Asa Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Asa Norte
  Bairro do Brasil  
Município Brasília
População
 - Total 116, 744 pessoas
 - IDH 0.957 (Muito Alto)
Rendimento médio mensal 16,12 Salários mínimos
Fonte: http://www.codeplan.df.gov.br/component/content/article/261-pesquisas-socioeconomicas/319-pdad-2015.html/

Asa Norte é um bairro do plano piloto de Brasília, no Distrito Federal. Tombado pela Unesco, o bairro possui boa infraestrutura e os melhores indices de qualidade de vida do DF. Região nobre e valorizada no DF, possui imóveis de alto valor de mercado[1] e habitantes com alto poder aquisitivo.

A Asa Norte possui um arranjo urbano estruturado no conceito de "cidade parque" que valoriza a predominância de áreas verdes e arborizadas entre os edifícios urbanos residenciais.

A Asa Norte é um das áreas que compõem o Plano Piloto de Brasília (junto com a Asa Sul e Noroeste).[2] Assim como a Asa Sul, é cortada pelo Eixão (Eixo Rodoviário de Brasília), uma via expressa de seis faixas e pelos Eixinhos W (oeste) e L (leste). Ambas são formadas por Quadras, Superquadras e Entrequadras, numeradas de 202 a 216, 402 a 416, 602 a 611 na parte leste do eixão e 101 a 116, 301 a 316, 502 a 516, 701 a 716 e 901 a 916 na parte oeste do Eixo Central.

Quadras 900 - Setor de Grandes Áreas Norte (SGAN) - Região destinada a instituições de interesse público, universidades, escolas, associações, igrejas, além de alguns prédios residenciais.

Quadras 700 - constituídas majoritariamente de casas e prédios de 3 e 6 andares. Também possui comércio nas margens da via W3 Norte.

Quadras 500 - quadras comerciais que abrigam do comercio varejista a prédios de orgaos públicos, tribunais e etc.

Quadras 300 - Superquadras Norte (SQN): constituídas de até 14 prédios residenciais (blocos) de 6 andares

Quadras 100 - Superquadras Norte (SQN): constituídas de até 14 prédios residenciais (blocos) de 6 andares. As quadras encontram-se ao longo do eixo rodoviario e eixinho W.

Quadras 200 - Superquadras Norte (SQN): constituídas de até 14 prédios residenciais (blocos) de 6 andares. As quadras encontram-se ao longo do eixinho L.

Quadras 400 - Superquadras Norte (SQN): constituídas de até 20 prédios residenciais (blocos) de 3 andares. Quadras que margeiam a via L2 Norte.

Quadras 600 - Setor de Grandes Áreas Norte (SGAN) Composta por diversas instituicoes privadas e publicas, hospitais, instituicoes de Ensino e etc.

Diferente da Asa Sul, não existem as quadras 800 devido a presença do principal Campus Universitario da UnB e da maior proximidade do Lago Paranoá.

Os prédios residenciais de 6 andares das SQNs 100, 200 e 300 foram idealizados por Lúcio Costa à semelhança da experiência do urbanista com o Parque Guinle (RJ) e idealizados em uma estética utilitarista, minimalista e concretista herdada do modernismo francês e da escola de design alemão Bauhaus.

No modelo de prédios de Brasília foi inserido o uso predominante de pilotis com o intuito de integrar as areas públicas e os espaços embaixo dos prédios, seguindo os pontos da arquitetura moderna defendida por Le Corbusier.

Entre as Superquadras, há as Comércios Locais (CLN), com padarias, lojas, restaurantes, farmácias, etc.[3]

A Asa Norte tombada pelo UNESCO como Patrimônio Histórico da Humanidade, no dia 7 de dezembro de 1987.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O bairro conta com uma boa infraestrutura de lazer, moradia, transporte, educação.

Comércio[editar | editar código-fonte]

Fachada do Brasília Shopping.

Na Asa Norte possui cinco principais shoppings, entre eles o Conjunto Nacional, o Brasília Shopping , o Boulevard Shopping Brasília, o Liberty Mall e o Shopping ID, este ultimo especializado em móveis e decoração.

No bairro também se localizam diversos supermercados (2 Big Box, 2 Carrefour Bairro e 2 Pão de Açucar) e 3 hipermercados (Carrefour, Extra e Walmart) , farmácias, restaurantes, pizzarias, redes de fast-food, hospitais públicos e particulares, , parques, hotéis (como o Mercure), emissoras de televisão (TV Globo Brasília e Rede TV Brasília), postos de combustíveis (Petrobras e Shell), limpeza automotiva, bares, igrejas, concessionárias (Citroën, Honda, Hyundai e Kia) e várias lojas.

