06/1961, o Palmeiras perdeu por 1 x 0 no Estádio Centenário, da cidade de Montevidéu, no Uruguai. No jogo de volta, em 11/06/1961, no Estádio do Pacaembu, na cidade de São Paulo, o resultado foi 1 x 1, o que deu o título do time uruguaio.[97]

Em 29/10/1961, após derrota para o Guarani, por 2 x 0, deixou o Palmeiras.[98]

Como técnico do Palmeiras disputou 57 partidas, com 32 vitórias, 13 empates e 12 derrotas.[99]

Portuguesa Santista

Em 04/11/1961 já estava contratado pela Portuguesa Santista, da cidade de Santos, estado de São Paulo, com contrato até o final do Campeonato Paulista de 1961 e prêmio especial se evitasse o rebaixamento do time para a 2ª divisão, visto que a posição do time na tabela de classificação era muito ruim.[100]

Em 05/11/1961 estreia na Portuguesa Santista, em partida válida pelo campeonato paulista de 1961, realizada no Estádio do Canindé, em São Paulo, onde a Portuguesa Santista perdeu por 2 x 0 para a Portuguesa de Desportos, de São Paulo.[101]

Não conseguiu evitar o rebaixamento da Portuguesa Santista.[102]

Prudentina

Em janeiro de 1962 foi contratado pela Prudentina, da cidade de Presidente Prudente, em São Paulo, para o Campeonato Paulista de 1962.[103]

Em 11/02/1962 estreia na Prudentina, em amistoso realizado no Estádio Vitorino Gonçalves Dias (VGD), na cidade de Londrina, no estado do Paraná, no qual a Prudentina perdeu para o Londrina, daquela cidade, por 3 x 2.[104]

Em fevereiro de 1963 renovou contrato com a Prudentina.[105]

Independiente

No final de março de 1963 foi contratado pelo Independiente, de Avellaneda, Província de Buenos Aires, na Argentina, clube onde atuara como jogador no início da carreira.[106]

Em 16/03/1963 estreia pelo Independiente, em partida válida pelo torneio amistoso hexagonal “Um torneo serio”, de 1963, realizada no estádio do Atlanta, que atualmente tem o nome de Estádio Don León Kolbowski, em Buenos Aires, onde o Independiente perdeu para a equipe do Club Atlético Atlanta, de Buenos Aires, por 4 x 3.[107]

Em 15 de setembro de 1963 o contrato com o Independiente foi rescindido.[108]

O Independiente acabou se tornando Campeonato Argentino de 1963, em 24/11/1963, sob comando do técnico Manuel Giúdice.

Entretanto, O técnico Renganeschi dirigiu o time nesse campeonato, até sair em 15/09/1963, após derrota para o Racing por 4 x 0, em 17 partidas, com 7 vitórias, 7 empates e 3 derrotas (29 gols a favor e 19 contra).

O sucessor, Giúdice, dirigiu a equipe por 9 partidas, com 7 vitórias e 2 empates (24 gols a favor e 6 contra).[109][110]

Guarani - segunda passagem pelo clube

Em novembro de 1963 assina contrato com o Guarani, da cidade de Campinas, estado de São Paulo.[111]

Em 03/11/1963 estreia pelo Guarani, em partida válida pelo 2º turno do Campeonato Paulista de 1963, realizada no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, onde o Guarani venceu o Comercial, da cidade de Ribeirão Preto, por 4 x 2.[112]

Em 31 de dezembro de 1964 terminou o contrato e deixou o Guarani.[113]

Ferroviária - segunda passagem pelo clube

No início de 1965 foi contratado pela Ferroviária, da cidade de Araraquara, estado de São Paulo.[114]

Em 13/02/1965 estreia pela Ferroviária no primeiro jogo disputado pelo time em 1965, em um amistoso realizado no Estádio Luís Pereira, em Ribeirão Preto, onde a Ferroviária perdeu para o Botafogo daquela cidade por 3 x 2.[115]

XV de Novembro de Jaú - quarta passagem pelo clube

Em 23/07/1965 rescindiu contrato com a Ferroviária e foi contratado pelo XV de Novembro, da cidade de Jau, estado de São Paulo.[116]

Em 24/07/1965 estreia pelo XV de Novembro de Jau, em partida válida pelo Campeonato Paulista da Primeira Divisão de 1965 (o segundo nível do campeonato estadual, sendo o primeiro nível o da Divisão Especial), no Estádio Moisés Lucarelli, na cidade de Campinas, quando o XV de Novembro de Jau e a Ponte Preta, daquela cidade, empataram em 4 x 4.[117]

Em 17/08/1965, menos de 1 um mês após ser contratado, deixou o XV de Novembro de Jau e foi contratado pelo Flamengo, da cidade do Rio de Janeiro.[118]

Flamengo

Em 22/08/1965 estreia pelo Flamengo, em partida válida pela Taça Guanabara de 1965 (então um campeonato separado e distinto do campeonato carioca), realizado no Estádio do Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, onde o Flamengo perdeu para o Botafogo, também da cidade do Rio de Janeiro, por 1 x 0.[119]

Pelo Flamengo foi campeão carioca em 1965 (pontos corridos em turno e returno) e vice campeão carioca em 1966.[120]

No início de julho de 1967 deixou o Flamengo.[121]

Como técnico do Flamengo, disputou 125 partidas, com 55 vitórias, 32 empates e 38 derrotas.[122]

Botafogo (Ribeirão Preto)

Em 15/07/1967 já estava contratado pelo Botafogo, da cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo.[123]

Em 30/07/1967 estreia pelo Botafogo, em partida válida pelo Campeonato Paulista de 1967, realizada no Estádio Luís Pereira, na cidade de Ribeirão Preto, onde o Botafogo perdeu para o São Paulo por 3 x 0.[124]

XV de Novembro de Piracicaba - terceira passagem pelo clube

Em 20/09/1967 rescinde contrato com Botafogo para assumir a direção técnica do XV de Novembro, da cidade de Piracicaba, estado de São Paulo.[125]

Em 24/09/1967 estreia pelo XV de Novembro de Piracicaba, em partida realizada no Estádio Barão de Serra Negra, na cidade de Piracicaba, pelo Campeonato Paulista de 1967 da Primeira Divisão, que era a divisão de acesso (equivalente a 2ª divisão). O XV de Novembro derrotou a Ponte Preta, da cidade de Campinas, por 1 x 0.

Nessa partida o XV de Piracicaba somou a 22ª partida seguida sem derrotas e recebeu a Taça dos Invictos do interior.[126]

Em 17/01/1968 o XV de Novembro de Piracicaba sagrou-se campeão da 1a. Divisão, ou Divisão de Acesso, de 1967, o que lhe deu o direito de disputar o campeonato paulista da Divisão Especial de 1968, onde atuavam os grandes clubes do estado.

