Artur Nogueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Artur Nogueira
  Município do Brasil  
Igreja Matriz
Igreja Matriz
Símbolos
Bandeira de Artur Nogueira
Bandeira
Brasão de armas de Artur Nogueira
Brasão de armas
Hino
Lema Labore et progressio
"Trabalho e Progresso"
Gentílico nogueirense
Localização
Localização de Artur Nogueira em São Paulo
Localização de Artur Nogueira em São Paulo
Artur Nogueira está localizado em: Brasil
Artur Nogueira
Localização de Artur Nogueira no Brasil
Mapa de Artur Nogueira
Coordenadas 22° 34' 22" S 47° 10' 22" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Limeira e Mogi-Mirim
Distância até a capital 150 km
História
Fundação 1908 (113–114 anos)
Administração
Prefeito(a) Lucas Sia Rissato (PSD, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 177,752 km²
População total (IBGE/2012[2]) 45 847 hab.
Densidade 257,9 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 588 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,796 alto
PIB (IBGE/2010[4]) R$ 541 130 mil
PIB per capita (IBGE/2010[4]) R$ 12 278,51

Artur Nogueira é um município brasileiro do estado de São Paulo, integrante da Região Metropolitana de Campinas. Localiza-se a uma latitude 22º 34'23" Sul e a uma longitude 47º 10'21" Oeste, estando a uma altitude de 588 metros. Sua população estimada em 2021 era de 56.247 habitantes[5], possuindo uma área de 178,026 km². O município é conhecido como Berço da Amizade.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

O território do atual município de Artur Nogueira pertenceu até o início do século XX à famílias tradicionais paulistas, como João e Matheus Ferreira de Camargo, conhecidos por “Doricos”, estabelecidos no Guaiquiçá, hoje município de Engenheiro Coelho; Francisco Pinto Adorno e irmãos no Mato Dentro; João Sertório e Dona Maria Glória Sertório no bairro do mesmo nome; os irmãos Magalhães na Fazendinha; Pedro da Cunha Claro no Taperão; os Cotrins no bairro do mesmo nome; os Amarais no bairro do mesmo nome; Jorge Tibiriçá no Ribeirão; Fernando Arens no Sítio Novo e os Rosas na Fazenda Palmeiras[6].

Também estabeleceu-se nessas terras o madeirense Daniel Cesário de Andrade, que chegou ao Brasil em torno de 1910[7].

Próxima de todas essas terras estava a propriedade da empresa Artur Nogueira & Cia, proprietária da Usina Ester, produtora de açúcar. O então território da atual sede municipal era chamado de “Lagoa Seca” e pertencia ao município de Mogi Mirim[6].

Fundação[editar | editar código-fonte]

Por força do Decreto nº 1.300 de 22 de agosto de 1904 foi anexada ao Núcleo Colonial Campos Salles uma gleba de terras doada por Artur Nogueira & Cia ao Governo do Estado, formando a seção “Artur Nogueira” do núcleo[6].

Planta do Núcleo Colonial Campos Salles, com a seção Artur Nogueira incluída.

A ferrovia atingiu a região em 1907, através da Estrada de Ferro Funilense, como ponta do primeiro prolongamento da linha após a abertura da mesma em 1899[8]. O prolongamento da linha passava em terras da fazenda São Bento, de propriedade de Artur Nogueira, que as doou à Funilense em 1905[8].

Já a estação ferroviária foi erguida na gleba seguinte à fazenda, a pedido de seu proprietário Fernando Arens, e ficava próxima ao armazém de Francisco Cabrino, cujo prédio foi o primeiro a ser edificado e ainda hoje existe na atual Rua 15 de Novembro[9].

A estação acabou recebendo o nome de Artur Nogueira, em homenagem ao doador das terras, apesar do local ser conhecido como Lagoa Seca, e por isso seu nome acabou por prevalecer, dando origem a atual denominação do município[8].

