Arquitetura barroca eduardiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O War Office em Whitehall, Londres (constr. 1906).
O Auckland Ferry Terminal em Auckland, Nova Zelândia (de 1912).

O barroco eduardiano é uma variante local do estilo arquitetónico neobarroco que foi usada em muitos edifícios públicos construídos no Império Britânico durante a época eduardiana (1901-1910).

Descrição[editar | editar código-fonte]

Os traços característicos do estilo barroco eduardiano foram baseados em duas fontes principais: a arquitectura francesa do século XVIII e a de sir Christopher Wren na Inglaterra durante o século XVI, parte do barroco inglês. Sir Edwin Lutyens foi um exponente importante, desenhando muitos edifícios comerciais no que ele chamou «the Grand Style» [o Grande Estilo] durante as décadas de 1910 e 1920. Este período da história arquitetónica britânica é considerado particularmente retrospetivo, já que é contemporâneo com o Art Nouveau.

Os pormenores típicos da arquitetura barroca eduardiana são a extensa rusticidade, em geral mais extrema a nível do solo, muitas vezes correndo dentro e exagerando as aduelas de aberturas arqueadas (derivadas de modelos franceses); pavilhões cupulados de esquina em terraços e um elemento central mais alto, como uma torre, que cria uma silhueta animada do terraço; elementos barrocos italianos revividos, como pedras de chave exageradas, frontões segmentados arqueados, colunas com blocos enganchados, unido à rustificação semelhante a blocoes dos arredores da janela; colunatas de colunas (por vezes em pares) de ordem jónica e torres cupuladas modeladas seguindo de perto as usadas por Wren no Royal Naval College em Greenwich. Alguns edifícios barrocos eduardianos incluem pormenores de outras fontes, como os gabletes holandeses de Norman Shaw do hotel Piccadilly em Londres.

Notáveis edificios barrocos eduardianos[editar | editar código-fonte]

53 King Street, construído pelo Lloyds Bank em 1915
Lancaster House, Manchester, construído em 1910
Reino Unido
  • em Londres:
  • em Manchester:
em outros lugares del país:
Austrália
Canada
Sri Lanka
Hong Kong
Índia
Malásia
  • 1903: City Hall, George Town, Penang
  • 1903: Second floor extension to Town Hall, George Town, Penang
  • 1907: Antiguas Oficinas del Gobierno (ahora edificio del State Islamic Council), George Town, Penang
  • 1907: Federated Malay States railway station/Malayan Railways building (Wisma Kastam), George Town, Penang
  • 1912: Antiguo Secretariado de Estado (State Library), Seremban, Negeri Sembilan
  • 1916: Ipoh Town Hall y antigua General Post Office, Ipoh, Perak
  • 1917-1935: Railway station en Ipoh, Perak
  • 1922: George Town Dispensary, George Town, Penang
Nova Zelândia
Singapura

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Nicholas Antram; Richard Morrice (2008). Brighton and Hove. Col: Pevsner Architectural Guides. Londres: Yale University Press. p. 165. ISBN 978-0-300-12661-7 
  2. Antram, Nicholas; Pevsner, Nikolaus (2013). Sussex: East with Brighton and Hove. Col: The Buildings of England. Londres: Yale University Press. p. 247. ISBN 978-0-300-18473-0 
  3. Historic England. «Ralli Memorial Hall, walls and railings, Denmark Villas, Hove  (Grade II) (1298671)». National Heritage List for England. Consultado em 6 de março de 2013 
  4. «Department of Education Building». NSW State Heritage Register. Office of Environment & Heritage, Government of New South Wales. 9 de fevereiro de 2015. Consultado em 30 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]