A partida foi realizada no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, e o XV de Novembro venceu a equipe do Bragantino, da cidade de Bragança Paulista, estado de São Paulo, por 4 x 3.[127]

Em 20/02/1968 já havia deixado o XV de Novembro de Piracicaba.[128]

Portuguesa Santista - segunda passagem pelo clube

Em 06/03/1968 assumiu a direção técnica da Portuguesa Santista, da cidade de Santos, estado de São Paulo.[129]

Em 06/03/1968 estreia pela Portuguesa Santista, em partida válida pelo Campeonato Paulista de 1968, realizada no Estádio Ulrico Mursa, em Santos, quando a Portuguesa Santista foi derrotada pelo Palmeiras, de São Paulo, por 4 x 2.[130]

Em 31/07/1968 o contrato se encerrou e não foi renovado. Deixou a Portuguesa Santista.[131]

Paulista

No início de agosto de 1968 foi contratado pelo Paulista, da cidade de Jundiaí, estado de São Paulo.[132]

Em 11/08/1968 estreia pelo Paulista, vencendo a equipe do Saad, de São Caetano do Sul, em São Paulo, por 3 x 1. A partida, válida pelo Campeonato Paulista de 1968, foi realizada no Estádio Jayme Cintra, na cidade de Jundiaí.[133]

No início de novembro de 1968 deixou o Paulista.[134]

Portuguesa Santista - terceira passagem pelo clube

Em dezembro de 1968 já estava trabalhando na Portuguesa Santista, da cidade de Santos, estado de São Paulo.[135]

Em 12/01/1969 estreia na Portuguesa Santista, no Torneio Início do Campeonato Paulista. A equipe ficou em 3º Lugar da 2ª Série, disputada no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, na cidade de Campinas.[136]

No final de setembro de 1969 deixou a Portuguesa Santista.[137]

Sport Club do Recife

No início de outubro de 1969 foi contratado pelo Sport, da cidade de Recife, Estado de pernambuco.[138]

Em 08/10/1969 estreia pelo Sport, em partida amistosa realizada no Estádio da Ilha do Retiro, em Recife, onde Sport e Cruzeiro, da cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, empataram em 0 x 0.[139]

Em 11/11/1969 estava de saída do Sport.[140]

Guarani - terceira passagem pelo clube

Em 30/11/1969 já estava trabalhando no Guarani, da cidade de Campinas, estado de São Paulo.

Em 30/11/1969 estreia pelo Guarani, em amistoso realizado no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, na cidade de Campinas, em disputa da Taça Amizade, onde Guarani e Ponte Preta empataram em 0 x 0.[141]

Em 11/04/1971 deixou o Guarani.[142]

Comercial (Ribeirão Preto) - segunda passagem pelo clube

Não há registro de quando efetivamente iniciou o trabalho no Comercial, da cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo. Mas em 12/08/1971 já estava dirigindo o time. Dirigiu por todo o Paulistinha (Torneio de classificação para o campeonato paulista de 1972), que começou em 22/08/1971.[143]

Em dezembro de 1971 encerrou a participação do Comercial no Paulistinha, não conseguindo a classificação o campeonato paulista de 1972.

Atlético Clube Goaniense

Em 23/02/1972 assumiu a direção técnica do Atlético, da cidade de Goiânia, Estado de Goiás.[144]

Em 27/02/1972 estreia no Atlético, em partida realizada no estádio Onofre de Cubas, na cidade de Itumbiara, em Goiás, válida por um torneio denominado Copa Sul, onde o Atlético venceu o Itumbiara por 2 x 0.[145]

Em 26/11/1972 renova contrato com o Atlético.[146]

Ficou até final do ano no Atlético. Em 21/01/1973 o técnico do time já era o ex jogador Zuino.[147]

Noroeste - terceira passagem pelo clube

Em 18/01/1973 estava no Noroeste, da cidade de Bauru, estado de São Paulo.[148]

Em 21/01/1973 estreia no Noroeste, em partida realizada no Estádio Alfredo de Castilho, na cidade de Bauru, válida pelo Torneio Laudo Natel, onde o Noroeste venceu a Ferroviária, da cidade de Araraquara, por 2 x 0.[149]

Em 12/09/1973 saiu do Noroeste.[150]

Comercial (Ribeirão Preto) - terceira passagem pelo clube

Em 20/09/1973 foi contratado pelo Comercial, da cidade de Ribeirão Preto, estado de São Paulo.

Estreia em 20/09/1973 em partida realizada no Estádio Palma Travassos, na cidade de Ribeirão Preto, válida pelo Torneio de Classificação para o campeonato paulista de 1974 (Paulistinha), onde o Comercial venceu o Nacional, da cidade de São Paulo, por 3 x 0.

Em 15/07/1974 já havia saído do Comercial.[151]

Coritiba

Em 29/07/1974 foi contratado pelo Coritiba, da cidade de Curitiba, Estado do Paraná.[152]

Em 04/08/1974 estreia pelo Coritiba, em partida realizada no estádio Natal Francisco, na cidade de Paranavaí, no Paraná, válida pela 1ª fase do Campeonato Paranaense de 1974, onde o Coritiba empatou com a equipe do Paranavaí, daquela cidade, por 1 x 1.[153]

Em 11/12/1974 o Coritiba foi campeão paranaense, ao vencer o Pinheiros por 1 x 0, no Estádio Belfort Duarte, atualmente com o nome de Couto Pereira, na cidade de Curitiba, no Paraná.[154]

Em 05/03/1975 deixou o Coritiba.[155]

Pinheiros

Em 15/04/1975 foi contratado pelo Pinheiros, da cidade de Curitiba, no Estado do Paraná (clube que, em 1989, fundiu-se com o Colorado, dando origem ao atual Paraná Clube).[156]

Em 16/04/1975 assume o comando técnico da equipe e estreia pelo Pinheiros, em partida válida pela 9ª rodada do Campeonato Paranaense de 1975, realizada no Estádio Belfort Duarte, em Curitiba, no Paraná (atualmente denominado estádio Couto Pereira), e onde as equipes do Pinheiros e do Grêmio Maringá, da cidade de Maringá, no Paraná, empataram em 1 x 1.[157]

Em 05/12/1975 deixou o Pinheiros.[158]

Juventus

Em 10/12/1975 foi anunciada sua contratação pelo Juventus, da cidade de São Paulo, no estado de São Paulo.[159]

Em 11/01/1976 estreia no Juventus, em partida válida pelo Torneio Vicente Feola, em homenagem ao ex técnico que falecera recentemente. A partida foi realizada no Estádio Nicolau Alayon, conhecido como estádio da Rua Comendador Souza, na cidade de São Paulo, e o Juventus perdeu para a Ponte Preta por 2 x 0.[160]

No final de abril de 1976 deixou o Juventus.