Ensino[editar | editar código-fonte]

Encontra-se na Asa Norte uma grande quantidade de escolas como o Colégio Marista João Paulo II, e o Sigma, este contando duas unidades na Asa Norte.

Dentro do bairro, no que se refere a Ensino Superior, estão localizadas as instituições de excelencia como o principal campus da Universidade de Brasília (UnB), a Fundaçao Getulio Vargas, o Ibmec Educacional, o Campus I do UniCEUB, o campus norte do Centro Universitário Euroamericano (Unieuro), o Campus Norte do Iesb e o um campus do Instituto Federal de Brasília.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O Principal hospital público da Asa Norte é o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) seguido do Hospital Universitário de Brasília. No bairro também encontram-se diversos hospitais privados e clinicas especializadas.

Parques[editar | editar código-fonte]

Parque Olhos D'Água

O principal parque da Asa Norte é o Parque Olhos D'Água que está localizado nas quadras 413 e 414.

Ao final da quadra 416 encontra-se uma área de lazer com deck para caminhada, banho e atividades à beira do lago Paranoá chamada de Calçadão da Asa Norte.

Também destaca-se o Parque Burle Marx que é um projeto ainda em construção

Avenidas[editar | editar código-fonte]

  • Via N 1 (Eixo Monumental - Sentido Rodoferroviária)
  • Via N 2 - entre os Setor Hoteleiro Norte (SHN) e o Setor Comercial Norte (SCN)/ entre os Ministérios e seus Anexos
  • Via N 3
  • Via N4
  • Via W 5 Norte - entre as entrequadras 700/900 e as quadras 900 (Possui escolas e igrejas)
  • Via W 4 Norte - entre as quadras 700 e as entrequadras 700/900
  • Via W 3 Norte - entre as quadras 500 e 700 (Área comercial. Possui escolas, shoppings, bancos, lojas, entre outros)
  • Via W 2 Norte - entre as quadras 300 e 500
  • Via W 1 Norte - entre as quadras 100 e 300
  • Eixo W Norte (Eixinho)
  • Eixo Rodoviário Norte (Eixão) - via expressa que liga a Asa Norte à Asa Sul.
  • Eixo L Norte (Eixinho)
  • Via L 1 Norte - entre as quadras 200 e 400
  • Via L 2 Norte - entre as quadras 400 e 600
  • Via L 3 Norte - entre as quadras 600 e 800 = Perpassa o Campus Universitário Darcy Ribeiro, principal campus da Universidade de Brasília.
  • Via L 4 Norte - entre as quadras 800 e o Setor de Clubes Esportivos Norte (SCEN)

Alguns detalhes do bairro[editar | editar código-fonte]

  • Cássia Eller iniciou sua carreira musical e conquistou o encanto do publico em apresentações frequentes em um bar na Asa Norte na quadra 706. A cantora também morava no bairro na quadra 407.
  • O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2014 da Asa Norte foi o mais alto do Distrito Federal: 0,957. E ultrapassou os índices de bairros e regiões consideradas tradicionais no DF como a Asa Sul e Lago Sul.
  • O bairro abriga diversas manifestações culturais para o público jovem, além de sebos, açougue cultural, diversos grafites e manifestações de arte nas paredes da cidade.
  • A primeira quadra a ser totalmente completa foi a 312.
  • As entrequadras CLN 408/409 e 412/413 compõem uma região boêmia, com a maior concentração de bares do Plano Piloto, apelidada pelos frequentadores de "Baixo Asa Norte". O nome é referência ao Baixo Augusta em São Paulo e o Baixo Gávea no Rio de Janeiro. A região também foi apelidada de "Quadrilátero da Bebida" por possuir dezena de bares, além de lanchonetes e outros estabelecimentos para lazer e diversão do público jovem e universitário.[4]
  • Em comparação com a Asa Sul, a Asa Norte se destaca por possuir um público mais jovem e pela pluralidade de eventos culturais, devido à presença do Campus Universitário Darcy Ribeiro (Universidade de Brasília).
  • Renato Russo cita o bairro em suas músicas Faroeste Caboclo e Travessia do Eixão.

Referências

  1. «Metro quadrado de Brasília é o segundo mais caro do país». Consultado em 12 de setembro de 2015. 
  2. «Concepção Urbanística de Brasília» (PDF). Governo do Distrito Federal. 1987. Consultado em 12 de setembro de 2015. 
  3. http://www.sedhab.df.gov.br/desenvolvimento-urbano/planejamento-urbano/ppcub.html
  4. Braziliense, Correio. «Endereços culturais do DF são rebatizados pela população com nomes afetivos». Consultado em 12 de setembro de 2015. 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]