Arturo Pérez-Reverte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arturo Pérez-Reverte
Arturo Pérez-Reverte
Nascimento 24 de novembro de 1951 (68 anos)
Cartagena, Flag of Spain.svg Espanha
Género literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus A Pele do Tambor

Arturo Pérez-Reverte (Cartagena, 24 de novembro de 1951) é um novelista e jornalista espanhol. Desde o ano de 2003 é, também, membro da Real Academia Espanhola da língua.[1]

Licenciado em Jornalismo pela Universidade Complutense de Madrid,[2] a sua obra está traduzida em quase trinta idiomas.

Antigo repórter de guerra, dedica-se em exclusivo à escrita desde finais dos anos 1980, tendo editado romances como "O cemitério dos barcos sem nome", "Território Comanche", "O hussardo", O pintor de batalhas e os seis romances da série de aventuras "Capitão Alatriste".[3]

Temas como o cansaço do herói, a aventura, a amizade, a viagem como perigo, a morte coma última viagem, e a cultura e a memória como única salvação que permite compreender a realidade, suportar a dor e conhecer a identidade da pessoa e do mundo são frequentes em seus romances. A visão que o escritor tem da existência em geral é sombria. Odeia o humanismo cristão e acredita que a filosofia pagã tem uma visão mais exata e cruel do mundo.

Obras[editar | editar código-fonte]

Narrativas[editar | editar código-fonte]

  • O hussardo (no original El húsar), 1986
  • O mestre de esgrima (no original El maestro de esgrima), 1988
  • A tábua de Flandres (no original La tabla de Flandres), 1990
  • O Clube Dumas ou A sombra de Richelieu (no original El club Dumas o La sombra de Richelieu), 1993
  • A sombra da águia (no original La sombra del águila), 1993
  • Território comanche: uma narrativa (no original Territorio comanche), 1993
  • A pele do tambor (no original La piel del tambor), 1995
  • O cemitério dos barcos sem nome (no original La carta esférica), 2000
  • A rainha do Sul (no original La Reina del Sur), 2002
  • O pintor de batalhas (no original El pintor de batallas), 2006
  • O assédio (no original El asedio), 2010
  • O tango da velha guarda (no original El tango de la guardia vieja), 2012
  • Homens Bons (no original Hombres Buenos), 2016
  • Los perros duros no bailan, 2018

Coleção As aventuras do capitão Alatriste[editar | editar código-fonte]

  1. O capitão Alatriste (no original El capitán Alatriste), 1996
  2. Limpeza de sangue (no original Limpieza de sangre), 1997
  3. El sol de Breda, 1998
  4. O ouro do rei (no original El oro del rey), 2000
  5. O cavalheiro do gibão amarelo (no original El caballero del jubón amarillo), 2003
  6. Corsários do levante (no original Corsarios de Levante), 2006
  7. A ponte dos assassinos. (no original El puente de los asesinos), 2011

Colecção Falcó[editar | editar código-fonte]

  • Falcó, 2016
  • Eva, 2017
  • Sabotaje, 2018

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

  • La guerra civil contada a los jóvenes, 2015
  • Perros e hijos de perra, 2014

Referências

  1. País, Ediciones El (24 de janeiro de 2003). «Arturo Pérez-Reverte entra en la Academia». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582 
  2. «BUCM :: Biografia e CV. de Arturo Pérez Reverte. Escritores complutenses 2.0 :: Biblioteca Complutense». biblioteca.ucm.es. Consultado em 18 de dezembro de 2018 
  3. País, Ediciones El (22 de outubro de 2011). «Reportaje | Las patrias de Alatriste». Madrid. El País (em espanhol). ISSN 1134-6582 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arturo Pérez-Reverte
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.