Arte livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A denominação arte livre (em francês art libre, em inglês free art e gifted art) reúne toda arte distribuída a um público o mais amplo possível, sem custo direto, e inclui, entre outras formas, escultura,[1] pintura,[2] grafite,,[3] arte digital, espetáculos de rua, história em quadrinhos e todas as modalidades de arte distribuída pela Internet

Baseia-se na crença de que a arte deve ser acessível à fruição de todas as pessoas, ricas ou pobres, de qualquer nível de educação.

Histórias em quadrinhos[editar | editar código-fonte]

A noção de histórias em quadrinhos livres deriva do nascimento do software livre, em 1984. Alguns anos depois, os responsáveis pela linguagem de programação Perl, criada em 1987 inauguram a licença artística.

Em 1998, Mirko Vidovic trocou alguns e-mails com Richard Stallman sobre uma licença que permitisse proteger criações artísticas sem ligar o criador a uma empresa qualquer. Em 2000, ambos chegaram à possibilidade de usar a licença GNU GPL. Aplicando imediatamente o conceito, Mirko Vidovic abre dois sites, GNUArt.org e GNUArt.net, ao público. GNUArt.net, a galeria, é um espaço de estocagem oferecido aos criadores incapazes de exibir suas criações.

No início do século XXI, o professor universitário Lawrence Lessig fundiu a organização Creative Commons que elaborou diferentes licenças de utilização e de distribuição de obras.

Ao mesmo tempo, na Europa, Isabelle Vodjdani, Antoine Moreau, Mélanie Clément-Fontaine, David Geraud e outras pessoas ligadas ao meio artístico e da área informática dão origem à licença Art Libre,[4] que aplica o princípio do Copyleft, inicialmente restrito ao software livre, à criação artística. É o ponto de partida da história em quadrinhos livre.

Na América do Norte, Richard Stallman escreveu roteiros de histórias em quadrinhos desde 2002.[5] Na França a Association pour la Promotion de la Bande Dessinée Libre é fundada em 2004, com o lançamento do herói Gonzolero (por Hubert Lombard) seguido de Supergland, o primeiro super-herói copyleft do mondo (por Tanguy Desailly). A licença Art Libre é escolhida e completada em 2006 pela Creative Commons cc-by-sa, com a qual é compatível.

História[editar | editar código-fonte]

Arte Livre tem uma longa história nas artes. Muitos artistas ficaram conhecidos por dar arte de graça entre eles, num esforço de passar para frente idéias, etc. Picasso e muitos de seus contemporâneos eram adeptos desta ideia. Duchamp foi um dos primeiros artistas dos dias atuais a dar um presente ao público com a obra Fonte, para uma exposição de arte em 1917. Ele deu a peça sob o nome de "R. Mutt," presumidamente para esconder sua identidade como artista. Ele na verdade teve de pagar $7 para ter sua peça exibida no show, e nunca intencionou fazer dinheiro com isso. Ele deu a peça para que todos pudessem ver e para impulsionar o Dadaismo.

Nos anos 1950, Ray Johnson começou a fazer Arte por correspondência. Ele espalhou a ideia para vários outros artistas[6] e ela ainda ocorre até hoje. Em 2002, um mural de 6 x 53 pés feito por Roy Lichtenstein foi instalado na Estação de metrô da Times Square em Nova York. Foi presenteada pelo artista para todos os cidadãos de Nova York.[7] Nos anos recentes, a arte livre foi primariamente abraçada pelo grafitti e por artistas urbanos. Muitos artistas de graffiti consideram o trabalho deles arte para o público. Banksy escreve em seus livros que ele acredita que a arte é mais importante e mais aproveitável quando esta a rua, aonde as pessoas podem ver em seus dia-a-dias ao invés de ficar pendurada num museu.

Na França, a associação para a promoção da banda Dessinée Libre voltou a funcionar em outubro de 2004, com a aparição dos héros En Suisse, uma equipe de webmasters e graffiteiros, Diogene.ch, lançando um movimento de Arte Livre Alternativa. Criado em 1999, o site propõe a arte livre depois de 2000 (sob a marca "sem copyright") De fato, a Arte livre existe desde os anos 1980, através da distribuição de fanzines gratuitos. O site site diogene.ch começou unindo vários fanzines, e desenvolvendo um conteúdo sério da arte livre contemporânea desde a aparição da licença "Creative Commons" traduzida em francês (desde outubro de 2004). Algumas centenas de paginas de arte livre podem ser encontradas e mantidas gratuitamente pelo site.

Para nota, há a existência de um personagem totalmente Open Source na internet, a Jenny Everywhere.[8]

Artistas "livres" notáveis[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Em 2005, uma equipe de aficionados decide criar um filme de animação em 3D com o software livre Blender. Elephants Dream é um curta metragem realizado no âmbito do projeto Orange (Orange Movie Project). O filme e o conjunto de arquivos fonte e materiais que serviram à sua realização estão disponíveis sob a licença sont disponibles Creative Commons.

Literatura[editar | editar código-fonte]

InLibroVeritas[9] é um site de edição onde os autores podem escrever suas obras literárias e os leitores podem ler on-line, livre e gratuitamente, o conjunto das obras.

Leitura complementar[editar | editar código-fonte]

  • The Gift by Lewis Hyde, Vintage, 1983
  • Wall and Peace by Banksy, Century, 2005

Notas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]