Articulação Nacional de Travestis e Transexuais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Associacão Nacional de Travestis e Transexuais (Antra)
Línguas oficiais Português
Presidente Lula da Silva segurando uma bandeira LGBT
Seminário LGBT de 2016, em Brasília

A Associacão Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) é uma instituição brasileira voltada a suprir as necessidades da população de Travestis e transexuais, assim como combater a transfobia.[1][2] A diretoria da instituição é renovada quadrianualmente.[1]

Em 2013, a Antra contava com cento e cinco afiliadas que cobriam todo o território brasileiro.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Antra foi pensada e articulada em 1993 e fundada na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em dezembro de 2000, tendo sido registrada em cartório em dezembro de 2000, na cidade de Curitiba, Paraná.[2] A denominação Antra entrou em vigor em 2002, com a ampliação de suas atribuições e maior abrangência nacional.[3][nota 1]

Em 2008, decidiu-se agilizar a administração, extinguindo-se as representações regionais da Antra, sendo então criadas Secretaria de Comunicação, Articulação Política, Direitos Humanos, Homens e Mulheres Transexuais.[1]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A articulação conta com o seguinte quadro hierárquico:[1][2]

  • Presidente
  • Vice-presidente
  • Primeira-secretária
  • Segunda-secretária
  • Tesoureira
  • Segunda-tesoureira
  • Secretária de mulheres trans
  • Secretária de homens transexuais
  • Secretária de direitos humanos
  • Secretária de articulação política
  • Secretária de comunicação
  • Conselheiros fiscais

Notas

  1. Anteriormente era denominada Rede Nacional de Travestis (Renata).[3]

Referências

  1. a b c d Da redação (22 de maio de 2009). «Travestis e transexuais elegem nova diretoria de ONG nacional». Grupo Gay da Bahia. Consultado em 23 de março de 2014 
  2. a b c d Adm. do sítio web (25 de Janeiro de 2013). «Antra pede a punição dos crimes transfóbicos em São Paulo». Portal dos Conselhos Municipais de Piracicaba. Consultado em 23 de março de 2014 
  3. a b KERRIGAN, Deanna; WIRTZ, Andrea; et al. (2012). The Global HIV Epidemics among Sex Workers. [S.l.]: World Bank Publications. 342 páginas. ISBN 9780821397756 
Ícone de esboço Este artigo sobre associações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.