As Mãos de Eurídice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
As Mãos de Eurídice
'
Autor Pedro Bloch
País  Brasil

As Mãos de Eurídice é uma peça teatral brasileira, escrita por Pedro Bloch. É considerada o primeiro monólogo interpretado no Brasil.

Sua estréia aconteceu no dia 13 de maio de 1950, no Rio de Janeiro, com o ator Rodolfo Mayer. Teve sucesso imediato e logo o monólogo passou a ser apresentado pelos teatros do Brasil e do mundo, contando com cerca de 800 mil apresentações mundiais. Teve temporada na Broadway, no Booth Theatre, em 1952, e foi representado mais de três mil vezes por Rodolfo Mayer que, praticamente, dedicou sua carreira artística à interpretação desta peça. Além dele, o ator espanhol Enrique Guitart também a encenou por cerca de três mil vezes. No Reino Unido, a peça foi produzida por Sean Connery. [1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

O monólogo narra as desventuras do escritor Gumercindo Tavares que decide abandonar a família e fugir com Eurídice, uma jovem bela e ambiciosa. Os dois vão para Mar del Plata, na Argentina. Ele a cobre de jóias e presentes caros, e ela, por sua vez, torra a fortuna do amante em cassinos, acabando por levá-lo à ruína financeira. Para reverter a situação, Gumercindo propõe vender as jóias, mas Eurídice não aceita. Após sete anos, Gumercindo retorna arrependido à sua família. Mas ela já não é a mesma: a esposa tem outro, a filha casou, e o filho havia morrido por causa da tuberculose. Nesse meio tempo, Eurídice reaparece e, novamente, o escritor pede-lhe as jóias de volta. Como ela recusa-se a devolvê-las, Gumercindo a mata.

Referências

era uma meda

Leituras[editar | editar código-fonte]

  • BLOCH, Pedro. As Mãos de Eurídice e Esta Noite Choveu Prata!. Coleção Prestígio, Ediouro - Grupo Coquetel.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.