A povoação surgiu em torno dela, onde no ano seguinte é que vieram os verdadeiros fundadores da cidade, ocupando os lotes do patrimônio doado por Fernando Arens. Entre eles José Sanseverino, Júlio Caetano, João Pulz, Henrique Steckelberg, os Andrades, os Mauros, etc. Já se achavam também radicados na zona rural os irmãos Tagliari[9].

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O rápido desenvolvimento foi favorecido pelas intensas imigrações italiana, alemã e espanhola, os quais cultivando a terra e criando gado iam aos poucos adquirindo as terras dos primitivos donos em pequenas glebas, acabando-se os grandes latifúndios. Depois, com a valorização do café, formaram-se nessas glebas grandes cafezais, mais tarde substituídos em parte por arroz e algodão.

Em 1916 foi criado o distrito de paz, subordinado à Comarca de Mogi Mirim. A instalação do cartório deu-se no ano seguinte, a 18 de outubro de 1917, tendo sido João Quintino de Brito o primeiro Oficial de Cartório e Henrique Steckelberg o primeiro Juiz de Paz[10][11]. Os primeiros registros dos eventos vitais realizados neste cartório são:[12]

  • Nascimento: 21/10/1917
  • Casamento: 15/12/1917
  • Óbito: 21/11/1917

Data também de 1916 o início da construção da primeira capela. A Paróquia foi criada em 25 de novembro de 1934, e em 5 de janeiro de 1935 recebeu como primeiro vigário o Padre Cecílio Cury.

Havia no distrito duas escolas mistas, uma municipal e outra estadual, que tinham como professoras as senhoras Aninha da Cunha e Eugênia de Carvalho, respectivamente. Com a doação feita pelo senhor Henrique Steckelberg de um lote de sua propriedade foi construído o Grupo Escolar, por volta de 1920. Em 1937 foi inaugurada a iluminação pública e domiciliária, sendo a Companhia de Força e Luz de Mogi Mirim a encarregada do serviço[6].

Em 1938 houve a retificação de divisas entre os distritos de Artur Nogueira e Cosmópolis, este pertencente à Campinas, ficando para o primeiro o Bairro Floriano Peixoto, que era vizinho da vila. Com essa retificação o território do distrito ganhou considerável área de terras[13].

E em 1948 teve início o movimento para a emancipação do distrito, com assinaturas em listas de todos os habitantes da vila que desejassem a emancipação. Sendo estas em grande número, foi requerido o plebiscito, o qual deu a vitória à emancipação, obtendo da Assembléia Legislativa do Estado parecer favorável à criação do município. Assim foi criado o município de Artur Nogueira, sendo que a primeira eleição acusou a vitória do senhor Severino Tagliari para prefeito, assumindo o cargo em 10 de abril de 1949[6].

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Vista aérea de Artur Nogueira (janeiro de 1940).
  • Distrito criado pela Lei n° 1.542 de 30/12/1916 com a estação do mesmo nome, no município de Mogi Mirim[14]
  • Distrito Policial de Artur Nogueira criado em 20/08/1917[15]
  • Elevado à categoria de município com a denominação de Artur Nogueira pela Lei n° 233 de 24/12/1948, desmembrado de Mogi Mirim[16][17]
  • Pela Lei n° 3.198 de 23/12/1981 é criado o distrito de Engenheiro Coelho[9]
  • Pela Lei n° 7.644 de 30/12/1991 são desmembrados do território do município de Artur Nogueira o distrito de Engenheiro Coelho, que se emancipou, e parte do território do distrito sede, que foi incorporado ao novo município de Holambra[9]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Entrada da cidade.

Localização[editar | editar código-fonte]

Localizada na Região Metropolitana de Campinas, a cidade de Artur Nogueira dista aproximadamente 49 km de Campinas e 147 km de São Paulo.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O Município de Artur Nogueira está inserido na borda da bacia hidrográfica do Rio Jaguarí, fazendo divisas ao norte com a bacia do Rio Mogi-Guaçu[18].

