As Dez Mais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
As Dez Mais
Álbum de estúdio de Titãs
Lançamento 1999
Gravação Junho a agosto de 1999
Gênero(s) Rock and roll
Pop rock
Duração 37:04
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) WEA
Produção Jack Endino
Cronologia de Titãs
Volume Dois (1998)
Sempre Livre Mix: Titãs & Paralamas Juntos ao Vivo (2001)

As Dez Mais é um álbum tributo da banda brasileira de rock Titãs. Lançado em 1999 e produzido por Jack Endino, homenageia alguns de seus artistas preferidos. Em 2001, havia vendido 400 mil cópias.[1] É o último álbum de estúdio com o guitarrista Marcelo Fromer, que morreu em 2001.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O repertório, em sua maioria, se estendeu a versões de canções das mais diferentes gerações e vertentes da música pop brasileira. Músicas de grupos contemporâneos dos Titãs foram incluídas no disco, como "Ciúme", de 1985 do Ultraje a Rigor e "Sete Cidades", da Legião Urbana. Outras canções da geração "anos 80" interpretadas pelo grupo foram "Rotina", da banda punk paulistana Inocentes (cujo EP Pânico em SP, que contém a versão original da música, fora produzido por Branco Mello em 1986) e "Um Certo Alguém", de Lulu Santos. A geração dos anos 1990 se fez presente na regravação de "Pelados em Santos", hit de 1995 dos Mamonas Assassinas. Os anos 1960 foram relembrados com covers de "Querem Acabar Comigo", de Roberto e Erasmo Carlos e de "Fuga Número Dois", d'Os Mutantes. E, por fim, os anos 1970 estiveram presentes no repertório com interpretações de "Gostava Tanto de Você" (composição de Edson Trindade e mais tarde interpretada por Tim Maia, morto em 1998) e "Aluga-se", de Raul Seixas. A exceção ficou por conta da regravação de "Circo de Feras", tema de 1987 da banda portuguesa Xutos & Pontapés, com quem os Titãs dividiram shows quando os brasileiros excursionaram por Portugal nos anos 1980 e 1990.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es)Vocais principais Duração
1. "Gostava Tanto de Você"  Edson TrindadeBranco Mello 3:59
2. "Sete Cidades"  Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo BonfáSérgio Britto 3:26
3. "Circo de Feras"  Tim (Xutos & Pontapés)Nando Reis 3:50
4. "Rotina"  Clemente, MarcelinoBranco Mello 3:19
5. "Querem Acabar Comigo"  Roberto CarlosSérgio Britto 3:39
6. "Fuga nº II"  Rita Lee, Arnaldo Baptista, Sérgio DiasPaulo Miklos 4:35
7. "Pelados em Santos"  DinhoNando Reis e Branco Mello 3:29
8. "Um Certo Alguém"  Lulu Santos, Ronaldo BastosPaulo Miklos 3:21
9. "Ciúme"  Roger MoreiraNando Reis 4:06
10. "Aluga-se"  Raul Seixas, Cláudio RobertoSérgio Britto e Paulo Miklos 3:20

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3 de 5 estrelas. [2]
Folha de S.Paulo 1 de 4 estrelas.[3]

Escrevendo para a Folha, Lúcio Ribeiro rechaçou o disco, dizendo que ele era mais uma jogada comercial da banda que "parece que desistiu para sempre de compor material novo para encher um álbum". Disse também que o grupo "dizimou" todas as dez faixas do disco, transformando "Rotina" em um "ska sem graça" e tirando o deboche de "Pelados em Santos".[3]

Posicionamento da banda e de Jack Endino[editar | editar código-fonte]

Os membros Branco Mello (vocal), Nando Reis (vocal, baixo) e Sérgio Britto (vocal, teclados) comentaram: "Desde 'Sonífera Ilha', música que foi feita para estourar, brincam com a gente. Nós queremos ser galã de TV. (...) Não existe o sujeito que faz música só para vender. Primeiro, fazemos música para o nosso entretenimento (...) Isso é independente da nossa vontade. Fazemos um produto de consumo. Todo mundo tem o direito de dizer o que quiser, mas, para nós, a prioridade é artística".[4]

O produtor Jack Endino, por sua vez, afirmou que há elementos pop nos dois álbuns anteriores do grupo, os sucessos comerciais Acústico MTV e Volume Dois, e em todos os sete álbuns anteriores ao Titanomaquia (primeiro álbum da banda produzido por ele).[5] Ele disse ainda:[5]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Titãs[editar | editar código-fonte]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Pessoal técnico[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ivanov, Ricardo (3 de outubro de 2015). «Quarentões, Titãs não querem carregar rótulo adolescente». Terra. Telefónica. Consultado em 1 de agosto de 2015. 
  2. Avaliação no All Music Guide
  3. a b Ribeiro, Lúcio (29 de outubro de 1999). «"As Dez Mais" tem pontos negativos e positivos». Folha de S.Paulo (25776): Ilustrada 18. Consultado em 11 de julho de 2017. 
  4. Paiva, Marcelo Rubens (29 de outubro de 1999). «"Somos uma estatal gigante", diz Nando Reis». Folha de S.Paulo (25776): Ilustrada 18. Consultado em 11 de julho de 2017. 
  5. a b Sarkis, Thiago Pinto Corrêa (4 de janeiro de 2004). «Jack Endino - Entrevista exclusiva com o produtor do Nirvana». Whiplash.net. Consultado em 12 de março de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Titãs é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.