Arquieparquia de Adis Abeba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Arquieparquia de Adis Abeba
Archieparchia Neanthopolitanus
Localização
País  Etiópia
Território Ethiopia - Arcieparchia di Addis Abeba.jpg
Eparquias Sufragâneas Adigrat, Bahir Dar-Dessie, Emdeber
Estatísticas
População 10 900[1]
Área 31 224 km²
Paróquias 14
Sacerdotes 81
Informação
Denominação Igreja Católica Etíope
Rito alexandrino
Criação da Eparquia 1839
Elevação a Arquieparquia 20 de fevereiro de 1961
Catedral Catedral da Natividade da Bem-Aventurada Virgem Maria
Governo da Arquidiocese
Arquieparca Berhaneyesus Demerew Souraphiel, C.M.
Vigário-Geral Tesfaye Woldemariam Fesuh
Jurisdição Arquieparquia metropolitana
Contatos
Página Oficial www.catholicaddis.org
dados em catholic-hierarchy.org

A Arquieparquia de Adis Abeba (Archieparchia Neanthopolitanus) é uma arquieparquia situada na Etiópia, sede da Igreja Católica Etíope, que é uma igreja particular oriental sui iuris em comunhão com a Igreja Católica. Seu atual arcebispo metropolita é Berhaneyesus Demerew Souraphiel, C.M.. Sua é a Catedral da Natividade da Santa Virgem Maria de Adis Abeba.

Possui 14 paróquias, servidas por 81 padres, contando com cerca de 10.900 fiéis (0,1% da população total abrangida).[1]

História[editar | editar código-fonte]

A prefeitura apostólica da Abissínia, de rito oriental, foi eregida em 1839, com território retirado do Vicariato Apostólico de Síria, Egito, Arábia e Chipre (hoje Vicariato Apostólico de Alepo).

Em 4 de maio de 1846 deu uma parte de seu território para a criação do Vicariato Apostólico de Galla (agora Vicariato Apostólico de Harar).

Em 1847, a Prefeitura Apostólica foi elevada a vicariato apostólico.

Em 7 de Março de 1928, o vicariato apostólico foi administrado pelo delegado apostólico do Egito e da Arábia sob o breve Romanorum Pontificum do Papa Pio XI.[2]

Em 1937, o Vicariato Apostólico da Abissínia deu lugar ao Vicariato Apostólico de Adis Abeba (de rito oriental), erigida pela bula Quo in Æthiopia do Papa Pio XI[3], depois de ceder Danakil ao Vicariato Apostólico da Eritreia (de rito latino) e de ceder território eclesiástico para a erecção canónica das prefeituras apostólicas de Tigrè (hoje Eparquia de Adigrat, de rito oriental), de Dessié (de rito latino) e de Gondar (de rito latino).

Em 31 de outubro de 1951, com a bula do Papa Pio XII Paterna semper foram suprimidas as prefeituras apostólicas de Dessié, Gondar e Emdeber e seus territórios foram unidos sob a Sé de Adis Abeba, que se tornou um exarcado apostólico de rito etíope.[4]

Em 20 de fevereiro de 1961, o exarcado apostólico foi elevada à categoria de arquieparquia metropolitana com a bula Quod venerabiles do Papa João XXIII.[5]

Em 25 de novembro de 2003 e 19 de janeiro de 2015 cedeu porções adicionais de território eclesiástico para a erecção canónica da Eparquia de Emdeber e da Eparquia de Bahir Dar-Dessie, respectivamente.

Prelados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Ethiopic Metropolitanate sui juris of Addis Abeba, GCatholic.com
  2. «Breve Romanorum Pontificum» (PDF) (em latim). AAS 20 (1928), p. 219 
  3. «Bula Quo in Aethiopia» (PDF) (em latim). AAS 29 (1937), p. 363 
  4. «Bula Paterna semper» (PDF) (em latim). AAS 44 (1952), p. 253 
  5. «Bula Quod venerabiles» (PDF) (em latim). AAS 53 (1961), p. 648 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]