As Super Novas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
As Super Novas
Álbum de estúdio de Ivete Sangalo
Lançamento 25 de outubro de 2005 (2005-10-25)
Gravação Junho — Setembro de 2005
Estúdio(s)
Gênero(s)
Duração 44:52
Idioma(s)
  • Português
  • espanhol
Formato(s)
Gravadora(s) Universal
Produção Alexandre Lins
Cronologia de Ivete Sangalo
MTV ao Vivo
(2004)
Ivete no Maracanã
(2007)
Singles de As Super Novas
  1. "Abalou"
    Lançamento: 17 de outubro de 2005 (2005-10-17)[1]
  2. "Chorando Se Foi"
    Lançamento: 12 de dezembro de 2005 (2005-12-12)
  3. "A Galera"
    Lançamento: 3 de março de 2006 (2006-03-03)
  4. "Quando a Chuva Passar"
    Lançamento: 4 de julho de 2006 (2006-07-04)

As Super Novas[nota 1] é o quinto álbum de estúdio da artista musical brasileira Ivete Sangalo. O seu lançamento ocorreu em 25 de outubro de 2005 pela gravadora Universal Music Brasil. Assim como nos álbuns anteriores, em As Super Novas, Sangalo continua a fundir diversos elementos de vários gêneros musicais em sua musicalidade, entre eles o funk carioca, a lambada, o zouk e o pop latino, e funde os elementos com sons de axé e funk, enquanto os temas recorrentes continuam apontando para o amor a dois, na maioria das faixas presentes na obra. As gravações do projeto ocorreram ao longo de todo o ano de 2005 em estúdios no Salvador, Bahia e Rio de Janeiro, com a produção de Alexandre Lins.

Após o lançamento de seu primeiro álbum ao vivo MTV ao Vivo que rendeu a Sangalo sua primeira indicação vitoriosa ao Grammy Latino, a cantora entrou em uma extensa turnê para a divulgação do projeto, no mesmo período, Sangalo tornou-se apresentadora do Estação Globo da Rede Globo. A intérprete começou a trabalhar em As Super Novas entre os intervalos das gravações da atração e de seus concertos. As Super Novas recebeu análises positivas da crítica, com os resenhadores dizendo que a musicista não decepciona quem acompanha sua carreira, com uma análise sentindo que as fusões de diversos gêneros ajudam a inibir as letras "pobres" do álbum. Entretanto, o comercial do disco foi extremamente favorável, com a cantora recebendo uma certificação de diamante da Pro-Música Brasil (ABPD), pela venda de 500 mil cópias no território brasileiro, além de ter sido indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

Com 12 faixas, sendo dez inéditas, o disco conta com quatro singles; O primeiro, "Abalou", tornou-se um sucesso nas rádios brasileiras entre o final de 2005 e o começo de 2006, sendo indicada em 2006 ao Grammy Latino de Melhor Canção Brasileira. A regravação da canção do grupo Kaoma, "Chorando Se Foi", foi liberada como segundo single, tendo um sucesso mediano, assim como o terceiro single, "A Galera". A balada "Quando a Chuva Passar", o quarto lançamento da obra, alcançou grande popularidade nas rádios brasileiras, sendo também incluída na trilha sonora da telenovela Cobras & Lagartos da Rede Globo, e ganhando prêmios de melhor música. A regravação da canção "Soy Loco Por Ti América", interpretada por Caetano Veloso, apesar de não ter sido lançada como single, ganhou destaque ao torna-se trilha de abertura da novela América, da emissora anteriormente citada. Para promover o álbum, Sangalo embarcou em uma turnê intitulada Turnê D'As Super Novas, que começou em 5 de agosto de 2006.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após o lançamento de seu primeiro álbum ao vivo MTV ao Vivo que rendeu a Sangalo sua primeira indicação vitoriosa ao Grammy Latino, na categoria de Melhor Álbum de Música Regional ou de Raizes Brasileiras, depois de cinco anos de indicações frustradas,[2] a cantora entrou em uma extensa turnê para a divulgação do projeto.[3] No mesmo período, Sangalo tornou-se apresentadora do Estação Globo da Rede Globo.[4] Sangalo dedicou o ano de 2005 para desenvolver material para o novo álbum, As Super Novas, entre os intervalos das gravações da atração e das apresentações com a Turnê MTV Ao Vivo.[5] Em virtude da agenda superlotada, Sangalo acabou por ter pouco para pesquisar repertório e para entrar em estúdio e registrar mais canções para o disco, que acabou por conter apenas doze faixas, um número menor em comparação aos trabalhos de estúdio anteriores da cantora.[5] As Super Novas foi produzido por Alexandre Lins, que assina a produção musical das obras de Sangalo desde Beat Beleza (2001). A intenção da cantora era que o projeto "onsolidou como uma cantora de público mais adulto, Sem abrir mão dos temas populares, caminhou na direção da música popular brasileira tradicional e passar a tocar também nas rádios desse segmento.[6]

