Asparagus acutifolius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAsparagus acutifolius
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica

Asparagus acutifolius é uma espécie de planta fanerógama da família Asparagaceae.

Vista da planta
Planta com flores de Asparagus acutifolius
Detalhe da flor
Habitat natural : O rebento jovem é comestivel

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Encontra-se distribuída por toda a Bacia do Mediterrâneo . Em Portugal localiza-se nas regiões da Estremadura, Ribatejo, Alentejo, Algarve. Em #o França localiza-se no Sul do país; Em Espanha por quase todo o pais (excepto em algumas zonas atlánticas) e as Ilhas Baleares; em Itália, Grécia, e Costa Rica também é bastante comum esta planta.[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

É uma planta perenne. também connhecia por esparragueira, esparragos ; Corruda-menor, Espargo-bravo-menor, Esparago-silvestre-menor.

Pode-se encontrar em caminhos espontaneamente, em solos secos e com muita exposição solar especialmente junto a pedras,muros,e junto de arbustos ou árvores especialmente a oliveira .

Nos rebentos jovens pode-se encontrar grande quantidade de asparagina.

Esta esparraguera diferencia-se das outras pela grande quantidade de pequenos cladodios de cor verde escuro que cobrem quase toda a planta; é frequente que tenha o porte de uma pequena liana. Vive em lugares mais frescos e sombrios, mas é muito possível que coincida com outras espécies de esparragueras nos mesmos lugares. Floresce ao final do verão.

Uso histórico[editar | editar código-fonte]

O espárrago usa-se desde tempos longínquos como uma verdura e para a medicina, devido a seu sabor delicado e suas propriedades diuréticas. Existe uma receita para cozinhar os espárragos no livro mais antigo de receitas que existe, De re coquinaria, Livro III de Apicius. Foram cultivados pelos antigos egípcios, os gregos e os romanos, os quais os comeram frescos de temporada e secavam o fruto para seu uso em inverno. Os espárragos perderam popularidade durante A Idade Média, mas o seu consumo resurge a partir do século XVII.

Usos[editar | editar código-fonte]

Antigamente utilizava-se como diurético.

Já o conheciam os egípcios e se suspeita que foram os romanos os que a introduziram na Península ibéria.

Utiliza-se como alimento os rebentos jovens, até sua parte lenhosae por ser demasiado dura para cozinhar. Estes rebentos nascem do rizoma e quando têm suas folhas e espinhas muito ternas constituem um alimento gormet ou de subsistencia extraordinário em determinadas mesas .Sendo portanto consumido pelos mais ricos e mais pobres.O seu sabor é amargo, ainda que não em excesso. Frequetemente são cozidos em sopa de espargos  ou em omelete de espargos.

O espárgo é baixo em calorías, não contém gordura nem colesterol, e é muito baixo em sal. É uma fonte rica de ácido fólico, potasio, fibra natural e rotina. O nome do ácido amino asparraguina derive-se da palavra “Asparagus”, já que a planta do espárrago é rica neste composto.

Referências