Colorado

Em 30/04/1976 foi contratado pelo Colorado, da cidade de Curitiba, no Estado do Paraná (clube que se fundiu com o Pinheiros, em 1989, dando origem ao atual Paraná Clube).[161]

Em 12/05/1976 estreia no Colorado, em partida válida pela 7ª rodada do 2º turno do Campeonato Paranaense de 1976, realizada no Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema), onde o Colorado venceu a equipe do Iguaçu, da cidade de União da Vitória, no Paraná, por 1 x 0.[162]

O Colorado acabou vencendo o 3º turno do campeonato paranaense, classificando-se para o quadrangular final. Foi vice campeão paranaense, e o Coritiba.[163]

Ponte Preta

Em 15/08/1976 já estava contratado pela Ponte Preta, da cidade de Campinas, no estado de São Paulo. Mas ainda não dirigiu o time nessa data, estreando na próxima rodada.[164]

Em 18/08/1976 estreia pela Ponte Preta, em jogo válido pela 12ª rodada do 2º turno do Campeonato Paulista de 1976, realizada no Estádio Mário Alves Mendonça, na cidade de São José do Rio Preto, em São Paulo, onde a Ponte Preta empatou com o América, daquela cidade, por 1 x 1.[165]

Em 01/12/1976 deixou a Ponte Preta.[166]

Colorado - segunda passagem pelo clube

Em 02/12/1976 já estava contratado pelo Colorado, da cidade de Curitiba, no estado do Paraná (clube que se fundiu com o Pinheiros, em 1989, dando origem ao atual Paraná Clube).[167]

Em 16/01/1977 estreia no Colorado, em partida válida pelo torneio amistoso Taça Clemente Comandulli, realizada no Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema), onde o Colorado empatou com o Atlético Paranaense, da cidade de Curitiba, no Paraná, em 1 x 1.[168]

Em 19/09/1977 deixou o Colorado.[169]

Londrina

Em 21/09/1977 foi contratado pelo Londrina, da cidade de Londrina, no estado do Paraná.[170]

Em 24/09/1977 estreia no Londrina, em amistoso realizado no Estádio Vitorino Gonçalves Dias (VGD), na cidade de Londrina, no Paraná, onde o Londrina venceu o Matsubara, da cidade de Cambará, no Paraná, por 2 x 1.[171]

O Londrina terminou o Campeonato Brasileiro de 1977 na surpreendente 4ª colocação, sendo o melhor resultado do time no certame nacional em toda a história.[172]

Em 03/03/1978 foi anunciada sua saída do Londrina.[173]

Corínthians

Em 07/03/1978 foi contratado pelo Corínthians, da cidade de São Paulo, estado de São Paulo.[174]

Em 12/03/1978 estreia pelo Corínthians, em amistoso realizado no Estádio Juca Ribeiro, na cidde de Uberlândia, em Minas Gerais, onde o Corínthians empatou com a equipe do Uberlândia, daquela cidade, em 1 x 1.[175]

Em 04/07/1978 deixou o Corínthians.[176]

Como técnico do Corínthians disputou 21 partidas, com 10 vitórias, 7 empates e 4 derrotas.[177]

Maringá

Na metade do mês de agosto de 1978 foi contratado pelo Maringá, da cidade de Maringá, no estado do Paraná.

Em 20/08/1978 estreia no Maringá, em partida válida pelo Campeonato Paranaense de 1978, realizada no Estádio Willie Davids, na cidade de Maringá, no Paraná, onde o Maringá venceu a equipe do 9 de Julho, da cidade de Cornélio Procópio, no Paraná, por 1 x 0.[178]

Em 10/11/1978 deixou o Maringá.[179]

Uberlândia

Em 11/01/1979 assumiu a direção técnica do Uberlândia, da cidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais.[180]

Em 28/01/1979 estreia no Uberlândia, em partida válida pelo Torneio da Criança (homenagem ao ano internacional da criança), realizada no Estádio Municipal Juscelino Kubitschek, na cidade de Itumbiara, estado de Goiás, onde o Uberlândia venceu o Itumbiara, daquela cidade, por 1 x 0.[181]

Em 12/05/1979 deixou o Uberlândia.[182]

São Bento

Foi contratado pelo São Bento, da cidade de Sorocaba, estado de São Paulo.

Há referências indicando que, em 23/07/1979 o técnico da equipe ainda era Habib Rachid.[183]

E há referências indicando que, em 25/07/1979, Renganeschi dirigiu o São Bento em partida válida pela 8ª rodada do 1º turno do Campeonato Paulista de 1979, realizada no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, onde o São Bento empatou com o Juventus, da cidade de São Paulo, em 1 x 1, que foi, então, a partida de estreia.[184]

E em 27/08/1979 deixou o São Bento.[185]

Bahia

Em 02/10/1979 estava no Bahia, da cidade de Salvador, no Estado da Bahia, substituindo o antigo técnico Zezé Moreira, que se aposentou.[186]

Em 03/10/1979 estreia pelo Bahia, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro de 1979, realizada no Estádio da Fonte Nova, na cidade de Salvador, na Bahia, onde o Bahia venceu a equipe do Dom Bosco, da cidade de Cuiabá, no Mato Grosso, por 2 x 1.[187]

Em 15/11/1979 saiu do Bahia.[188]

Cascavel

Em 18/12/1980 foi contratado pelo Cascavel, da cidade de Cascavel, no estado do Paraná.[189]

Em 11/01/1981 estreia pelo Cascavel, em partida válida pela Taça de Prata (que era a 2ª divisão do campeonato brasileiro na época), em partida realizada no Estádio Santa Cruz, na cidade de Ribeirão Preto, onde o Cascavel perdeu para a equipe do Botafogo, daquela cidade, por 1 x 0.[190]

Em 17/03/1981 havia deixado a direção do Cascavel.[191]

Matsubara

Em seguida foi contratado pelo Matsubara, da cidade de Cambará, no Estado do Paraná.

Em 05/04/1981 estreia pelo Matsubara, em amistoso realizado no Estádio Regional de Cambará, onde o Matsubara empatou com a Ferroviária, da cidade de Araraquara, em São Paulo, por 2 x 2.[192]

Em 12/11/1981, com o final do campeonato paranaense, rescindiu o contrato com o Matsubara.[193]

Afastamento

Durante o ano de 1982 não dirigiu nenhum clube. Chegou a ser sondado e procurado por vários. Estava com problemas de saúde que provavelmente o impediram de assumir compromissos com clubes.[194][195]

Matsubara - segunda passagem pelo clube

Em 30/03/1983 foi contratado pelo Matsubara, da cidade de Cambará, no estado do Paraná.[196]

Em 01/04/1983 estreia no Matsubara, em partida amistosa realizada no Estádio Regional de Cambará, onde o Matsubara venceu o Londrina, da cidade de Londrina, no Paraná, por 2 x 0.[197]

Em 05/06/1983 ainda estava no Matsubara, mas estava afastado da função de técnico por problemas de saúde.[198]

Não retornou e não dirigiu nenhum outro time posteriormente.

RESUMO COMO TÉCNICO[editar | editar código-fonte]

Atuou como técnico em 51 oportunidades:

4 vezes: XV de Novembro (Jau).

3 vezes: XV de Novembro (Piracicaba), Comercial (Ribeirão Preto), Noroeste, Guarani e Portuguesa Santista.

2 vezes: Jabaquara, Linense, Ferroviária, Colorado e Matsubara.