Música e letras[editar | editar código-fonte]

Em termos de composição musical, as canções de As Super Novas seguem o estilo musical do axé e funk, com influências de outros gêneros, como o funk carioca, a lambada, o zouk, salsa e disco, inspirados essencialmente na nas coletâneas musicais produzida ao redor do mundo na década de 1970 e 80.[7] Liricamente, o disco usou temas recorrentes nas canções da artista que continuam apontando para o amor a dois.[5] A canção que abre o álbum, "Abalou", escrita pela cantora com Larissa Meira e Gigi, tem uma forte influência do funk americano,[7] Sangalo canta: "Bastou você entrar na minha vida prá ficar tudo bem/ Não quero desgrudar de você / É bom parar o tempo / Tem tudo pra dar certo nós dois/ Já sei que não tem jeito ta feito/ Você me ganhou".[5] O refrão arremata este amor ideal com: "Abalou, Abalou, sacudiu balançou/ coração é só felicidade/ Abalou, abalou isso sim é amor de verdade".[5] Remete ao uso e abuso de arranjos de metais. Segundo a própria interprete, a música sugere forte influência de George Clinton e de Earth, Wind & Fire. "Abalou" foi considerada por alguns revisores de música, a trilha sonora da Copa do Mundo de 2006, representando o Brasil.[8] Num arranjo de vozes totalmente Frenéticas adicionadas aos teclados e riff de metais inspirados em Tim Maia, A segunda faixa, "Poder", também é influenciada pelo funk, foi escrita por Gigi, Radamés e Sangalo, a partir de declarações de fãs que se casaram, passaram férias ou qualquer outra situação marcante ao som de suas músicas. O refrão gruda aos ouvidos com seu "Uh, yeah, yeah, yeah, quem tem o poder é vocêêê".[8] A terceira canção, "Pra Sempre Ter Você", foi escrita por Eva Cavalcante, e é um típico axé music, assim como a quarta faixa "A Galera" de autoria de Gigi, que liricamente descreve os movimetos do público ao ouvir uma canção "A Galera / Tá no clima / Mão embaixo / Mão em cima". A próxima faixa "Eh! Maravilha" é um merengue que contem o Carnaval da Bahia como tema lírico.

"Zum Zum Ê", a sexta faixa, foi escrita por Augusto Conceição e Fábio Alcântara, é uma canção influenciada pelo funk carioca com toques de hip hop e rap.[7] DJ Marlboro assina os arranjos eletrônicos, enquanto Carlinhos Brown também participa atacando de locutor de rádio comunitária.[8] A sétima canção é "Cadê Você?", a cantora cai no ritmo africano do zouk.[7] O disco segue com a balada pop "Quando a Chuva Passar", escrita por Ramón Cruz, tem forte instrumentação de piano em sua composição.[7] "Na Bahia", a sexta canção, escrita por Sangalo e Gigi, como o próprio título sugere, é uma exaltação a cultura do estado, onde explora uma sonoridade entre o axé e o samba-reggae. A décima canção é "Mega Beijo", é um samba-rock, escrito por Lourenço. "Soy Loco Por Ti América" cantando inteiramente em portunhol, é uma regravação do cantor Caetano Veloso.[8] Encerrando o álbum, Sangalo regrava a canção "Chorando Se Foi", gravação do efêmero grupo Kaoma,[8] em homenagem à lambada consagrada por Beto Barbosa.[8]

Arte da capa[editar | editar código-fonte]

Na capa do álbum, Sangalo aparece sensual sobre uma moto preta (foto).

