Arquidiocese de Estrasburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arquidiocese de Estrasburgo
Archidiœcesis Argentoratensis
Catedral de Nossa Senhora de Estrasburgo
Localização
País França
Arquidiocese Metropolitana Diretamente sujeita à Santa Sé
Estatísticas
População 1 900 000
Área 8 280 km²
Paróquias 767
Sacerdotes 830
Informação
Rito romano
Criação da Diocese Século IV
Elevação a Arquidiocese 1 de junho de 1988
Padroeiro Santo Arbogasto
Governo da Arquidiocese
Arcebispo Jean-Pierre Grallet, O.F.M.
Bispo Auxiliar Christian George Nicolas Kratz
Vincent Dollmann
Contatos
Endereço Archeveche, 16 rue Brulee, 67081 Strasbourg
Página Oficial http://www.diocese-alsace.fr/
dados em catholic-hierarchy.org
Arquidiocese de Estrasburgo

A Arquidiocese de Estrasburgo (Archidiœcesis Argentoratensis o Argentinensis) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Estrasburgo, na França. É fruto da elevação da Diocese de Estrasburgo, eregida no século IV. Seu atual arcebispo é Jean-Pierre Grallet. Sua é a Catedral de Nossa Senhora de Estrasburgo.

Possui 767 paróquias assistidas por 830 párocos e cerca de 71,6% da sua população jurisdicionada é batizada[1].

História[editar | editar código-fonte]

A diocese de Estrasburgo é mencionada pela primeira vez em 343 com o santo Amando, primeiro bispo conhecido. No século V a cidade foi destruída pela invasão dos alamanos. Por volta do século VI, com a anexação da região em primeiro lugar no reino Merovíngio e depois pelos carolíngios, o cristianismo passou a se espalhar e ser reforçado pelo trabalho dos dois bispos santos, Arbogasto e Florêncio, missionários irlandeses e monges, entre eles deve-se mencionar São Columbano e São Gall.

No século IX, a diocese de Estrasburgo tornou-se parte da província eclesiástica da Arquidiocese de Mogúncia e assim permaneceu até a Revolução Francesa. Em 962 a Alsácia juntou-se ao Sacro Império Romano-Germânico. O bispado se tornou um estado cliente do Império do século XIII até 1803, com exceção de Estrasburgo, que tinha o estatuto de cidade livre desde 1262.

Durante a época da Reforma (século XVI), Estrasburgo e a Alsácia viam o conflito entre protestantes e católicos, uma luta que acendia sempre que a sé do bispo era deixado vago. Ambos os lados lutavam para impor seu próprio candidato, realizada sempre no dia da festa católica, desta forma conseguiram preservar uma Estrasburgo e região católicas, enquanto a catedral permaneceu como um centro de culto protestante.

Com a Paz de Vestfália de 1648, a Alsácia tornou-se o território do reino da França. Somente em 1681 volta a catedral da cidade ser de culto católico.

Durante a última parte do século XVII, a maioria de seus territórios foram anexados à França, perdeu grupos nas áreas em torno de Saverne, Molsheim, Bevefelden, Dachstein, Dambach, Kochersberg, Erstein, Kästenbolz, Rhinau e Mundat (na região que consiste em cidade de Rouffach, Soultz e Eguisheim). As anexações foram reconhecidas pelo Sacro Império Romano-Germânico com o Tratado de Ryswick de 1697. Somente a porção leste do rio Reno, que cruza a diocese, manteve-se parte do império, que incluía as áreas de Oberkirch, Ettenheim e Oppenau. O território restante foi secularizado em Baden em 1803.

Em 6 de outubro de 1822 pela bula Paternae charitatis do Papa Pio VII, Estrasburgo tornou-se parte da província eclesiástica da Arquidiocese de Besançon.

Em 14 de junho de 1874, nos termos do Decreto Rem in ecclesiastica da Congregação Consistorial, a diocese tornou-se imediatamente sujeita à Santa Sé. Em 10 de julho do mesmo ano adquiriu os territórios que haviam pertencido à Diocese de Saint-Die e que, após a Guerra Franco-Prussiana tornou-se alemã.

Em 19 de janeiro de 1935, os arcebispos de Toulouse ganharam o direito de acrescentar ao seu título os da diocese de Rieux e da diocese de Saint-Bertrand-de-Comminges, suprimidas.

A diocese foi elevada à categoria de arquidiocese em 1 de junho de 1988 pelo Papa João Paulo II, sem se tornar uma sé metropolitana. Os arcebispos são nomeados pelo presidente francês.

Prelados[editar | editar código-fonte]

Bispos[editar | editar código-fonte]

Arcebispos[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dados de 2006.
  2. Dois meses de episcopado.
  3. Eleito pelo capítulo da catedral em 26 de janeiro de 1569.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arquidiocese de Estrasburgo