1 vez: São Paulo (juvenis), Portuguesa de Desportos, São Paulo, Palmeiras, Prudentina, Independiente, Flamengo, Botafogo (Ribeirão Preto), Paulista (Jundiaí), Sport (Recife), Atlético Goianiense, Coritiba, Pinheiros, Juventus, Ponte Preta, Londrina, Corínthians, Maringá, Uberlândia, São Bento (Sorocaba), Bahia e Cascavel.

TÍTULOS[editar | editar código-fonte]

JOGADOR

Torneio Início do Campeonato Carioca de 1941 - Fluminense

Campeão carioca de 1941 - Fluminense

Torneio Início do Campeonato Carioca de 1943 - Fluminense

Campeão Paulista de 1945 - São Paulo

Campeão Paulista de 1946 - São Paulo

Campeão Paulista de 1948 - São Paulo

TÉCNICO

Campeão da 2a divisão do Campeonato Paulista de 1951 - XV de Novembro de Jau

Campeão da 2a divisão do Campeonato Paulista de 1952 - Linense

Campeão carioca de 1965 - Flamengo

Campeão da 2a divisão do Campeonato Paulista de 1967 - XV de Novembro de Piracicaba

Campeão paranaense de 1974 - Coritiba

RESULTADOS RELEVANTES[editar | editar código-fonte]