Na capa de As Super Novas, A cantora foi fotografada por Andre Schiro, na foto a cantora aparece de calça jeans de cor azul escura, top rosa com listas pretas, sandálias cor de rosa altíssimas e brincos com pena de pavão, de cabelos soltos ao vento, quase que deitada em cima da moto com as nádegas arrebitadas e mão no queixo e a boca meio entreaberta.[5] Segundo a cantora, a ideia da capa surgiu quando ela já estava gravando no estúdio. A idéia da capa partiu do meu irmão da cantora, Jesus que foi uma inspirado nas coletânea musicais do final dos anos 70 e início dos 80.[8] "Eu queria aparecer belíssima, bem sensual. Adoro aparecer bonita. Sou mulher. Além disso, quando resolvi fazer a capa do CD, eu me lembrei das capas nas quais Rose di Primo aparecia de biquíni. Só que a mamãe aqui não está podendo" disse Sangalo.[8]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Carnasite 3 de 4 estrelas.[9]
CliqueMusic 3.5 de 4 estrelas.[10]
Istoé Gente 2 de 5 estrelas.[7]

Hagamenon Brito do jornal Correio da Bahia deu ao álbum uma crítica positiva, dizendo que "As Super Novas vol 1 não decepciona quem acompanha a carreira da cantora. Sobretudo após Clube Carnavalesco Inocentes em Progresso, influenciado pelo então namorado Davi Moraes".[5] Mauro Ferreira da revista Istoé Gente escreveu uma crítica fria ao álbum, dizendo que nem os elementos de funk e ritmos latinos disfarçavam o caráter primário do repertório de Ivete, que era formado por "letras e melodias pobres", e adicionando que "tanto ecletismo sinaliza salutar tentativa de renovar a desgastada axé music, só que Ivete, mais uma vez, apresenta um disco aquém de seu potencial como cantora".[7] Marcello Santos do foi positivo em sua avaliação, enfatizando que As Super Novas é sem dúvida superior aos últimos trabalhos de estúdio da carreira solo de Sangalo" e que "o axé está um pouco mais presente neste álbum, em que a Banda do Bem dá mais um show de musicalidade e Veveta sinaliza que seu reinado na música brasileira, se depender de sua vontade e talento, está longe de acabar".[9] Carnaval Eletrônico foi ainda indicado ao Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro em 2004, mas perdeu para Carlinhos Brown com o álbum Carlinhos Brown é Carlito Marrón.[11] As Super Novas foi ainda indicado ao Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro em 2004, mas perdeu para Sérgio Mendes com o álbum Timeless.[12]

Comercial[editar | editar código-fonte]

As Super Novas foi um enorme sucesso comercial, e em menos de um um mês de lançado, recebeu uma certificação de diamante pela Pro-Música Brasil (PMB) pelas mais de 500 mil unidades comercializadas no país.[13][14] Até abril 2007, o álbum já tinha vendido mais de 1 milhão de unidades.[15] As Super Novas tornou-se o segundo álbum mais vendido de 2005 segundo a Pro-Música Brasil, apenas atrás de Perfil de Ana Carolina.[16][17]

Promoção[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

O primeiro, "Abalou", tornou-se um sucesso nas rádios brasileiras entre o final de 2005 e o começo de 2006, tornando-se uma das quarenta mais tocadas no país no ano de 2005.[18] A canção também foi indicada em 2006 ao Grammy Latino de Melhor Canção Brasileira.[19] A regravação da canção "Chorando Se Foi" do grupo Kaoma, foi liberada como segundo single, tendo um sucesso mediano, já o terceiro single, "A Galera", fez relativo sucesso durante o Carnaval de 2006.[20] A balada "Quando a Chuva Passar", o quarto lançamento da obra, alcançou grande popularidade nas rádios brasileiras, sendo também incluída na trilha sonora da telenovela Cobras & Lagartos da Rede Globo.[21] A faixa "Soy Loco Por Ti América" foi tema de abertura da novela das nove, América, exibida em 2005 e incluída no lugar de "Órfãos do Paraíso", canção de Milton Nascimento, tema anterior da abertura da novela e que foi substituído após a saída do diretor Jayme Monjardim, cujo lugar foi assumido por Marcos Schechtman. Com a troca de diretores, a autora Glória Perez garantiu a troca da abertura pela canção gravada por Sangalo.[22]

