Asilo Arkham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Asilo Arkham
Informações da Publicação
Publicado por DC Comics
Primeira Aparição Batman #258 (Outubro de 1974)
Tipo Asilo para os (criminosos) insanos
Criado por Dennis O'Neil
Irv Novick

O Asilo Arkham de Elisabete para os Criminosos Insanos (Elizabeth Arkham Asylum for the Criminally Insane),[1] frequentemente referido como Arkham Asylum, ou simplesmente Arkham, é um hospital psiquiátrico fictício que aparece nos livros de banda desenhada americanos publicados pela DC Comics, mais frequentemente nas histórias de Batman. Muitos criminosos que têm psicoses do Universo DC já foram pacientes do Asilo e também escaparam dele, a maior parte da lista de super-vilºoes do Batman como o Joker, o Penguin, Poison Ivy, o Riddler, Two-Face, Scarecrow, Bane, Killer Croc e Harley Quinn.

O nome Arkham Asylum foi retirado[2] [3] do sanatório da cidade fictícia de Arkham, Massachusetts, descrita em muitos dos contos de terror e de ficção cientifica de H.P. Lovecraft, com o primeiro a ser "The Unnamable" (1923).[4] O Asilo apareceu pela primeira vez em Batman #258 (Outubro de 1974), escrito por Dennis O'Neil com desenhos de Irv Novick. Nessa história o Asilo é descrito como "Hospital Arkham", apesar de nunca ficar claro que tipo de hospital é. A descrição "Asilo Arkham" apareceu pela primeira vez no ano seguinte, noutra história de O'Neil, mas só em 1979 é que "Asilo Arkham" substituiu em definitivo "Hospital Arkham" (e o ocasional "Sanatório Arkham"), como o nome da instituição.

Criação[editar | editar código-fonte]

Inspirado por trabalhos de H.P. Lovecraft, o asilo foi criado pelo escritor Dennis O'Neil, com primeira aparição em Batman #258 (Outubro 1974); muito de sua história foi criada por Len Wein durante os anos 80[5] .

Origem[editar | editar código-fonte]

No universo ficcional das histórias de Batman, o asilo foi fundado pelo psiquiatra Amadeus Arkham em honra de sua finada mãe, Elizabeth Arkham. Antes de abrir o asilo, em 1 de abril de 1921, a esposa e filha de Amadeus foram estupradas e mutiladas por Martin "Mad Dog" Hawkins, um criminoso insano. Quando o asilo abriu suas portas, Hawkins foi um dos primeiros internos. O doutor Arkham, após cuidar dele por meses, o matou no aniversário do assassinato da família em 1922, a base de eletrochoques, fazendo parecer acidente. No fim, o próprio Amadeus se tornou insano e foi interno, morrendo no asilo. Jeremiah Arkham é o neto de Amadeus e por muitos anos foi diretor, realizando reformas na estrutura do edifício do Arkham e no tratamento ameno com os internos,que depois descobriu-se tratar de uma farsa. Foi descoberto que Jeremiah levava vida dupla, como Máscara Negra, formando uma gangue de vilões como Pinguim e o Espantalho.

Cidade[editar | editar código-fonte]

Arkham é a cidade fictícia criada por Lovecraft. Nas obras, a cidade se situa na Nova Inglaterra e é palco de diversos acontecimentos bizarros e, também a cidade onde se situa uma das campanhas do jogo de RPG Call of Cthulhu, Arkham Cases.

Internos famosos[editar | editar código-fonte]

Entre os famosos internos há:

Inimigos de Batman: O Coringa, Duas-Caras, Pinguim, Dr. Hugo Strange, O Espantalho, Hera Venenosa, Dr. Phosphorus, Maxie Zeus, Arlequina, Ventríloquo, Victor Zsasz, Máscara Negra, Cara-de-Barro, Chapeleiro Louco, Charada, Sr. Frio, Crocodilo,Ra' al Ghul.