JOGADOR

Vice campeão argentino de 1934 - Independiente

Vice campeão argentino de 1935 - Independiente

TÉCNICO

Vice campeão da 2a divisão do Campeonato Paulista de 1953 - Ferroviária

Vice campeão do Torneio Início do Campeonato Paulista de 1955 - Linense

Vice campeão da Copa Libertadores da América de 1961 - Palmeiras

Vice campeão carioca de 1966 - Flamengo

Vice campeão paraense de 1976 - Colorado

4o. lugar no Campeonato Brasileiro de 1977 - Londrina


Referências

  1. O GLOBO SPOTIVO. Rio de Janeiro. 10/01/1941. Um crack por semana. http://memoria.bn.br/docreader/104710/2748. Acessado em 06/10/2017
  2. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 13/10/1983. Renganeschi: um treinador respeitado por todo mundo. http://memoria.bn.br/docreader/112518_05/20014. Acessado em 06/10/2017
  3. MARCELO ROZEMBERG. BLOG TERCEIRO TEMPO. Renganescho. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  4. Mapa da cidade. https://www.google.com.br/maps/@-22.9656711,-47.133811,17z. Acessado em 06/10/2017
  5. https://es.wikipedia.org/wiki/Club_Atlético_Central_Norte_(Tucumán)
  6. DIA8PUBLICIDAD. PÁGINA INFOFUTBOL. Armando Federico Renganeschi. http://www.infofutbol.com.ar/?seccion=verJugador&id=10151#. Acessado em 06/10/2017
  7. O GLOBO SPORTIVO. Um crack por semana. 10/01/1941. http://memoria.bn.br/DocReader/104710/2748. Acessado em 06/10/2017
  8. DIA8PUBLICIDAD. PÁGINA INFOFUTBOL. Armando Federico Renganeschi. http://www.infofutbol.com.ar/?seccion=verJugador&id=10151#. Acessado em 06/10/2017
  9. CLUB ALMAGRO. 1936 - 2o. Division. http://www.elsitiodealmagro.com.ar/1936-2o-division/. Acessado em 06/10/2017
  10. CLUB ATLÉTICO INDEPENDIENTE. Títulos. http://clubaindependiente.com/es/futbol/titulos. Acessado em 06/10/2017
  11. CLUB ALMAGRO. 1938 - 1o. Division. http://www.elsitiodealmagro.com.ar/1938-1o-division/. Acessado em 06/10/2017
  12. DIA8PUBLICIDAD. PÁGINA INFOFUTBOL. Armando Federico Renganeschi. http://www.infofutbol.com.ar/?seccion=verJugador&id=10151#. Acessado em 06/10/2017
  13. BDFA. BASE DE DATOS DEL FUTBOL ARGENTINO. 1939 Plante. Campeón de Club Atlético Independiente. http://www.bdfa.com.ar/campeones-nacionales-1939-Primera-Divisi%C3%B3n-Independiente-9.html. Acessado em 06/10/2017
  14. EL MUNDO. Buenos Aires. 25/11/1939. Edição impressa. “Talleres, 6; Sp. Acassuso, 3”. Acessado em 06/10/2017
  15. DIA8PUBLICIDAD. PÁGINA INFOFUTBOL. Armando Federico Renganeschi. http://www.infofutbol.com.ar/?seccion=verJugador&id=10151#. Acessado em 06/10/2017
  16. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 21/05/1940. Quatro Argentinos mais para o football brasileiro. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/14462. Acessado em 06/10/2017
  17. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 25/06/1940. O football na tarde do domingo que passou. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/14666. Acessado em 06/10/2017
  18. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 02/03/1941. Renganeschi. Mais um anno no Bomsuccesso. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/16082. Acessado em 06/10/2017
  19. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 02/03/1941. Renganeschi. Mais um anno no Bomsuccesso. Continuação. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/16087. Acessado em 06/10/2017
  20. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 22/03/1941. Renganeschi apto a ingressar no Fluminense. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/16193. Acessado em 06/10/2017
  21. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 26/03/1941. Nenhum entrave à permanência de Renganeschi no Fluminense. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/16213. Acessado em 06/10/2017
  22. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 22/04/1941. O jogo entre o Flamengo e o Fluminense. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/9431. Acessado em 06/10/2017
  23. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 29/04/1941. O tradicional Torneio "Initium" de football. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/9570. Acessado em 06/10/2017
  24. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 25/11/1941. O Fluminense é, novamente, o campeão da cidade. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/14032. Acessado em 06/10/2017
  25. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 22/09/1984. O clássico que mudou a história do futebol. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_05/24966. Acessado em 06/10/2017
  26. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 25/11/1941. O Flamengo pediu a anulação do jogo com o Fluminense. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/14032. Acessado em 06/10/2017
  27. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 14/12/1951. Os dois "casos" Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/41481. Acessado em 06/10/2017
  28. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 13/07/1941. O caso do jogador Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/11134. Acessado em 06/10/2017
  29. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 14/11/1941. Condenados os jogadores de football Dacunto Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/13790. Acessado em 06/10/2017
  30. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 14/12/1951. Os dois "casos" Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/41481. Acessado em 06/10/2017
  31. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 30/03/1943. Notas Esportivas. A temporada de football do corrente ano. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_06/21595. Acessado em 06/10/2017
  32. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 30/05/1944. Renganeschi pede cifras gritantes; não ameça, porém, desertar. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/22183. Acessado em 06/10/2017
  33. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 04/07/1944. Vencedor o S. Paulo no pareo "Renganeschi". http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/22365. Acessado em 06/10/2017
  34. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 01/08/1944. Renganeschi começou mal. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/22511. Acessado em 06/10/2017
  35. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 20/02/1945. Football medíocre no prelio São Paulo x Fluminense. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/23541. Acessado em 06/10/2017
  36. SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE. Conquistas. http://www.saopaulofc.net/spfcpedia/conquistas/. Acessado em 06/10/2017
  37. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 16/09/1949. Nossos grandes vultos do passado. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/2554. Acessado em 06/10/2017
  38. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 12/11/1946. Campeão paulista, o São Paulo F. C. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/27163. Acessado em 06/10/2017
  39. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 20/02/1953. Glorias e tristezas em doze anos de Pacaembu. 1946. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/6735. Acessado em 06/10/2017
  40. TARDES DE PACAEMBU. O FUTEBOL SEM AS FRONTEIRAS DO TEMPO. 09/06/2013. Mauro...um nobre que não se sujava. https://tardesdepacaembu.wordpress.com/tag/mauro-ramos-de-oliveira/. Acessado em 06/10/2017
  41. JORNAL DO SPORTS. Rio de Janeiro. 07/01/1949. Sem contrato Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/32307. Acessado em 06/10/2017
  42. ALEXANDRE DA COSTA. ALMANAQUE DO SÃO PAULO. Citado no Blog Terceiro Tempo. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  43. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 15/04/1949. Página dos consulentes. Item 3 da resposta a Curioso. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/2199. Acessdo em 06/10/2017
  44. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 17/06/1949. Página dos consulentes. Resposta a Paulo Ramos. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/2343. Acessado em 06/10/2017
  45. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 26/04/1949. Página 09. Sem vencedor o amistoso de anteontem em Ulrico Mursa. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1949/04/26/1//219053. Acessado em 06/10/2017
  46. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 22/10/1949. Renganeschi para técnico. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/34467. Acessado em 06/10/2017
  47. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 22/10/1949. Renganeschi para técnico. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/34467. Acessado em 06/10/2017
  48. JORNAL DE NOTÍCIAS. São Paulo. 21/10/1949. Sem novidades a Portuguesa de Santos. http://memoria.bn.br/DocReader/583138/10993. Acessado em 06/10/2017
  49. RSSSF BRASIL. Campeonato Paulista 1949. http://www.rsssfbrasil.com/tablessz/sp1949.htm. Acessado em 06/10/2017
  50. JORNAL DE NOTÍCIAS. São Paulo. 01/04/1950. Renganeschi novamente no São Paulo. http://memoria.bn.br/DocReader/583138/12715. Acessado em 06/10/2017
  51. JORNAL DE NOTÍCIAS. São Paulo. 19/10/1950. Renganeschi no XV de Novembro. http://memoria.bn.br/DocReader/583138/15044. Acessado em 06/10/2017
  52. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 24/10/1950. Página 07. Baqueou o E. C. XV de Novembro. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1950/10/24/1//5050775. Acessado em 06/10/2017
