Asioteia de Flios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a esposa de Nícocles, veja Nícocles.

Axioteia ou Asioteia de Flios (em grego: Ἀξιοθέα Φλειασία fl. c. 350 AEC) foi uma discípula de Platão e Espeusipo.[1][2]

Ela nasceu em Fliunte, uma antiga cidade na Arcádia, que estava sob o poder de Esparta, quando Platão fundou a Academia. Lá, as mulheres recebiam a mesma educação que a dos homens e em grande parte possuíam direitos iguais.[3] Segundo Temístio, Asioteia leu A República e então viajou para Atenas para se tornar estudante do filósofo;[4] estudou na Academia disfarçada, vestida como um homem, devido ao olhar da sociedade ateniense quanto às mulheres (a exemplo, as hetairas).[5][3] Mesmo quando sua identidade foi revelada, ela permaneceu na Academia e trouxe outra mulher, Lasteneia de Mantineia.[3] Depois da morte de Platão continuou os estudos com Espeusipo, sobrinho de Platão.[6]

Um fragmento de papiro dos Papiros de Oxirrinco menciona uma não identificada mulher que estudou com Platão, Espeusipo, e então com Menedemo de Erétria. O fragmento explica ainda que "na adolescência ela era adorável e cheia de graça." Uma possível referência a Asioteia ou Lasteneia.[7]

Referências

  1. Clemente de Alexandria, Stromata, Livro IV, Capítulo XIX, Mulheres, assim como homens, são capazes de perfeição [em linha]
  2. Ogilvie, Marilyn Bailey (1986). Women in science : antiquity through the nineteenth century : a biographical dictionary with annotated bibliography 3. print. ed. Cambridge, Mass.: MIT Press. ISBN 0-262-15031-X 
  3. a b c Baltes, Matthias (1993). «Plato's School, the Academy». Hermathena (155): 5–26. ISSN 0018-0750. Consultado em 18 de outubro de 2020 
  4. Temístio, Orações, 23. 295C
  5. Diógenes Laércio, iii. 46.
  6. Diógenes Laércio, iv. 2
  7. POxy 3656. Citado em Fortenbaugh, William; White, Stephen (8 de agosto de 2019). Lyco of Troas and Hieronymus of Rhodes: Text, Translation, and Discussion (em inglês). [S.l.]: Routledge.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dorandi, T. (1989). "Assiotea e Lastenia. Due donne all' Accademia". Atti e memorie dell' Accademia Toscana di Scienze e Lettere, La Columbaria 54.