Vilões de outros herois: Doutor Destino (DC Comics), Pirata Psíquico, Homem-Florônico, Cheetah (Barbara Minerva), Jean Loring (ex-mulher de Eléktron, assassina de Sue Dibny em Crise de Identidade)

Desconhecidos: "Jane Doe", "Junkyard Dog", "Doodlebug", "Lunkhead", "Death Rattle", "Humpty Dumpty". Também, nos anos 40, estavam o interno que esculpiu uma antiga lâmpada de trem a partir duma antiga lâmpada chinesa, dando origem a Lanterna de Alan Scott, o primeiro Lanterna Verde.

Graphic Novel[editar | editar código-fonte]

Asilo Arkham também é o título de uma graphic novel de 1989, escrita por Grant Morrison e ilustrada por Dave McKean. Lançado originalmente no Brasil em 1990, Asilo Arkham é considerado um dos títulos mais lidos e comentados na história dos quadrinhos. A história soa como um golpe de misericórdia na moral do Batman. Os internos do Asilo Arkham - incluindo Coringa e demais inimigos do Batman, tomam conta do asilo e exigem a presença do herói, que é conduzido numa jornada de tortura física e psicológica pelos vilões[6] .

Seguindo a mesma linha de Piada Mortal (de Alan Moore e Brian Bolland) e Justiça Cega (de Sam Hamm), Asilo Arkham mostra os pontos mais fracos do justiceiro de Gotham City. Grant Morrison mostra o que leva um sujeito - atormentado pela morte dos pais na infância - se vestir de morcego e sair à cata de marginais, acreditando que isso mudará o mundo.

Tudo começa com uma rebelião no manicômio judiciário de Gotham, o Asilo Arkham. Os presidiários do local, liderados pelo Coringa, exigem a presença de Batman. Dentro do Asilo, a situação se inverte: os maníacos é que perseguem o herói. Batman então revela sua fragilidade e se descontrola.

Paralelamente, o leitor conhece a história do Dr. Amadeus Arkham, fundador do asilo que leva seu nome. Marcado na infância pela loucura de sua mãe, ele resolve se dedicar à psiquiatria, mas acaba insano após o brutal assassinato de sua esposa e filha.

O estilo do desenhista McKean é fundamental para o clima “dark” e delirante da história. Somando isto à presença marcante do Coringa, Asilo Arkham é leitura obrigatória para qualquer fã do Homem-Morcego.

Aparições em outras mídias[editar | editar código-fonte]

O asilo já apareceu nos filmes Batman Eternamente, Batman e Robin e Batman Begins. Ele também já apareceu nos desenhos de Batman e da Liga da Justiça, ambos da Warner Bros. Nos filmes Batman Eternamente e Batman e Robin, o asilo é uma torre alta em cima de um penhasco.

Em 2009, o Asilo Arkham foi o tema príncipal do novo jogo lançado para Xbox 360, Playstation 3 e PC intitulado Batman: Arkham Asylum, onde o jogador guia o super-herói em busca do líder de uma rebelião, justamente o Coringa. O jogo ganhou continuações: Arkham City(2011) e Arkham Knight(2014) [7] .(Muitos acham que o jogo Arkham Origins faz parte da trilogia Arkham,porém esta foi elaborada por outra desenvolvedora e mais tarde foi alegado pela Warner Bros que ele pertence a outra trilogia que possivelmente será anunciada depois).

Referências

  1. Arkham Asylum: A Serious House on Serious Earth. [S.l.]: DC Comics, 1989.
  2. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Unauthorised
  3. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas Dark_Age
  4. Lovecraft, H.P. The Best of H.P Lovecraft. [S.l.]: Carlton Books, 2010. p. 8. ISBN 978-1-85375-881-2
  5. DUNCAN, Randy, e SMITH, Matthew J. Icons of the American Comic Book: From Captain America to Wonder Woman, Volume 1. ABC-CLIO, 2013. P. 38 (em inglês)
  6. Grant Morrison: From the Asylum to the Star. Sequart Research & Literacy Organizatio, 29 de abril de 2008 (em inglês)
  7. Especial Batman: a história do cavaleiro das trevas nos videogames. Tech Tudo, 18 de outubro de 2011