  53. JORNAL DE NOTÍCIAS. São Paulo. 28/03/1951. Atuará em Jau o Juventus. http://memoria.bn.br/DocReader/583138/16743. Acessado em 06/10/2017
  54. TIAGO PAVINO. SETOR DO GALO. 26/05/2015. O primeiro acesso à elite: XV de Jau campeão de 1951. https://setordogalo.wordpress.com/2015/05/26/o-primeiro-acesso-a-elite-xv-de-jau-campeao-em-1951/. Acessado em 06/10/2017
  55. JORNAL DE NOTÍCIAS. São Paulo. 02/09/1951. O governador deverá visitar hoje Itapuí. Item Futebol. http://memoria.bn.br/DocReader/583138/18435. Acessado em 06/10/2017
  56. TIAGO PAVINO. SETOR DO GALO. 26/05/2015. O primeiro acesso à elite: XV de Jau campeão de 1951. https://setordogalo.wordpress.com/2015/05/26/o-primeiro-acesso-a-elite-xv-de-jau-campeao-em-1951/. Acessado em 06/10/2017
  57. TIAGO PAVINO. SETOR DO GALO. 26/05/2015. O primeiro acesso à elite: XV de Jau campeão de 1951. https://setordogalo.wordpress.com/2015/05/26/o-primeiro-acesso-a-elite-xv-de-jau-campeao-em-1951/. Acessado em 06/10/2017
  58. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 26/09/1952. Página 07. Colombo será o extrema esquerda do Corínthians no jogo contra o Santos. No final do texto, no tópico Renganeschi contratado. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1952/09/26/1//4654398. Acessado em 06/10/2017
  59. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 30/09/1952. Mesmo com Pontoni Deficiente melhorou a Portuguesa. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/6121. Acessado em 06/10/2017
  60. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 21/12/1952. Renganeschi não fez o milagre e foi dispensado. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/45083. Acessado em 06/10/2017
  61. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 03/03/1953. Sanjoanense. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/6786. Acessado em 06/10/2017
  62. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 02/06/1953. Página 08. Lins conquistou o direito de figurar na 1a divisão. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1953/06/02/1//4580057. Acessado em 06/10/2017
  63. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 05/06/1953. O interior precisar retribuir. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/7193. Acessado em 06/10/2017
  64. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 19/06/1953. Firma-se o Linense. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/7265. Acessado em 06/10/2017
  65. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 16/06/1953. Página 07. Cartaz esportivo. Resultados de Domingo. Há o registro da partida. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1953/06/16/1//4581426. Acessado em 06/10/2017
  66. PAULINHO VIDAL. AFENET. FORÇA GRENÁ. 1954. http://www.afenet.com.br/campanhas/1954.htm#28/mar. Acessado em 06/10/2017
  67. FERNANDO MARTINZEZ. BLOG HISTÓRIA DO FUTEBOL. 03/04/2017. Campeonato paulista da segunda divisão 1953. http://cacellain.com.br/blog/?p=104441. Acessado em 06/10/2017
  68. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 03/06/1955. Últimas de Araraquara. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/10474. Acessado em 06/10/2017
  69. PAULINHO VIDAL. AFENET. FORÇA GRENÁ. 1955. http://www.afenet.com.br/campanhas/1955.htm#2/jan. Acessado em 06/10/2017
  70. O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/07/1955. Página 11. Jogos amistosos. Conteúdo integral disponível online apenas para assinantes. http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19550710-24594-nac-0024-999-24-not/busca/Ipau%C3%A7u+Linense. Acessado em 06/10/2017
  71. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 26/07/1955. Página 09. Triunfou o Corínthians no "Initium" do campeonato paulista de futebol. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1955/07/26/1//4606001. Acessado em 06/10/2017
  72. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 24/01/1956. Página 08. O Juventus conheceu um empate embora jogasse em seu gramado. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1956/01/24/1//4553960. Acessado em 06/10/2017
  73. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 15/05/1956. Gotas interioranas. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/12034. Acessado em 06/10/2017
  74. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 07/09/1956. Gotas interioranas. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/12519. Acessado em 06/10/2017
  75. MUNDO ESPORTIVO. São Paulo. 11/09/1956. Campeonato paulista de futebol. Torneio de Classificação. Há o registro da partida. http://memoria.bn.br/DocReader/119598/12534. Acessado em 06/10/2017
  76. RSSSF BRASIL. Campeonato Paulista 1956. https://www.rsssfbrasil.com/tablessz/sp1956.htm. Acessado em 06/10/2017
  77. JORNAL DO COMMERCIO. Rio de Janeiro. 17/10/1957. Carioca para Recife e de Pernambuco para Portugal. Multados, o técnico e os craques. No final da página. http://memoria.bn.br/DocReader/364568_14/46435. Acessado em 06/10/2017
  78. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 08/11/1957. Primeiros passos para o mundial da Suécia. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_02/19167. Acessado em 06/10/2017
  79. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 12/11/1957. Vitória positiva do São Paulo. Há o registro da partida. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_02/19212. Acessado em 06/10/2017
  80. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 07/02/1958. Renganeschi no XV de Piracicaba. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_02/20321. Acessado em 06/10/2017
  81. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 24/02/1958. Placard de norte a sul. Há o registro da partida. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_02/20482. Acessado em 06/10/2017
  82. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 30/07/1958. Portuguesa de Desportos quer levar Zezé Moreira. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_07/90676. Acessado em 06/10/2017
  83. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 30/07/1958. Portuguesa de Desportos quer levar ezé Moreira. Presença do técnico na concentração do time para o jogo com o Ypiranga. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_07/90676. Acessado em 06/10/2017
  84. ÚLTIMA HORA. São Paulo. Edição Regional do Paraná. 27/04/1959. Renganeschi deixou mesmo o São Paulo. http://memoria.bn.br/DocReader/830348/1778. Acessado em 06/10/2017
  85. ÚLTIMA HORA. São Paulo. Edição Regional do Paraná. 18/05/1959. Até Maurinho jogou bola no adeus a Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/830348/2098. Acessado em 06/10/2017
  86. ALEXANDRE DA COSTA. ALMANAQUE DO SÃO PAULO. Citado no Blog Terceiro Tempo. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  87. DIÁRIO DA NOITE. Rio de Janeiro. 04/06/1959. DN em poucas linhas. http://memoria.bn.br/DocReader/221961_03/70215. Acessado em 06/10/2017
  88. FOLHA DA MANHÃ. São Paulo. 09/06/1959. Página 13. Vitória do Nacional em Jau - única surpresa na 3a rodada do campeonato. http://acervo.folha.uol.com.br/fdm/1959/06/09/1//5386366. Acessado em 06/10/2017
  89. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 09/01/1960. Novo empate ditará prorrogações até que haja um vencedor (campeão). http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/46310. Acessado em 06/10/2017
  90. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/01/1959. Página 10. Vitória da Portuguesa Santista. Há registro da partida. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1960/01/12/156//5387232. Acessado em 06/10/2017
  91. EC XV DE JAU. SITE OFICIAL. História. http://www.xvdejau.com.br/2017/historia/index.asp. Acessado em 06/10/2017
  92. REVISTA DO ESPORTE. Rio de Janeiro. 12/03/1960. Apito Final. http://memoria.bn.br/DocReader/144118/3606. Acessado em 06/10/2017
  93. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 15/03/1960. Página 10. Cartaz Esportivo. Há registro da partida. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1960/03/15/21//4476806. Acessado em 06/10/2017
  94. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 06/01/1961. J. Vieira, Tim e Gradim nomes em vista para o posto de Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/4469. Acessado em 06/10/2017
  95. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 07/01/1961. Renganeschi assumirá a direção do quadro palmeirense no dia 15. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/4493. Acessado em 06/10/2017
  96. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 28/01/1961. Palmeiras joga contra Vila Nova hoje, em Goiania. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/4785. Acessado em 06/10/2017
  97. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 13/06/1961. Página 08. Domínio amplo do Palmeiras não lhe deu a vitória no Pacaembu. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1961/06/13/21//4484934. Acessado em 06/10/2017
  98. REVISTA DO ESPORTE. Rio de Janeiro. 25/11/1961. Renganeschi saiu. http://memoria.bn.br/DocReader/144118/8006. Acessado em 06/10/2017
  99. CELSO UNZELTE e MÁRIO SÉRGIO VENDITI. ALMANAQUE DO PALMEIRAS. Citado no Blog Terceiro Tempo. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  100. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 04/11/1961. Na Coluna "São Paulo". http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/8395. Acessado em 06/10/2017