Turnê[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Turnê D'As Super Novas

Para promover As Super Novas, Wanessa embarcou na Turnê D'As Super Novas, iniciando-a em 5 de agosto de 2006, em Salvador, com um público de 60 mil pessoas.[23] A turnê estava prevista para estrear logo após o lançamento do álbum, no segundo semestre de 2005, porém acabou atrasando um ano para ser lançada, uma vez que Sangalo quis reestruturar todo o palco e incrementar novos cenários, buscando referências em artistas de outros países.[24] O roteiro ficou por conta do Rafael Dragaud, enquanto a cenografia foi feita por Rafael Dragaud e a coreografia ensaiada por José Cláudio Ferreira.[25] A turnê ainda utilizou um telão em LED 15X6m, que projetou imagens de cenário no fundo do palco, além de painéis G-Lec de tecnologia alemã ao redor do palco.[24] A turnê trouxe um palco com o dobro de tamanho do anterior, contendo de 20 metros de comprimento, além de dois elevadores para a movimentação da cantora em entrar e sair dele entre as trocas de roupa.[25] Sangalo entrava no palco em cima de uma moto, totalmente vestida de couro, explicando que era seu momento de domínio de sua carreira: "Esse figurino representa meu novo momento, mostra meu lado tigresa".[23] Um dos elevadores trazia, em certo momento do show, um piano para que a cantora tocasse "Quando a Chuva Passar" enquanto cantava.[23] Durante as canções de samba-reggae o cenário da Jamaica era projetado, simulando o local.[24]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

As Super Novas – Edição padrão[26]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Abalou"  
  • Ivete Sangalo
  • Larissa Meira
  • Gigi
3:53
2. "Poder"  
  • Ivete Sangalo
  • Gigi
  • Radamés
3:54
3. "Pra Sempre Ter Você"  Eva Cavalcante 3:30
4. "A Galera"  
  • Augusto Conceição
  • Fábio Alcântara
  • Cuca
  • Rayala
3:48
5. "Eh! Maravilha"  Gigi 3:36
6. "Zum Zum Ê" (com a participação de Carlinhos Brown)
  • Augusto Conceição
  • Fábio Alcântara
  • Cuca
3:09
7. "Cadê Você?"  Márcio Brasil 4:12
8. "Quando a Chuva Passar"  Ramon Cruz 4:06
9. "Na Bahia"  
  • Ivete Sangalo
  • Gigi
3:45
10. "Mega Beijo"  Lourenço 3:34
11. "Soy Loco Por Ti América"  
3:40
12. "Chorando Se Foi" (ao vivo)
  • Ulises
  • Gonzalo Hermosa
  • versão: Chico de Oliveira
3:38
Duração total:
44:52

Desempenho nas tabelas musicais e certificação[editar | editar código-fonte]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Gravadora
Brasil[31] 25 de outubro de 2005 (2005-10-25) Universal
Espanha[32] 7 de março de 2006 (2006-03-07) Universal Latino
Portugal[32]