Tem como principal corpo d’água o Rio Pirapitingui (que em Tupi Guarani quer dizer Rio dos Peixes Vermelhos). Além dele tem ainda o Ribeirão Boa Vista (também conhecido por Ribeirão Poquinha), Ribeirão das Três Barras, Ribeirão do Monjolo Grande e o Ribeirão dos Pires (também conhecido como Ribeirão do Sítio Novo).

O município possui ainda três represas dentro do perímetro urbano: o Balneário Municipal e a Lagoa dos Pássaros, ambas na cabeceira do Córrego Três Barras, sendo estas em áreas públicas, e a represa localizada em uma das cabeceiras do Córrego Cotrins, sendo esta de propriedade particular[18].

O município possui ainda uma grande quantidade de represas rurais, usadas para fins agrícolas, de irrigação ou piscicultura ou ainda com fins ornamentais, sendo que a captação de água para o abastecimento público é feita na Represa do Ribeirão dos Pires. Além disso possui inúmeros córregos e ainda e muitas grotas.

Artur Nogueira é um dos municípios integrantes do Consórcio das Bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí[18].

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
19505 894
19608 21039,3%
197010 17123,9%
198015 94156,7%
199128 05376,0%
200033 12418,1%
201044 17733,4%
Est. 202156 24727,3%
Fonte: IBGE

Dados do Censo - 2010[19]

População Total: 44.177

  • Urbana: 39.998
  • Rural: 4.179
  • Homens: 22.075
  • Mulheres: 22.102

Densidade demográfica (hab./km²): 248,15

Mortalidade infantil até 1 ano: 9,9 por mil

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saneamento[editar | editar código-fonte]

O serviço de abastecimento de água é feito pelo Serviço de Água e Esgoto de Artur Nogueira (SAEAN)[20].

Energia[editar | editar código-fonte]

A responsável pelo abastecimento de energia elétrica é a Neoenergia Elektro, antiga CESP[21][22].

Comunicações[editar | editar código-fonte]

No setor de telefonia a cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que inaugurou a central telefônica utilizada até os dias atuais[23]. Em 1998 esta empresa foi vendida para a Telefônica, que em 2012 adotou a marca Vivo para suas operações[24].

Administração[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2012». Censo Populacional 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2012. Consultado em 17 de dezembro de 2012 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. Nacional, Imprensa. «Portaria - DOU - Imprensa Nacional». www.in.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  6. a b c d e «História». Prefeitura de Artur Nogueira. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  7. «Diário do Povo» (Campinas), 17 abril 1949, citado em «o Jornal» (Funchal), 2 Agosto de 1950
  8. a b c «Artur Nogueira -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  9. a b c d «IBGE | Cidades@ | São Paulo | Artur Nogueira | História & Fotos». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  10. «Portal do Extrajudicial - Endereços das Unidades». extrajudicial.tjsp.jus.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  11. «Endereços Cartórios». ANOREG/SP. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  12. Seade, Fundação. «| Fundação Seade - Primeiros Registros dos Eventos Vitais». produtos.seade.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  13. «Estabelece as divisas entre os muncípios de Campinas e o de Mogi Mirim, na parte compreendida ao norte do Rio Jaguari». www.al.sp.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  14. «Lei n° 1.542, de 30/12/1916». www.al.sp.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  15. «Divisão judiciária e administrativa do Estado de São Paulo em 1937 - publicação: 1938». bibliotecadigital.seade.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  16. «Comissão de Estatística - Relação Geral de Processos - 1948» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  17. «Lei n° 233, de 24/12/1948». www.al.sp.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  18. a b c «Dados da Cidade». Prefeitura de Artur Nogueira. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  19. «IBGE | Cidades@ | São Paulo | Artur Nogueira | Panorama». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  20. «Municípios e Saneamento». IAS - Instituto Água e Saneamento. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  21. «Elektro - Cidades Atendidas». www.neoenergiaelektro.com.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  22. «Arsesp - Mapa de Concessionárias». www.arsesp.sp.gov.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  23. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  24. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  25. «Lucas Sia». Prefeitura de Artur Nogueira. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  26. «Presidentes». www.camaraarturnogueira.sp.gov.br. Consultado em 11 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Artur Nogueira