  101. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 07/11/1961. Página 16. Inalterados os primeiros e os últimos postos após a 11a rodada do returno. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1961/11/07/2//4496017. Acessado em 06/10/2017
  102. RSSSF BRASIL. Campeonato Paulista 1961. https://www.rsssfbrasil.com/tablessz/sp1961.htm. Acessado em 06/10/2017
  103. REVISTA DO ESPORTE. Rio de Janeiro. 27/01/1962. Apito final. http://memoria.bn.br/DocReader/144118/8448. Acessado em 06/10/2017
  104. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 13/02/1962. Pelo Brasil. Paraná. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/9450. Acessado em 06/10/2017
  105. REVISTA DO ESPORTE. Rio de Janeiro. 16/02/1963. Apito final. http://memoria.bn.br/DocReader/144118/10841. Acessado em 06/10/2017
  106. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 28/03/1963. Página 19. Futebol dia a dia. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1963/03/28/437//4447490.Acessado em 06/10/2017
  107. RSSSF BRASIL. Torneo Hexagonal "Um Torneo Serio" 1963. http://www.rsssf.com/tablest/torneoserio1963.html. Acessado em 06/10/2017
  108. ÚLTIMA HORA. Rio de Janeiro. 25/09/1963. Coluna "Esportes". Item "Internacionais". http://memoria.bn.br/DocReader/386030/90491. Acessado em 06/10/2017
  109. RSSSF.COM. Campeonato de primera división. First division championship 1963. http://www.rsssf.com/tablesa/arg63.html. Acessado em 06/10/2017
  110. CAIO BRANDÃO. BLOG FUTEBOL PORTENHO. 25/11/2013. Há 50 anos: Boca-River e polêmica criaram o Independiente "Rey de Copas". http://www.futebolportenho.com.br/2013/11/25/ha-50-anos-boca-river-e-polemica-criaram-o-independiente-rey-de-copas/. Acessado em 06/10/2017
  111. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 03/11/1963. Sete dias nos Esportes. Novos técnicos. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1963/11/03/398//4434805. Acessado em 06/10/2017
  112. JOSÉ RICARDO LENZI MARIOLANI. GUARANI FUTEBOL CLUBE. RESULTADOS E FICHAS TÉCNICAS. http://www.jogosdoguarani.com/1963/631103.html. Acessado em 06/10/2017
  113. ÚLTIMA HORA. Rio de Janeiro. 30/12/10964. Notícias de esportes. http://memoria.bn.br/DocReader/386030/105072. Acessado em 06/10/2017
  114. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 30/12/1964. Página 08. Renganeschi vai para a Ferroviária. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1964/12/30/21//4870505. Acessado em 06/10/2017
  115. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 15/02/1965. Página 11. Placar Esportivo. Resultados de sábado. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1965/02/15/398//4420421. Acessado em 06/10/2017
  116. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 23/07/1965. Página 16. Renga pede rescisão. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1965/07/23/157//4993762. Acessado em 06/10/2017
  117. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 25/07/1965. Página 18. Ponte e XV empatam (4 a 4) em Campinas. Registro da partida .http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1965/07/25/2//4993833. Acessado em 06/10/2017
  118. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 18/08/1965. Fla contrata Renganeschi para técnico. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/24428. Acessado em 06/10/2017
  119. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 23/08/1965. Botafogo venceu jogo mais bonito da taça. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/24511. Acessado em 06/10/2017
  120. SIDNEY BARBOSA DA SILVA e PEDRO VARANDA. CAMPEÕES DO FUTEBOL.COM.BR. 08/05/2017. http://www.campeoesdofutebol.com.br/rio_de_janeiro.html. Acessado em 06/10/2017
  121. A LUTA DEMOCRÁTICA. Rio de Janeiro. 04/07/1967. Bria assumiu no Flamengo com apoio total. http://memoria.bn.br/DocReader/030678/36384. Acessado em 06/10/2017
  122. ROBERTO ASSAF E CLÓVIS MARTINS. ALMANAQUE DO FLAMENGO. Citado no Blog Terceiro Tempo. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  123. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 15/07/1967. Página 06. Renganeschi em lugar de Bauer. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1967/07/15/21//4469697. Acessado em 06/10/2017
  124. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 31/07/1967. S. Paulo vence Botafogo para continuar na ponta. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/34451. Acessado em 06/10/2017
  125. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 22/09/1967. Renga renuncia por vinte milhões no XV. http://memoria.bn.br/DocReader/112518_03/35332. Acessado em 06/10/2017
  126. RAMON B. FERREIRA. BLOG HISTÓRIAS DO XV. Postagem "A taça dos invictos". 24/03/2014. http://www.historiasdoxv.com/. Acessado em 06/10/2017
  127. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 18/01/1968. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/01/18/156//5176019. Acessado em 06/10/2017
  128. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 20/02/1968. Página 06. Árbitros tiveram notas muito boas. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/02/20/21//5177513. Acessado em 06/10/2017
  129. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 06/03/1968. Página 06. Palmeiras hoje sem Servílio contra a Portuguesa Santista. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/03/06/21//4457079. Acessado em 06/10/2017
  130. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 07/03/1968. Página 11. Cai finalmente um tabu de 11 anos. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/03/07/402//4457164. Acessado em 06/10/2017
  131. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 01/08/1968. Página 10. Renganeschi deixa a Portuguesa Santista. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/08/01/2//4473208. Acessado em 06/10/2017
  132. O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo. 07/08/1968. Página 20. Renga vai para o Paulista. Conteúdo integral disponível online apenas para assinantes. http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19680807-28627-nac-0020-999-20-not/busca/Renganeschi. Acessado em 06/10/2017
  133. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/08/1968. Página 05. Paulista encerra turno como líder. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/08/12/21//4473890. Acessado em 06/10/2017
  134. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 15/11/1968. Página 17. Paulista contrata Alfredinho. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1968/11/15/2//5412005. Acessado em 06/10/2017
  135. DIÁRIO DA NOITE. Rio de Janeiro. 02/01/1969. Comentário abaixo da foto de Benê. http://memoria.bn.br/DocReader/221961_04/31965. Acessado em 06/10/2017
  136. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 13/01/1969. Página 08. Mandantes vencem no torneio início. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1969/01/13/2//4453524. Acessado em 06/10/2017
  137. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 30/09/1969. Página 32. O Santos só não vende Pelé e Edu. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1969/09/30/21//5166037. Acessado em 06/10/2017
  138. LUTA DEMOCRÁTICA. Rio de Janeiro. 04/10/1969. Renganeschi estreia contra o Cruzeiro. http://memoria.bn.br/DocReader/030678/43226. Acessado em 06/10/2017
  139. DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Recife. 09/10/1969. Renda fraca para Cruzeiro e Esporte empatarem na ilha. http://memoria.bn.br/DocReader/029033_14/74506. Acessado em 06/07/2010
  140. DIÁRIO DE NATAL. Natal. 11/11/1969. Derrota do Sport faz Renga pedir para sair e Bianchi é quem assume. http://memoria.bn.br/DocReader/028711_01/26641. Acessado em 06/10/2017
  141. JOSÉ RICARDO LENZI MARIOLANI. GUARANI FUTEBOL CLUBE. RESULTADOS E FICHAS TÉCNICAS. http://www.jogosdoguarani.com/1969/691130.html. Acessado em 06/10/2017
  142. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 14/04/1971. Página 17. Guarani contrata Daltro Menezes. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1971/04/14/2//5409146. Acessado em 06/10/2017
  143. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/08/1971. Página 36. Quarta notícia da coluna "Destaque". http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1971/08/12/2//4357093. Acessado em 06/10/2017
  144. CORREIO BRAZILIENSE. Brasília. 23/02/1972. Renganeschi já dirige Atlético. http://memoria.bn.br/docreader/028274_02/19696. Acessado em 06/10/2017
  145. CORREIO BRAZILIENSE. Brasília. 29/02/1972. Atlético vence mesmo hostilizado. http://memoria.bn.br/docreader/028274_02/19840. Acessado em 06/10/2017
  146. CORREIO BRAZILIENSE. Brasília. 26/11/1972. Permanece. http://memoria.bn.br/docreader/028274_02/29803. Acesso em 06/10/2017
  147. CORREIO BRAZILIENSE. Brasília. 21/01/1973. Goiânia e Atlético abrirão copa. http://memoria.bn.br/docreader/028274_02/30047. Acessado em 06/10/2017
  148. JORNAL DOS SPORTS. Rio de Janeiro. 18/01/1973. Segunda notícia da coluna "Olho Vivo". http://memoria.bn.br/DocReader/112518_04/17472. Acessdo em 06/10/2010
  149. RSSSF BRASIL. São Paulo. Torneio Laudo Natel 1973. http://www.rsssfbrasil.com/tablesae/csp1973.htm. Acessado em 06/10/2017.
  150. O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo. 13/09/1973. Página 40. No Paulistinha, caem 2 primeiros técnicos. Conteúdo integral disponível online apenas para assinantes. http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19730913-30203-nac-0040-999-40-not/busca/Renganeschi. Acessado em 06/10/2017