Referências

  1. http://www.territoriodamusica.com/noticias/?c=7732
  2. «Veja os vencedores do Grammy Latino». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de maio de 2012 
  3. «Estação Globo». Memória Globo 
  4. «Veja os vencedores do Grammy Latino». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de maio de 2012 
  5. a b c d e f g Marilda Santanna (2009). As donas do canto: o sucesso das estrelas-intérpretes no Carnaval de Salvador. [S.l.]: EDUFBA. p. 363. ISBN 978-85-2320-885-1. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  6. «Ivete Sangalo brilha e faz a festa em 2005». Terra networks. Consultado em 27 de maio de 2012 
  7. a b c d e f g Ferreira, Mauro (17 de agosto de 2011). «As Super Novas Volume 01». Terra. Consultado em 21 de julho de 2015 
  8. a b c d e f g h «DISCO - 'As Supernovas' de Ivete». Folha de Londrina. 27 de novembro de 2005. Consultado em 21 de julho de 2015 
  9. a b Santos, Marcello (21 de dezembro de 2005). «As Super Novas – Vol. 1». Carnasite. Consultado em 24 de fevereiro de 2018 
  10. Avaliação no UOL Música
  11. «Lista dos brasileiros indicados aos prêmios Grammy Latinos». Los Angeles: UOL. 14 de julho de 2004. Consultado em 27 de maio de 2017 
  12. «SAIBA O QUE VAI ACONTECER NO GRAMMY LATINO 2006». Vírgula. 31 de outubro de 2006. Consultado em 27 de maio de 2017 
  13. a b «Certificações (Brasil) (álbum) – Ivete Sangalo – As Super Novas». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 8 de junho de 2017 
  14. «Lista dos brasileiros indicados aos prêmios Grammy Latinos». Terra networks. 13 de novembro de 2005. Consultado em 27 de maio de 2017 
  15. «Em entrevista exclusiva, Ivete Sangalo fala sobre o novo CD». A Tarde. Consultado em 1 de abril de 2007 
  16. «Cds mais vendidos - 2005 - ABPD». Pro-Música Brasil. 17 de agosto de 2011. Consultado em 21 de julho de 2015. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2011 
  17. a b «Números no Mercado - Ano 2005». ABPD. Consultado em 17 de setembro de 2015 
  18. «Top 100 Músicas Mais Tocadas em 2005». Mais Tocadas. 13 de novembro de 2005. Consultado em 27 de maio de 2017 
  19. «Veja os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Folha de S.Paulo. 13 de novembro de 2005. Consultado em 27 de maio de 2017 
  20. «Música de Ivete Sangalo pode ser o hit do carnaval». Terra Networks. 23 de janeiro de 2006. Consultado em 27 de maio de 2017 
  21. «Show de Ivete Sangalo reúne 50 mil pessoas em Salvador». O Fuxico. 6 de agosto de 2006. Consultado em 27 de maio de 2017 
  22. «Glória Perez derruba Monjardim». Terra Networks 
  23. a b c «Ivete estreia show em Salvador e mostra seu lado tigresa». Terra. 18 de dezembro de 2005. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  24. a b c «Show de Ivete Sangalo reúne 50 mil pessoas em Salvador». O Fuxico. 18 de dezembro de 2005. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  25. a b «Megaprodução de Ivete terá até elevador no palco». Terra. 18 de dezembro de 2005. Consultado em 11 de agosto de 2012 
  26. «As Super Novas de Ivete Sangalo». iTunes Store. Consultado em 17 de setembro de 2015 
  27. «Ivete Sangalo ‎– As Super Novas (Vol.01) (CD, Album) at Discogs». Discogs. Consultado em 17 de setembro de 2015 
  28. Nielsen Business Media, Inc. (3 de janeiro de 2006). «Billboard Hits of The World: Brazil Albums». Billboard (em inglês). Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  29. «Ivete Sangalo - As Super Novas (Associação Fonográfica Portuguesa)». Associação Fonográfica Portuguesa. Consultado em 17 de setembro de 2015 
  30. «Confira a trajetória de Ivete Sangalo através de suas músicas». Fique Ligado. Consultado em 5 de maio de 2012 
  31. «Ivete Sangalo ‎– As Super Novas». Discogs. Consultado em 27 de maio de 2017 
  32. a b «Ivete Sangalo ‎– As Super Novas». Amazon.Spain & Portugal. Consultado em 18 de março de 2016 

Notas

  1. O álbum foi lançado sob o título completo de As Super Novas, Volume 1, embora a cantora nunca tenha lançado uma sequência de mesmo nome.