O Assalto ao Trem Pagador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Assalto ao Trem Pagador)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre um filme brasileiro. Para o crime, veja Assalto ao trem pagador da Estrada de Ferro Central do Brasil.
O Assalto ao Trem Pagador
Cartaz do filme.
 Brasil
1962 •  p&b •  102 min 
Direção Roberto Farias
Roteiro Luiz Carlos Barreto / Alinor Azevedo
Elenco Reginaldo Faria
Grande Otelo
Eliezer Gomes
Jorge Dória
Ruth de Souza
Género Policial, ação
Música Remo Usai
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

O Assalto ao Trem Pagador é um filme brasileiro de 1962, do gênero policial, dirigido por Roberto Farias. Baseado numa história real, o filme retrata o famoso assalto ocorrido contra o trem de pagamentos da Estrada de Ferro Central do Brasil, que aconteceu às 08h30min do dia 14 de junho de 1960, nas proximidades da Estação Japeri (em Japeri, RJ), no km 71 do extinto trecho da Linha Auxiliar da E.F. Central do Brasil que ligava a Estação Japeri à Estação Botais, em Miguel Pereira (RJ)[1][2]. Enquanto a polícia chega a suspeitar de uma quadrilha de bandidos internacionais pela ousadia do plano, os assaltantes se misturam à realidade da pobreza e da violência brasileiras. Em novembro de 2015, o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos[3].

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Grilo é um inteligente criminoso da cidade, que diz trabalhar para um chefão que chama de "Engenheiro", e com isso, convence Tião Medonho, e outros bandidos da favela, a praticarem um roubo a um trem de pagamentos.

Os bandidos combinam de não gastarem o dinheiro roubado antes de 1 ano, pois isso levantaria suspeitas. Mas Grilo acha que ele pode, pois não é favelado, e tem boa aparência, o que desperta a ira dos demais. Grilo então diz que o Engenheiro preparou um novo golpe, mas sua intenção é se livrar de Tião Medonho e dos outros, fazendo com que eles caiam numa armadilha.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Saci 1962 de Melhor ator coadjuvante (Jorge Dória), Melhor atriz coadjuvante (Dirce Migliáccio) e Melhor Roteiro (Roberto Farias)
  • Prêmio Governador do Estado de São Paulo 1962, Melhor Roteiro (Roberto Farias)
  • V Festival de Cinema de Curitiba 1962, Melhor atriz coadjuvante (Luíza Maranhão), Revelação (Eliezer Gomes)
  • Troféu Cinelândia 1962, Revelação (Eliezer Gomes)
  • Festival de Cinema da Bahia 1962, Melhor Filme, Melhor Ator (Eliezer Gomes), Melhor atriz coadjuvante (Luíza Maranhão), Melhor Roteiro (Roberto Farias)
  • Festival de Lisboa, Portugal, 1963, Prêmio Caravela de Prata
  • Festival de Arte Negra, Senegal, 1963, Prêmio Especial do Júri
  • Representou o Brasil no Festival de Veneza de 1962


Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 15 de setembro de 2012. Arquivado do original em 10 de setembro de 2014 
  2. http://www.estacoesferroviarias.com.br/efcb_rj_linha_centro/mapa_linhacentro_rj.htm
  3. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia tem o