  151. JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro. 15/07/1974. Loteria Esportiva. Comentários ao jogo 2. http://memoria.bn.br/DocReader/030015_09/107820. Acessado em 06/10/2017
  152. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 29/07/1974. Renga é o técnico do Coritiba. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/131015. Acessado em 06/10/2017
  153. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 05/08/1974. Esse empate estava nos planos de Renga?. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/131084. Acessado em 06/10/2017
  154. DIÁRIO DO PARANÁ. Curitiba. 12/12/1974. Coritiba é tetracampeão. http://memoria.bn.br/DocReader/761672/101943. Acessado em 06/10/2017
  155. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 06/03/1975. Porque o Renganeschi foi embora?. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/132625. Acessado em 06/10/2017
  156. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 16/04/1975. Por 8 mil e mais um prêmio extra, Renga está no Pinheiros. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/132936. Acessado em 06/10/2017
  157. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 17/04/1975. Pinheiros empatou e o Iguaçu ganhou. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/132944. Acessado em 06/10/2017
  158. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 06/12/1975. Despedida definitiva do Renga. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/134746. Acessado em 06/10/2017
  159. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 10/12/1975. Página 27. Pelé não está preocupado com queda de popularidade. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1975/12/10/20//4388189. Acessado em 06/10/2017
  160. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/01/1976. Página 16. A volta do futebol: 1,1 gol por jogo. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1976/01/12/20//4225000. Acessado em 06/10/2017
  161. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 03/05/1976. Renga vem amanhã. Ele está feliz em voltar. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/135970. Acessado em 06/10/2017
  162. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 13/05/1976. O Colorado segundo Renda: mal. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/136066. Acessado em 06/10/2017
  163. GERSON MAGALHÃES. BLOG FUTEBOL NACIONAL. Campeonato paranaense 1976. http://www.futebolnacional.com.br/infobol/championship.jsp?code=0D148590F6C57AE74EB623A1EF861B37. Acessado em 06/10/2017
  164. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 15/08/1976. Página 31. Ponte e Portuguesa jogam em Campinas, mas sem motivação. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1976/08/15/157//4869566. Acessado em 06/10/2017
  165. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 20/08/1976. Página 24. Este jogo é sempre uma guerra. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1976/08/20/2//4322556. Acessado em 06/10/2017
  166. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 01/12/1976. Página 26. Carlos Roberto provaca atrito em São Luis. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1976/12/01/2//4269718. Acessado em 06/10/2017
  167. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 02/12/1976. Colorado diz que permuta de jogadores está certa. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/137649. Acessado em 06/10/2017
  168. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 17/01/1977. Para Colorado o empate não é um problema. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/138034. Acessado em 06/10/2017
  169. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 20/09/1977. Comentário no alto da página, no lado esquerdo. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/139698. Acessado em 06/10/2017
  170. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 21/09/1977. Londrinão 77 quer armar um equipe de 11 cobras. http://memoria.bn.br/DocReader/761672/124509. Acessado em 06/10/2017
  171. CHICO NEPOMUCENO. FUTEBOL 80. Londrina. Há o registro da partida. http://futebol80.com.br/links/times/londrina/londrinajg.htm. Acessado em 06/10/2017
  172. GLOBOESPORTE.COM. 08/12/2010. Brasil afora: Londrina entrou para a história de São Januário em 1978. http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2010/12/brasil-afora-londrina-entrou-para-historia-de-sao-januario-em-1977.html. Acessado em 06/10/2017
  173. DIÁRIO DO PARANÁ. Curitiba. 03/03/1978. Renga vai deixar o time do tubarão. http://memoria.bn.br/DocReader/761672/127690. Acessado em 06/10/2017
  174. DIÁRIO DO PARANÁ. Curitiba. 08/03/1978. Renganeschi é o novo treinador do Corínthians. http://memoria.bn.br/DocReader/761672/127812. Acessado em 06/10/2017
  175. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 13/03/1978. Página 19. Pouco futebol, muita confusão. Corínthians empata em Uberlândia. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1978/03/13/20//5402501. Acessado em 06/10/2017
  176. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 04/07/1978. Página 28. Renganeschi se cansa e pede demissão. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1978/07/04/2//4245522. Acessado em 06/10/2017
  177. CELSO UNZELTE. ALMANAQUE DO CORÍNTHIANS. Citado no Blog Terceiro Tempo. http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/renganeschi-3518. Acessado em 06/10/2017
  178. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 22/08/1978. Renganeschi começa bem no Maringá. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/141928. Acessado em 06/10/2017
  179. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 15/11/1978. Zuringue está comandando o galo do norte. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/142488. Acessado em 06/10/2017
  180. uberlândia espDIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 08/01/1979. Renganeschi foi para Uberlândia. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/142816. Acessado em 06/10/2017
  181. JULIO DIOGO. BLOG HISTÓRIA DO FUTEBOL. 02/05/2015. Postagem "Torneio da criança - 1979". http://cacellain.com.br/blog/?p=71893. Acessado em 06/10/2017
  182. O TRIÂNGULO. Uberlândia. 12 e 13/05/1979. Caiu Armando Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/829765/171. Acessado em 06/10/2017
  183. DIÁRIO DE NATAL. Natal. 23/07/1979. Análise do jogo 5 da loteria esportiva. http://memoria.bn.br/DocReader/028711_02/33523. Acessado e 06/10/2017
  184. O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo. 25/07/1979. Página 18. Luis Henrique é a novidade da Ponte. http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19790725-32012-nac-0018-999-18-not/busca/Renganeschi. Conteúdo integral disponível online apenas para assinantes. Acessado em 06/10/2017
  185. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 30/08/1979. Página 34. Santos, simplesmente ridículo em Sorocaba. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1979/08/30/2//4260000. Acessado em 06/10/2017
  186. O ESTADO DE MATO GROSSO. Cuiabá. 02/10/1979. Bahia de técnico novo. http://memoria.bn.br/DocReader/098086/35084. Acessado em 06/10/2017
  187. O ESTADO DE MATO GROSSO. Cuiabá. 04/10/1979. Copa Brasil: D. Bosco jogou melhor mas perdeu do Bahia. http://memoria.bn.br/DocReader/098086/35112. Acessado em 06/10/2017
  188. DIÁRIO DO PARANÁ. Curitiba. 15/11/1979. Copa Brasil (coluna analisando as partidas da rodada). http://memoria.bn.br/DocReader/761672/138857. Acessado em 06/10/2017
  189. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 19/12/1980. Espetáculo até tragicômico no oeste do Paraná. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/147510. Acessado em 06/10/2017
  190. FOLHA DE SÃO PAULO. São Paulo. 12/01/1981. Página 25. Botafogo derrota o Cascavel. http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/1981/01/12/20//4302066. Acessado em 06/10/2017
  191. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 17/03/1981. Cascavel e Londrina decidem integração. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/148032. Acessado em 06/10/2017
  192. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 06/04/1981. Vitória do Londrina. Matsubara empata. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/148161. Acessado em 06/10/2017
  193. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 13/11/1981. O Coritiba pode ter Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/149562. Acessado em 06/10/2017
  194. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 30/03/1982. Renganeschi no Colorado, dizem. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/150384. Acessado em 06/10/2017
  195. DIÁRIO DO PARANÁ. Curitiba. 01/04/1982. Doença poderá impedir a volta do velho Renga. http://memoria.bn.br/DocReader/761672/151309. Acessado em 06/10/2017
  196. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 31/03/1983. Matsubara acerca com Renganeschi. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/152710. Acessado em 06/10/2017
  197. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 04/06/1983. Times do interior não querem rodada amanhã. Matsubara pronto. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/153110. Acessado em 06/10/2017
  198. DIÁRIO DA TARDE. Curitiba. 06/06/1983. Atlético começa com expressiva vitória. http://memoria.bn.br/DocReader/800074/153118. Acessado em 06/10/2017

Ligações externas[editar | editar código-fonte]